Quarta, 29 Setembro 2021 08:47

Política Institucional de Internacionalização da Unifesp entra em vigor

Documento será importante para o fortalecimento das ações da universidade na pesquisa, ensino, extensão e inovação

Entrou em vigor, no dia 1.º de outubro, a Política Institucional de Internacionalização da Unifesp. Descrita como política transversal no Regimento Geral da universidade, ela foi aprovada pelos membros dos conselhos da pós-graduação e pesquisa, da graduação e da extensão e pelo Conselho Universitário (Consu). A resolução que dispõe sobre a política, cujas diretrizes, princípios e fundamentos para a sua construção e implementação seguem o Plano Pedagógico Institucional (PPI) e o Plano Desenvolvimento Institucional (PDI), pode ser consultada na íntegra aqui.

Dentre as metas institucionais de internacionalização da Unifesp estabelecidas pelo documento estão: a necessidade de construção de um perfil preciso das dinâmicas de internacionalização da instituição; o fortalecimento e expansão das suas ações de cooperação; a consolidação de sua visibilidade no cenário internacional, tendo em vista os seus interesses estratégicos de colaboração; a definição de metas para a promoção de programas de mobilidade docente, discente e de técnicos(as); e o desenvolvimento de uma política linguística e de um currículo internacionalizado, que valorize a diversidade cultural e uma cidadania global crítica.

De acordo com a professora Karen Spadari Ferreira, secretária de Relações Internacionais da Unifesp, a Política Institucional de Internacionalização será importante para o fortalecimento das ações da universidade na pesquisa, no ensino, na extensão e na inovação não somente para a comunidade interna, mas também ao alcance de todos e todas, de maneira nacional e internacional.

"Vale ressaltar que nossa política de internacionalização tem como principal diretriz o desenvolvimento sustentável e está em consonância com a Agenda 2030 da ONU. Ainda, podemos destacar que, a partir de nossas ações e estratégias de internacionalização, temas convergentes e transversais poderão contribuir mais a cada dia para a formatação de políticas públicas, levando ao interesse de novos parceiros internacionais, bem como o interesse de estrangeiros em fazerem parte da Unifesp", ela sugere.

 

Lido 552 vezes Última modificação em Quarta, 20 Outubro 2021 14:26

Mídia