Sexta, 26 Mai 2023 18:53

Nova diretoria da EPM/Unifesp toma posse

Por José Luiz Guerra
 
Na manhã de hoje, 26 de maio, a nova diretoria da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/Unifesp) - Campus São Paulo, composta por Magnus Dias e Marimélia Aparecida Porcionatto, respectivamente diretor e vice-diretora da entidade, para cumprimento de um mandato de quatro anos.
 
Compuseram a mesa de abertura do evento, além de Silva e Porcionatto, a  reitora pro tempore da Unifesp, Raiane Assumpção, a diretora de Desenvolvimento da Rede de Instituições Federais de Ensino Superior do MEC, Tania Mara Francisco (representando o ministro da Educação, Camilo Santana), o diretor do Campus São Paulo, Ramiro Azevedo, o ex-diretor da EPM/Unifesp, Fulvio Scorza, e o professor emérito da disciplina de Endocrinologia do Departamento de Medicina da EPM/Unifesp, Rui Maciel.

Autoridades e membros da comunidade acadêmica participaram da solenidade
Autoridades e membros da comunidade acadêmica participaram da solenidade

A solenidade contou com a presença de pró-reitores(as), diretores(as) de campi e de departamentos, ex-reitores(as), parlamentares, autoridades da comunidade externa, além de servidores(as) docentes, técnicos(as) administrativos(as) em educação, estudantes e familiares dos(as) componentes da mesa. Houve também uma apresentação do Coral Unifesp.

Coral Unifesp se apresentou durante a cerimônia de transmissão de cargo
Coral Unifesp se apresentou durante a cerimônia de transmissão de cargo

Fulvio Scorza, ex-diretor da EPM/Unifesp, que encerrou sua gestão na ocasião da cerimônia, agradeceu aos(as) presentes e iniciou seu discurso celebrando o fato de estar completando 30 anos de trabalho na EPM/Unifesp em 2023, mesmo ano no qual a instituição completa 90. Ele agradeceu, emocionado, pelas inúmeras mensagens de agradecimento que recebeu. “No nível mais profundo de gratidão, quero dizer obrigado e isso significa que estou obrigado, vinculado a vocês, e sempre à disposição quando for chamado”. Scorza foi eleito vice-diretor em 2019, na chapa encabeçada por Manoel Girão, e assumiu o cargo de diretor em 2021, após o falecimento de Girão, vítima de complicações da covid-19. “Tive o privilégio de conviver com ele durante muitos anos e aprendi a respeitá-lo e admirá-lo ainda mais após trabalhar diretamente com ele”.
 
O ex-diretor agradeceu, nominalmente, a todos(as) os(as) servidores(as) e colaboradores(as) com os quais trabalhou, ao professor titular da disciplina de Infectologia, Arnaldo Colombo, que foi seu vice no restante do mandato, ao diretor da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), ao diretor-superintendente do Hospital São Paulo, hospital universitário da Unifesp, Nacime Salomão Mansur, aos(as) pró-reitores(as) e à sua esposa e também docente da EPM/Unifesp, Ana Claudia Fiorino. Aos(as) novos(as) diretores(as) da EPM/Unifesp, disse ser um privilégio participar da cerimônia, desejando sucesso na nova trajetória. “É muito tranquilo passar essa diretoria para vocês, tendo certeza de que vocês lutarão por uma universidade plural e democrática, pois assim deve ser a universidade pública”, completou.
 
Em seu discurso, Rui Maciel fez a apresentação de Magnus Dias e Marimélia Porcionatto, falando sobre o currículo acadêmico dos(as) novos(as) diretores(as), relembrando suas trajetórias e importância de suas contribuições para a ciência. Maciel, que foi orientador de doutorado de Magnus Dias, desejou sucesso à nova direção. “Parabéns pela carreira e sejam bem-vindos(as). Muito trabalho os(as) esperam, para que, juntamente com a reitora e demais gestores(as), continuem a levar nossa instituição pelo caminho da excelência e da oportunidade”.  
 
Bastante emocionada, Marimélia Porcionatto iniciou seu discurso destacando ser uma alegria assumir o cargo de vice-diretora da EPM/Unifesp, ao lado de Magnus Dias, no ano em que a EPM/Unifesp completa 90 anos e lembrou a trajetória da instituição, desde a sua fundação, passando pela transformação da escola em universidade, em 1994, até os dias atuais, com a instituição organizada em uma estrutura multicampi. A nova vice-diretora destacou a importância das mulheres na ciência brasileira e nos principais cargos de gestão da Unifesp e ressaltou que a instituição já foi palco de muitas lutas. “Os últimos anos não foram fáceis. Perdemos pessoas queridas, enfrentamos uma pandemia, combatemos o negacionismo, o descaso com a ciência, com a educação e com a saúde. Hoje o cenário está mais favorável às necessárias reconstruções, mas ainda teremos muitas lutas pela frente. Racismo, homofobia, transfobia, assédio de todas as formas não serão tolerados e deverão ser fortemente combatidos. Queremos uma escola unida, e que todas as vozes sejam ouvidas, prezando sempre pelo diálogo, transparência nas ações, estreitando as relações intra e extramuros”. A docente apontou ainda que a nova direção tem ciência dos desafios postos para os próximos quatro anos e que trabalharão muito pela instituição.

