Segunda, 03 Junho 2019 19:38

Mário Sergio Cortella abre o V Congresso Acadêmico Unifesp

Cerimônia também marcou o lançamento dos novos canais de comunicação dos 25 anos da instituição 

Por José Luiz Guerra

V Congresso Acadêmico Unifesp teve início na manhã de 3 de junho
V Congresso Acadêmico Unifesp teve início na manhã de 3 de junho

Na manhã da segunda-feira (3/6), a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) iniciou a quinta edição do seu Congresso Acadêmico. O evento faz parte das comemorações dos 25 anos da instituição e reúne todas as ações de graduação, pós-graduação e extensão da universidade. As atividades terão continuidade nos dias 4, 5 e 6 de junho em todos os campi.

A mesa de abertura foi composta pela reitora da Unifesp, Soraya Smaili, pela presidente do V Congresso Acadêmico Unifesp, Ieda Maugeri, pelas pró-reitoras de Extensão, Raiane Assumpção, de Graduação, Isabel Quadros, e de Pós-Graduação, Lia Bittencourt, e pelo presidente da Associação Fundo de Incentivo à Pesquisa (Afip), Sergio Tufik.

Ieda Maugeri abriu a solenidade dizendo sobre a satisfação em poder ser a presidente do congresso no ano em que a universidade celebra seus 25 anos e relembrou as edições anteriores. “Neste momento de incertezas na educação, conseguir realizar o V Congresso Acadêmico é uma conquista e nos dá a certeza de que ele está consolidado”, afirmou.

A presidente lembrou que o congresso engloba diversas ações que eram realizadas de forma separada, como o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic), o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), voltados à graduação, e o Fórum Integrado de Pesquisadores (FIP), relativo à pós-graduação. “Queremos formar profissionais com visão mais abrangente, que possam atuar em diversas frentes”, disse. Ieda também ressaltou a quantidade de inscritos no congresso, mais de 3,5 mil pessoas, e do número de trabalhos apresentados, cerca de 1,5 mil.

“Faço parte dessa comunidade. Toda a formação que recebi, devo à Unifesp e tenho muito para retribuir”, disse Sergio Tufik, presidente da Afip, patrocinadora máster das atividades de 25 anos da Unifesp. Ele falou da importância da educação na mudança do país e citou o exemplo da Coreia do Sul, que se tornou um país de ponta devido a um choque educacional. “A Unifesp tem muito a oferecer para o Brasil, em especial no campo da pesquisa, onde temos pessoas reconhecidas internacionalmente. Se colocarmos nossas posições e propostas, vamos construir um grande país”, afirmou.

Soraya Smaili iniciou seu discurso afirmando que o congresso é mais uma oportunidade de reforçar o lema universidade pública, conhecimento público, afirmando que os 25 anos da Unifesp são um momento de celebrar uma universidade que oferece conhecimento à população. “Somos uma universidade nova, com campi em diversas áreas do conhecimento, e que alcançamos patamares que talvez não acreditaríamos”.

A reitora reforçou a importância da instituição utilizando os recentes indicadores: conceito máximo (5) no recredenciamento do Ministério da Educação (MEC), primeira colocação no ranking da Times Higher Education entre as universidades brasileiras, nos quesitos de redução de desigualdades e promoção do bem estar, forte atuação na formação de professores para a educação básica, alta qualidade do corpo docente da instituição, com 97% deles doutores, além de possuir mais de 60% dos alunos de graduação provenientes das classes sociais mais vulneráveis. Ela agradeceu, por fim, aos participantes do congresso, reproduzindo palavras de incentivo da poetisa Violeta Parra.

Após a mesa de abertura, o diretor do Departamento de Comunicação institucional (DCI/Unifesp), Walter Lima, apresentou os novos canais de comunicação da instituição: o portal e o aplicativo dos 25 anos e a série de documentários Universidade Pública, Conhecimento Público. Conheça os canais, clicando aqui.

Conferência de Mário Sergio Cortella

Mário Sergio Cortella, durante conferência de abertura do V Congresso Acadêmico Unifesp, no teatro Marcos Lindenberg
Mário Sergio Cortella, durante conferência de abertura do V Congresso Acadêmico Unifesp, no teatro Marcos Lindenberg

Logo em seguida, o filósofo e professor universitário Mário Sergio Cortella fez a conferência de abertura intitulada Gestão do conhecimento: um desafio necessário. Com o Teatro Marcos Lindenberg lotado, o filósofo explicou da relevância social da universidade pública para a sociedade, atribuindo a ela a produção do conhecimento como uma ferramenta para promoção da qualidade social. “Para reduzirmos as desigualdades, é necessário elevarmos o conhecimento”, afirmou. Segundo ele, os resultados da produção científica das universidades públicas, aplicados em ações que beneficiam a população, nada mais é do que o retorno do financiamento feito pelas pessoas, por meio do pagamento de impostos.

Citando trechos da Bíblia, de filmes como o E.T. - O Extraterrestre, dirigido por Steven Spielberg, e frases de pensadores como Paulo Freire, Darcy Ribeiro e Francis Bacon, Cortella fez uma comparação entre o sonho e o delírio, o primeiro, que pode ser realizado, e o segundo, que fica apenas no imaginário. Para alcançar os sonhos, no entanto, Cortella alerta que é preciso “fazer por merecer”, usando as palavras do Capitão John H. Miller, interpretado por Tom Hanks, no filme O Resgato do Soldado Ryan, também dirigido por Spielberg, ao soldado James Francis Ryan.

Sobre o V Congresso Acadêmico e os 25 anos da Unifesp, Cortella se disse honrado pelo convite e de poder estar em uma universidade que conhece desde quando ainda era a Escola Paulista de Medicina. “Temos que fazer com que a Unifesp ganhe mais relevância, devolvendo a sociedade o que ela nos oferece. Conhecimento e afeto, se guardados, se perdem”, finalizou.

 Fotos: Alex Reipert

 

Lido 2956 vezes Última modificação em Sexta, 14 Junho 2019 10:30

Mídia