Quinta, 22 Outubro 2015 15:44

Unifesp realiza encontro sobre humanização

Instituição criou núcleo para centralizar e promover as ações na universidade

O Núcleo Humanizar da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizou no último dia 20 de outubro, no Teatro Marcos Lindenberg, o 1º encontro “A Semente está Lançada”. Voltado para toda a comunidade acadêmica, o evento teve como objetivo, estimular e valorizar a criatividade, a convivência e a vida saudável dos servidores. Estiveram presentes cerca de 100 pessoas no local, e com transmissão ao vivo via intranet.

Na mesa de abertura, o diretor superintendente do Hospital São Paulo, Hospital Universitário da Unifesp (HSP-HU/Unifesp), José Roberto Ferraro, agradeceu o convite e afirmou que existem diversas maneiras de realizar as missões propostas no contexto de um mundo cheio de dificuldades, mas que nem sempre se faz de forma tão humana. “Humanizar não precisa planejamento, apenas mudança de atitude”. O superintendente falou também dos diversos grupos de humanização já existentes no HSP-HU/Unifesp e do pioneirismo da instituição neste tipo de trabalho. “Esperamos que todos mudemos nossas atitudes no sentido de humanizar e parabenizo a Unifesp por lançar essa semente”, completou.

A vice-diretora da Escola Paulista de Enfermagem (EPE), Maria Magda Gomes Baleeiro, ressaltou a importância de se trabalhar com a humanização. “Na saúde temos utilizado esse conceito no sentido de ver o outro na sua integralidade, personalizando a assistência ao paciente”. Já a diretora da Escola Paulista de Medicina (EPM), Emília Sato, apontou que a humanização deve ser ensinada dentro de casa, contribuindo com a formação do indivíduo. Emília citou também o grupo de humanização Habraços, criado por Afonso Carlos Neves e que leva, por meio de estudantes de medicina, abraços aos pacientes internados. “Temos que aprender a ouvir um pouco mais as pessoas, mas nem sempre na correria fazemos dessa forma”, disse ela.

Rosana Puccini, diretora do Campus São Paulo afirmou que a atividade assistencial sempre impulsiona o indivíduo no pensar e no agir. “Na área da saúde, o próprio dia a dia faz com que esse pensar seja mais presente, pois nós lidamos com o outro, com o sofrimento, com a morte, com a dor e com as dificuldades”. Para ela a concepção de que o paciente que está em atendimento tem uma história muda a forma de lidar com as pessoas.

Finalizando a mesa, a reitora Soraya Smaili ressaltou os grupos de humanização já existentes na instituição e a intenção do grupo recém criado em reunir todos eles. “Nós estamos aqui para aprender com os grupos que estão fazendo humanização e que nós precisamos juntar toda essa força e fazer com que sejamos um grupo não só voltado ao paciente, mas também usarmos essa experiência com os que fazem esse trabalho há tantos anos na instituição para fazermos para nós mesmos”. Para Soraya, a semente da humanização deve se espalhar por toda a universidade, beneficiando a todos.

Após a mesa de abertura, os membros do Núcleo de Humanização Rosileide Pinheiro (Leda), Arthur Sapia e Acary S. B. de Oliveira fizeram uma apresentação a respeito do papel do núcleo. Em seguida, o professor da disciplina de Anatomia Descritiva e Topográfica, Luiz G. Alonso, falou sobre o tema “Humanizando as relações”. Logo após, o cantor Ricardo Costa e Cristina Rocha, funcionária do setor de Hotelaria do HSP-HU fizeram uma apresentação musical com o tema “Espelho inverso, além dos nossos reflexos”. Mais tarde, o terapeuta ocupacional Wilson Cezar Garves fez uma dinâmica com a plateia relacionada a Respiração para uma comunicação mais humana. Ao final da dinâmica, o jornalista Renato Conte mediou um diálogo com membros da plateia que falaram sobre suas experiências em humanização.

Já no período da tarde, estudantes da Escola Paulistinha de Educação os membros do Núcleo dos Aposentados da Unifesp e a comissão organizadora, se juntaram para uma caminhada no entorno do quarteirão do Hospital São Paulo, com destino a Praça Viva, onde as crianças e os idosos participaram de uma atividade de cultivo de mudas com o jardineiro e paisagista Beto Mancini.

O evento contou também com a apresentação do coral do Hospital São Paulo, regido pelo maestro Eduardo Fernandes.

Humanizacao.JPG

HumanizacaoA.JPG

HumanizacaoB.JPG

HumanizacaoC.JPG

 

 

Lido 8264 vezes Última modificação em Quarta, 18 Novembro 2015 14:13

Mídia