Quinta, 19 Agosto 2021 10:32

Projeto desenvolvido por ex-alunos da Eppen/Unifesp está na final do Geneva Challenge 2021

Concurso promovido pelo Instituto Universitário de Genebra premiará cinco propostas (uma de cada continente)

Por Juliana Cristina

Geneva Challenge 2021 portal
Reunião virtual da equipe responsável pelo projeto

Um projeto desenvolvido por ex-alunos da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios (Eppen/Unifesp) - Campus Osasco está na final do Geneva Challenge 2021. Intitulado Motirõ São Paulo: the Learning Network for Crisis Response, a proposta elaborada por Jefferson Luís da Silva, Mariana Gomes, Maurício Doro, Vinícius Cássio e Jéssica Giani, atualmente mestrandos de Relações Internacionais e Economia, foi selecionada para a última fase do Desafio Internacional de Metas de Desenvolvimento para Estudantes de Pós-Graduação “THE GENEVA CHALLENGE 2021: The Challenges of Crisis Management” (DESAFIO GENEBRA 2021: Os Desafios da Gestão de Crises). O projeto foi escolhido como um dos cinco finalistas, classificado entre 269 equipes de todo o mundo.

O concurso realizado anualmente, desde 2014, pelo Instituto Universitário de Altos Estudos Internacionais (The Graduate Institute Geneva), em Genebra, Suíça, tem como objetivo estimular estudantes de pós-graduação ao redor do mundo a pensarem de maneira interdisciplinar em soluções inovadoras para o desenvolvimento humano acerca de questões contemporâneas relevantes, tal como o “Enfrentamento de Crises”, proposto na edição de 2021.

“O desafio consistia em que propuséssemos uma política pública com vistas a ‘enfrentamento de crises’, o que nos demandou capacidades analíticas, críticas e cooperativas. A tarefa, executada a ‘dez mãos’, propiciou que combinássemos nossas características e habilidades individuais, de modo a realizar um trabalho conjunto, harmonioso e de boa qualidade”, expõe Jefferson Luís da Silva.

Mariana Gomes explica que o projeto, iniciado em março deste ano, propõe uma Rede Paulista para Gestão de Crises, focada no empoderamento de lideranças comunitárias para monitorar, gerir, responder e disseminar informações sobre crises em nível local.

Para a etapa final foram selecionadas cinco equipes, uma de cada continente (universidades localizadas na África, Ásia, Europa, América do Norte/Oceania e América do Sul) para se apresentarem diante do Painel do Júri e, na cerimônia, serão escolhidos os vencedores e entregues os prêmios às equipes. O projeto vencedor receberá CHF 10.000 Francos Suíços. Além disso, duas equipes serão classificadas para ocuparem o segundo lugar e, cada uma, receberá CHF 5.000 Francos Suíços; da mesma maneira, outras duas equipes terão seus projetos escolhidos em terceiro lugar e essas receberão CHF 2.500 Francos Suíços.

“A criação dessa proposta é consequência da nossa capacidade analítica desenvolvida na Eppen/Unifesp e representa o projeto de uma universidade pública nacional. A classificação para a semifinal é razão que muito nos alegra e que revela, em certo sentido, a potência da ciência e da educação brasileiras, dada a vastidão de universidades de excelência que participam anualmente do desafio”, comenta Maurício Doro.

Lido 1147 vezes Última modificação em Segunda, 20 Setembro 2021 11:23

Mídia