Terça, 16 Março 2021 07:55

Projeto Guarda-chuva avalia a saúde mental dos(as) estudantes da Unifesp

Pesquisas têm como objetivo a avaliação de sintomas e riscos para a oferta futura de ações de intervenção

Por Paula Garcia

Projeto Guarda chuva portal
(Imagem ilustrativa)

A saúde mental dos(as) universitários(as) é o foco de um projeto realizado no Instituto de Saúde e Sociedade (ISS/Unifesp) - Campus Baixada Santista. Cinco estudos derivados de uma única pesquisa avaliam os sintomas de depressão, ansiedade, estresse e risco de suicídio, além de comparar com o uso de drogas ilícitas e de álcool dos(as) estudantes, antes e durante o período de isolamento social ocasionado pela pandemia de coronavírus.

"A ideia do projeto ‘guarda-chuva’ surgiu antes da pandemia de covid-19, em decorrência da constatação da necessidade de conhecimento dos dados relativos à saúde mental dos(as) estudantes universitários(as) no Campus Baixada Santista da Unifesp, com posterior oferta de intervenções específicas. No entanto, em decorrência da pandemia, foi necessário readequar os trabalhos para a versão on-line e submissão de emendas aos projetos que já haviam sido aprovados pelo Conselho de Ética em Pesquisa e Conselho Nacional de Ética em Pesquisa”, explica a coordenadora do projeto, Adriana Marcassa Tucci, docente do ISS/Unifesp, psicóloga de formação, com mestrado e doutorado em temas relacionados à saúde mental.

Todo o projeto tem uma metodologia quantitativa e a coleta de dados foi dividida em dois momentos distintos: antes da suspensão das aulas devido à pandemia (primeira quinzena de março de 2020) e durante a pandemia (com o questionário ainda disponível, de modo virtual, para a coleta de dados). Na primeira fase (antes da pandemia), 165 estudantes responderam o questionário presencialmente, sendo que 100 desses(as) foram reavaliados(as) na segunda fase, no comparativo dos estudos 1, 2 e 3 (tabela abaixo).

Sobre o padrão do uso de álcool, o questionário ainda está ativo para respostas e a intervenção para aqueles(as) que apresentem problema com esse uso está sendo desenvolvida (estudos 4 e 5 da tabela). A intervenção breve, por via remota, para aqueles(as) que apresentarem sintomas moderados de depressão e/ou risco de suicídio durante a pandemia, também está em fase de desenvolvimento.

Os(as) interessados(as) em participar da pesquisa podem responder de maneira remota o questionário, acessando aqui.

Lido 853 vezes Última modificação em Segunda, 22 Março 2021 09:05

Mídia