logo direitos humanos CAAF2

 

DESTAQUES

Lançamento do relatório Massacre no baile da DZ7: Chacina policíal, institucionalização do caso e a dinâmica dos fatos segundos as evidências

 

O centro de Antropologia e Arqueologia Forense da Unifesp (CAAF|Unifesp) lançou hoje (01/12/2022), em parceira com a Defensoria Pública de São Paulo e o Movimento de Familiares das Vítimas do Massacre em Paraisópolis, o relatório Massacre no baile da DZ7: Chacina policíal, institucionalização do caso e a dinâmica dos fatos segundos as evidências. 

O relatório apresenta uma análise multidisciplinar sobre as mortes de 9 jovens, na madrugada do dia 01 de dezembro de 2019, durante ação da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) junto à festa de rua conhecida como Baile da DZ7, em Paraisópolis, sudoeste da cidade de São Paulo.

Este primeiro trabalho se volta para a dimensão do evento, discutindo a intervenção policial propriamente dita. Tendo como referência um processo de institucionalização estruturado sobre a narrativa policial, o objetivo é compreender os efeitos do processamento do caso pelas instituições de segurança pública e de saúde sobre a produção de dados sobre o massacre, bem como reconstruir a dinâmica dos fatos segundo as evidências disponíveis.

Relatório completo disponível aqui

 

Vagas para pesquisa no projeto "Responsabilidade de empresas por violações de direitos durante a Ditadura"

 

Foram publicados 3 (três) editais do projeto de pesquisa "Responsabilidade de empresas por violações de direitos durante a Ditadura" do Centro de Antropologia e Arqueologia Forense da Universidade Federal de São Paulo (CAAF/Unifesp).

Cada edital é referente à pesquisa sobre uma empresa: Mannesmann (Edital 83/2022), Belgo-Mineira (Edital 84/2022) e Embraer (Edital 85/2022). Será selecionado(a) um pesquisador(a) por edital. O requisito de escolaridade mínimo para as vagas é doutorado completo e o valor da bolsa é de R$ 7.715,60.

As inscrições vão de 23/11/2022 até 08/12/2022.

Mais informações aqui

 

Observatório da Violência Racial lança Boletim N. UM

 

No mês da Consciência Negra e na Semana Internacional dos Direitos Humanos, o OVIR - Observatório da Violência Racial - lança o Boletim de número Um. "O período é acompanhado de um balanço dos 30 anos do Massacre do Carandiru e do primeiro ano da criação do memorial pelas vítimas dos Crimes de Maio de 2006. Temas aqui muito bem representados por seis artigos enviados à equipe do OVIR e que tratam de faces do racismo, do desencarceramento, da sociologia forense, bem como da pluralidade das resistências e lutas negras."

Acesse os boletins do OVIR aqui

 

PROJETOS

PRODUÇÕES

 

             violencia estado no brasil                                  livro 

 

 relatorio paraisopolis                  boletim 0