Biossensor para detecção de câncer de próstata baseado no complexo európio-família das tetraciclinas

É descrito a utilização de um Complexo Lantanidico como biossensor para o diagnóstico de câncer de próstata, ainda em estágios iniciais, em fluidos corpóreos e tecidos.

O íon lantanídeo complexado, na presença de citrato, apresenta um método de intensidade de emissão do lantanídeo em 615nm e no tempo de decaimento.

A presente invenção vislumbra a utilização desse complexo nesse campo de diagnóstico, oferecendo um método simples, rápido e confiável de análise clínica, além do aparato para a medida de fluorescência em tempo real, de baixo custo e portátil, possibilitando assim, que esse exame seja feito ainda no consultório médico durante as consultas urológicas de rotina. É um método direto de detecção, baixo custo, ausência da necessidade de reagentes adicionais, grande estabilidade (podem ser estocadas por longos períodos), alta sensibilidade possibilitando medições de concentrações bastante baixas de citrato, além da simplicidade e rapidez na preparação e utilização do biossensor. Diferentemente dos métodos e técnicas usadas atualmente na detecção de citrato que em grande maioria emprega métodos enzimáticos que requerem uso de enzimas caras e várias etapas no procedimento ou equipamentos caros (como no caso de ressonância magnética). Além disso, a detecção do citrato permite a diferenciação entre o câncer de próstata e o crescimento benigno da próstata, o que é muito difícil com os métodos adotados hoje no diagnostico desse tipo de câncer que são principalmente o toque retal e a determinação de níveis de PSA.

Inventores: LILIA CORONATO COURROL1 FLAVIA RODRIGUES DE OLIVEIRA SILVA 2

1Universidade Federal de São Paulo, Diadema, Departamento de Ciências Exatas e da Terra, Campus Diadema

2Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares

Depósito 2011

PI1103546-3 

Pró-Reitorias

Unidades universitárias

Campi

Links de interesse