Quarta, 03 Março 2021 16:31

Unifesp recebe certificado internacional na área da Educação Baseada em Evidências

Os trabalhos realizados pela universidade na área foram reconhecidos e condecorados pela BEME

Por Juliana Cristina

Imagem do certificado recebido pela Unifesp
Imagem do certificado recebido pela Unifesp

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) recebeu, no dia 25 de fevereiro, o Certificado de Apreciação da Best Evidence Medical and Health Professional Education (BEME), concedido como reconhecimento pelos trabalhos realizados na área da educação baseada em evidências em um ano como Centro Internacional de Colaboração (BICC).

Mesmo sendo um centro relativamente novo, o BICC-BEME-Unifesp foi reconhecido em função do extenso trabalho dos pesquisadores da instituição, tanto em relação à revisão de materiais para publicação quanto na disseminação interna e para a sociedade, fornecendo uma visão de ir além da saúde baseada em evidências e educar, também, baseado nas melhores evidências.

Em março de 2020, a Unifesp foi selecionada para integrar um dos dezessete centros internacionais de colaboração da BEME, sendo a primeira e única BICC-BEME do Brasil, ao lado de países como Inglaterra, Canadá, Irlanda e Estados Unidos. Desde então, a universidade vem executando um intenso trabalho acerca da prática educacional baseada em evidências. “Somos um dos centros que realizam atividades buscando melhores práticas educacionais na saúde. Esse mês completou um ano que somos BICC-BEME e recebemos esse certificado, mostrando que nossas atividades foram bem vistas nos demais Centros Internacionais”, comenta Lia Azeredo Bittencourt, coordenadora responsável pelas atividades.

Bittencourt, que também é docente e pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, aponta que, nesse período, foram cadastrados 20 docentes e cerca de 30 alunos de graduação e pós-graduação da Unifesp. Além disso, o grupo está realizando a revisão de um protocolo internacional e submeteu diversos protocolos nacionais para que fossem avaliados. Estão sendo também traduzidos três Guias BEME para a Língua Portuguesa e foram realizados dez eventos, entre aulas e webinários, e dois workshops, com o intuito de divulgar a metodologia BEME para que docentes e discentes aprendam a fazer educação e saúde baseada em evidência e aplicar em suas aulas e estudos melhores métodos para aprendizado na área de saúde. Bittencourt salienta, ainda, que o forte trabalho com educação e revisão de literatura de sua vice-coordenadora, e docente da Unifesp, Maria Stella Peccin também é parte essencial para o sucesso do BICC-BEME-Unifesp.

“Ficamos bem felizes por termos conseguido trabalhar mesmo na pandemia, à distância, e esse certificado é motivo de grande alegria, além do orgulho de mostrar que na Unifesp temos um time de professores que já está aplicando essas práticas para ensinar seus alunos de diversas áreas de saúde, assim como também temos estudantes que já desenvolvem as práticas educacionais com qualidade. Ficamos muito felizes, porque é um reconhecimento da qualidade do nosso ensino”, celebra Bittencourt.

Lido 360 vezes Última modificação em Segunda, 08 Março 2021 15:11

Mídia