Laboratórios Multiusuários da Unifesp contam com microscopia pioneira

Os equipamentos permitem imagens em alta resolução e podem ajudar na descrição de doenças importantes e no teste de novos medicamentos

Dentre as novidades estão dois novos microscópios de alta resolução, sendo um deles o primeiro a ser instalado no Hemisfério Sul e o outro o primeiro nas Américas, o Microscópio Confocal Leica TCS SP8 CARS e o Microscópio Leica SR GSD 3D. No total, são dez laboratórios que foram reformados e serão destinados à utilização de toda comunidade científica, tanto para os pesquisadores da própria universidade quanto para os do Estado de São Paulo e do Brasil.

O diferencial destes equipamentos é que permitem imagens de células e de tecidos vivos, o que pode ajudar na descrição de doenças importantes e no teste de novos medicamentos para o tratamento do Câncer, Diabetes, Parkinson, Alzheimer, entre outras doenças.

Helena Nader, coordenadora do instituto, falou sobre a importância daquele momento e relembrou a todos que passaram e contribuíram para que o departamento chegasse até os dias de hoje. “Esses novos microscópios representam o começo de uma nova fase para a microscopia. Será uma revolução na área de imagens e a Unifesp tem a honra de ser pioneira em recebê-los. Com eles, ficaremos mais competitivos mundialmente”.

"A organização e manutenção de plataformas como esta visam otimizar os recursos e promover um rápido desenvolvimento da pesquisa e do conhecimento em nossa instituição", explica a reitora Soraya Smaili. “A Unifesp está entre as primeiras em número de trabalhos por pesquisador e a aquisição dos equipamentos contribuirá para mais pesquisa e inovação”.

Os laboratórios são resultado de investimentos feitos pela Unifesp, a partir de recursos da Fapesp, da Capes e do Ministério da Educação, no valor de R$ 5 milhões.

O evento contou com a presença da reitora da Unifesp, Soraya Smaili, do assessor especial da presidência da Capes, Manoel Cardoso, diretor científico da Fapesp, Carlos Henrique Brito Cruz, da diretora do Campus São Paulo, Rosana Puccini, do diretor da Escola Paulista de Medicina, Antonio Carlos Lopes, do superintendente do Hospital São Paulo, José Roberto Ferraro, além de pró-reitores, docentes, alunos e pesquisadores, e técnicos administrativos.