Equipe Assessoria de Imprensa

Ex-Libris SP

Alexandre Milanetti (16) 99783-4305
Denis Dana (11) 98726-2609
Jayme Brener
Pedro De Biasi

Telefone: (11) 3266-6088, ramal 208
E-mail: imprensa@unifesp.br


Sexta, 11 Fevereiro 2022 09:10

Projeto de extensão incentiva participação feminina na área das Exatas

Mulheres nas Exatas, do ICT/Unifesp, busca aumentar a representatividade feminina nas carreiras vinculadas à área das Exatas; no dia 11 de fevereiro, é celebrado o Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência

Por Lauren Steffen

Mulheres nas Exatas portal1

Incentivar a equidade de gênero e a participação de mulheres na área de ciência, tecnologia, engenharia e matemática é o objetivo principal do projeto que iniciou em 2018, sob a coordenação da professora Lilian Berton, do Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT/Unifesp) - Campus São José dos Campos. O projeto envolve ações de conscientização, difusão de conhecimento e tecnologia para alunos de universidades e escolas públicas de São José dos Campos (SP).

O projeto está alinhado a dois Objetivos de Desenvolvimento Sustentável promovidos pela ONU: a) Educação de qualidade: assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos; e b) Igualdade de gênero: alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

"Existe uma baixa representatividade feminina nas carreiras vinculadas à área de Exatas, as quais envolvem ciência, tecnologia, engenharia e matemática. Nos cursos superiores de tecnologia e engenharia, por exemplo, cerca de 30% dos alunos matriculados são mulheres, segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Isso leva a uma crise de diversidade na área de Tecnologia de Informação (TI) no que se refere a gênero", expõe Lilian.

A coordenadora do projeto foi a única mulher da sua turma a se formar no curso de Ciência da Computação em 2007. "Quando ingressei como docente no ICT/Unifesp, dez anos depois, percebi que ainda havia baixa participação feminina nos cursos de computação. Assim, acredito que introduzir as áreas de ciência e tecnologia para crianças e adolescentes também possa auxiliar a desmistificar e atrair mais mulheres para as Exatas", afirma a professora.

Lilian destaca também a importância da oferta de monitorias e programas que ajudem e motivem as alunas para evitar desistências, evasões e frustrações para que consigam vencer possíveis dificuldades no início da graduação.

Em 2021, uma discente bolsista, seis discentes voluntários e dois discentes colaboradores externos integravam o projeto. A iniciativa conta ainda com o apoio de parceiros externos: Programa Decolar da Prefeitura de São José dos Campos, empresa Dow Brasil e GT Mulheres nas Engenharias da Abenge (Associação Brasileira Educação em Engenharia).

Mulheres nas Exatas portal2

O projeto oferta diversos cursos de programação para alunos de escolas públicas de São José dos Campos. Em 2021, seis minicursos foram ministrados com o objetivo de difundir conceitos de computação e atrair os alunos para a área. "A programação é cada vez mais importante para entender o funcionamento de computadores e outros dispositivos eletrônicos, bem como proporcionar oportunidades de trabalho no ramo de Tecnologia da Informação (TI). Ela também ajuda a desenvolver a concentração, a criatividade, o raciocínio lógico e matemático", explica Lilian.

Além disso, também são realizadas palestras e atividades que colaborem no processo de empoderamento das mulheres na área das Exatas e na formação das futuras gerações. As palestras contam com a participação de estudantes e profissionais que já atuam na área, as quais compartilham suas experiências, visando reforçar a autoestima dos alunos e promover a socialização de conhecimento.

Em março de 2021, o projeto promoveu um evento no Dia Internacional da Mulher, intitulado Mulheres no Mercado de Trabalho: Carreiras e Desafios, o qual contou com palestrantes da área das Exatas. Os integrantes do projeto também participam de congressos e simpósios para divulgar a iniciativa. O projeto já rendeu publicações na forma de artigo e capítulos de livro.

Devido à pandemia, o projeto segue sendo desenvolvido de forma on-line. "Os minicursos e eventos ocorreram de maneira remota, por meio de plataformas como Google Meet e YouTube. O contato com os alunos colaboradores tem sido feito por meio de grupos no Whatsapp e via e-mail", relata Lilian.

O projeto já recebeu certificado de agradecimento e reconhecimento da Câmara de Vereadores e da Prefeitura de São José dos Campos pelos trabalhos prestados.

Acompanhe o projeto no Facebook e no Instagram @m_nasexatas.

Lido 1742 vezes Última modificação em Quarta, 16 Fevereiro 2022 11:23

Mídia