Quarta, 02 Outubro 2019 13:32

Realizada segunda audiência Diálogo público Juventude e Suicídio

Seminário criado pela Câmara dos Deputados promove audiências públicas sobre a temática do suicídio entre jovens
 

 MG 8717
Da esq. à dir. Anderson Mendes, Sheila Cavalcante, Neury Botega, Guilherme Melles, Anderson Rosa e Tábata Amaral

O seminário Juventude e Suicídio: Acabe Com Essa Ideia promoveu, na sexta-feira (27/9), audiência pública no Anfiteatro da Reitoria a fim de debater ideias e acolher sugestões sobre a temática do suicídio entre jovens, com o intuito de ampliar a agenda legislativa. O evento contou com a presença da deputada federal Tabata Amaral, os psiquiatras Sheila Cavalcante Caetano e Jair Mari (EPM/Unifesp) e Neury José Botega (Universidade de Campinas – Unicamp), do fundador do Instituto Gente Feliz, Anderson Mendes, do administrador da fanpage Quebrando o Tabu, Guilherme Melles, e do Pró-Reitor de Assuntos Estudantis, Anderson Rosa. 

A deputada agradeceu aos docentes pela participação e à comunidade da Unifesp por ter cedido o espaço da universidade para a realização do evento. “Tomei essa iniciativa, pois essa é uma das questões mais importantes quando a gente fala de juventude, saúde e oportunidades. O suicídio é segunda causa de mortes entre jovens no mundo todo, e se tivéssemos entendido o que significa esse número estar à frente de causas como guerras, fome e outras catástrofes, estaríamos agindo com muito mais força”, alerta. ´

O pró-reitor de Assuntos Estudantis, Anderson Rosa, lembrou aos convidados presentes as ações desenvolvidos pelos Núcleos de Assistência Estudantil (NAEs), órgãos multiprofissionais de apoio aos estudantes, localizados em cada campus da Unifesp e vinculados às políticas da PRAE. “Esses núcleos disponibilizam psicólogos em todos os campi para atender os estudantes em situação de fragilidade emocional”, complementa. Ele citou, também, o Serviço de Saúde do Corpo Discente (SSCD), conjunto de ações voltadas à saúde do estudante que visam contribuir com a sua permanência e consequente conclusão de curso, e o Centro de Atenção à Saúde Mental (CAISM), que oferece assistência à saúde no atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), sendo um espaço para o desenvolvimento acadêmico de graduandos, pós-graduandos e residentes médicos e multiprofissionais.

Jair Mari, professor titular e chefe do Departamento de Psiquiatria, trouxe dados sobre as medidas mundiais sobre as principais doenças que levam à incapacitação de jovens e adultos no mundo todo. “São dados confirmados em 2017 pela diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan. Nunca imaginei, como psiquiatra, que a depressão [junto com o câncer] seria o problema mais importante da atualidade”. O médico abordou dados já publicados sobre o assunto, que revelam que 71% das mortes violentas entre mulheres devem-se ao suicídio, e que a depressão é ainda o segundo principal motivo de mortes entre os jovens.

Os demais palestrantes reforçaram dados que revelam a relação entre juventude e depressão. Botega discorreu sobre a impulsividade natural dos jovens. “O adolescente não tem um cérebro maduro para ponderar os fatos. Do jeito que bate a dor, ele reage, e essa maneira de lidar com a dor precisa de palavras, precisa que seja trabalhada a capacidade de lidar com as frustrações, chamada, hoje, de resiliência”, ponderou. A psiquiatra Caetano, por sua vez, discorreu sobre os modelos existentes para explicar os motivos pelos quais um jovem ou adulto tenta suicídio. “É comum pensarmos que, para chegar nesse ponto, a pessoa apresenta antes um transtorno psiquiátrico. Porém, também pode vir de eventos traumáticos na vida, como abuso físico, moral e sexual. A impulsividade e a agressividade são inerentes à formação entre os adolescentes, saudável para que possam explorar o mundo longe dos pais. Mas essa combinação os torna extremamente vulneráveis quando essas características se aliam à depressão”, explica.

Sobre o Diálogo Público Juventude e Suicídio: Acabe Com Essa Ideia

O Seminário “Juventude e Suicídio: acabe com essa ideia” promoveu audiências públicas em Brasília (24/9), São Paulo (27/9) e Macapá (25/10) a fim de ouvir as necessidades da população, debater ideias e acolher sugestões sobre a temática do suicídio entre jovens com o intuito de ampliar a agenda legislativa. O projeto consiste na realização de reuniões em diferentes espaços, com a participação de mandatários e de representantes dos diversos segmentos da sociedade, além de especialistas em saúde pública e juventude. Durante as reuniões, serão promovidos debates a fim de explicitar as demandas que pautam a atuação parlamentar sobre a temática discutida. Para mais informações, clique aqui.

 MG 8344 MG 8552
 MG 8586 MG 8272
Da esq. à dir.: os psiquiatras Jair Maria e Sheila Cavalcante; o pró-reitor de assuntos estudantis Anderson Rosa e a deputada federal Tábata Amaral.
 

Fotos: Alex Reipert

 

Lido 924 vezes Última modificação em Quinta, 10 Outubro 2019 11:38

Mídia