Quinta, 25 Junho 2020 11:14

Projeto A Cor da Rua realiza ações para grupos vulneráveis durante a pandemia

Atuante desde 2010, iniciativa está reorganizando suas atividades de auxílio à população em vulnerabilidade social

Por Juliana Cristina

Versão Portal A Cor da Rua

O projeto de extensão universitária A Cor da Rua é promovido pela Escola Paulista de Enfermagem (EPE/ Unifesp) e coordenado pela docente do Departamento de Saúde Coletiva Carmen Lúcia Albuquerque de Santana. Ele tem parceria com a Escola Politécnica e o Departamento e Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), o Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto e a organização não governamental Apoio. Iniciado em 2010, o projeto propõe aos estudantes uma formação cidadã, técnica e política a partir da produção e democratização do conhecimento por meio de “metodologias participativas”, as quais estimulam a relação de troca entre universidade e sociedade, pensando sempre na interação entre diferentes atores sociais.

Suas ações, realizadas na praça da Sé, praça Armênia e Complexo Boracéia, são desenvolvidas em conjunto com movimentos sociais e entidades da sociedade civil, em prol da população em contextos de vulnerabilidade social, sobretudo pessoas em situação de rua, moradores de ocupações, imigrantes e refugiados. A atuação de profissionais da rede SUS (Sistema Único de Saúde) e SUAS (Sistema Único de Assistência Social) tem o intuito de qualificá-los para que desenvolvam atividades de participação social, orientação, promoção e proteção à saúde mental na comunidade, bem como desenvolver práticas de cuidado à saúde mental dos grupos mais vulneráveis, as quais incluem estratégias de integração em rede e uma plataforma de desenvolvimento de recursos humanos on-line que auxilia não especialistas no estabelecimento de intervenções psicossociais voltadas a grupos em situação de rua.

Diante do atual cenário de pandemia, os responsáveis e voluntários envolvidos no projeto estão reorganizando suas ações para que possam atender aos grupos vulneráveis de maneira efetiva. Para isso, além de terem transferido algumas de suas atividades para o formato virtual, o A Cor da Rua tem realizado o matriciamento e interconsulta para equipes de consultório na rua, apoio terapêutico on-line, articulação entre uma rede de doações de universidades públicas e privadas, diálogos virtuais com lideranças da população em situação de rua e de movimentos sociais de luta por moradia, além de atuar como ponte entre essas lideranças para que sejam realizadas entregas de materiais de higiene e alimentos (cestas básicas e/ou marmitas). Os responsáveis apontam: “A crise relacionada à covid-19 tem nos permitido incorporar novas tecnologias às ações do projeto, fortalecido laços de confiança e proporcionado oportunidades de aprimorar a formação cidadã, técnica e política dos participantes".

O projeto A Cor da Rua, ainda, se coloca como espaço de denúncia, realizadas por pessoas em situação de rua e trabalhadores SUS e SUAS, para a Defensoria Pública (DP) e para o Ministério Público (MP). É possível conhecer mais sobre o trabalho na página.

ProjetoACorDaRUA
Doação de quatro mil máscaras de TNT para o Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto (Consultórios na Rua) e de duas mil máscaras para o Complexo Boracea (Barra Funda II), que foram doadas pelo projeto Caramuru e disponibilizadas pelo Voluntariado da EPM  (Imagem: https://www.facebook.com/projetoacordarua/)

 

Lido 221 vezes Última modificação em Quarta, 01 Julho 2020 13:22

Mídia