Marimélia Porcionatto durante discurso de posse
Marimélia Porcionatto durante discurso de posse
 
Em seu discurso de posse, o diretor eleito agradeceu a presença de seus familiares, amigos(as), servidores(as), ex-reitores(as), estudantes, parlamentares demais autoridades e dedicou seu discurso de posse a Aécio Flávio Teixeira de Góis, professor da disciplina de Medicina de Urgência e Medicina Baseada em Evidências do Departamento de Medicina da EPM/Unifesp, falecido em 2022. Citando a "árvore de boa semente plantada”, palavras proferidas pelo poeta Guilherme de Almeida por ocasião da inauguração do Hospital São Paulo, Silva lembrou dos 90 anos da EPM/Unifesp, completados em 2023. Magnus apontou alguns dos principais momentos da instituição ao longo desses anos, como a federalização e criação da residência médica, em 1956, a criação dos primeiros programas de pós-graduação, nos anos 1970, a criação da Unifesp, em 1994 e a fundação do primeiro campus da expansão, em 2006. Nos anos mais recentes, destacou a implantação da política de cotas, o acordo entre Unifesp e SPDM para gestão do Hospital São Paulo - Hospital Universitário da Unifesp, a criação do NúcleoTrans, o início das atividades do Hospital Universitário II, a construção da política Carolina Maria de Jesus de promoção a equidade racial e combate ao racismo.

O novo diretor da EPM/Unifesp, Magnus Régios (em destaque), na mesa principal da cerimônia
O novo diretor da EPM/Unifesp, Magnus Dias (em destaque), na mesa principal da cerimônia

Sobre a missão da nova diretoria, destacou a necessidade de zelar pela formação de profissionais cidadãos, promoção da saúde mental, compromisso com a educação e saúde pública e de qualidade. “A escola precisa assumir o papel crítico e social para a criação de conhecimento técnico e científico, apoiando toda a sociedade e buscando saúde e bem-estar para o nosso povo”. O diretor destacou, por fim, que a transmissão de cargo celebra a construção de novos caminhos e convidou a todos(as) a se juntarem nessa trajetória.
 
Ramiro Azevedo saudou os(as) novos(as) diretores(as), lembrando que, apesar dos problemas que possam se apresentar ao longo do processo, podem contar com o apoio da comunidade que, nas dificuldades, sempre trabalhou para apresentar as soluções. “Podemos não concordar em tudo, mas com certeza faremos, juntos, um grande futuro. Tania Mara Francisco, por sua vez, lembrou o momento de união e reconstrução pelo qual o país atravessa e destacou que o compromisso e os objetivos do Ministério da Educação com a universidade são permanentes. “Queremos ver a EPM/Unifesp crescendo cada vez mais e desejo, em nome do ministro, Camilo Santana e da secretária de Educação Superior, Denise Pires de Carvalho, muito sucesso, sabedoria, força e felicidade”, completou.

Reitora pro tempore, Raiane Assumpção, duscursou no encerramento da cerimônia
Reitora
pro tempore, Raiane Assumpção, duscursou no encerramento da cerimônia

Finalizando a solenidade, a reitora pro tempore, Raiane Assumpção, agradeceu, inicialmente, ao ex-diretor, Fulvio Scorza, por assumir a instituição em um momento difícil, após o falecimento de Manoel Girão, às pessoas que ajudaram na construção da EPM/Unifesp, desde a sua fundação até os tempos atuais, os(as) ex-reitores(as), pró-reitores(as) e diretores(as) de campi, comunidades científicas e gestores(as) das universidades públicas paulistas. Raiane agradeceu também os(as) membros do Governo Federal e parlamentares pelo apoio dado à Unifesp. “Tenho o prazer de participar da posse da nova direção da EPM/Unifesp. Essa composição nos engrandece muito, mas, falo do Magnus por ter tido o prazer de ter sido, ao seu lado, pró-reitora de Extensão e Cultura da Unifesp durante quatro anos, na gestão da professora Soraya Smaili, e tudo o que ele disse em seu discurso pode ser visto nas suas práticas do dia a dia”. A reitora pro tempore lembrou que a universidade tem um enorme desafio e que a universidade está em permanente transformação, pois só assim é possível corresponder à missão institucional de produzir conhecimento e responder às demandas da sociedade. “Coloco a gestão da Unifesp à disposição de vocês para a realização desse processo coletivo. Fazendo juntos, faremos melhor”, finalizou.

Para conferir o vídeo completo da cerimônia de transmissão de posse, clique aqui.


Fotos: Alex Reipert

Lido 1749 vezes Última modificação em Segunda, 04 Setembro 2023 21:36

Mídia