Quinta, 23 Maio 2019 12:16

Unifesp/Capes PrInt debate doenças infecciosas

Seminário sobre doenças emergentes, infecciosas e negligenciadas contou com a participação da pesquisadora do Reino Unido

Por José Luiz Guerra

A pesquisadora da da The University of Warwick, no Reino Unido, Farah Seedat, durante sua apresentação
A pesquisadora da da The University of Warwick, no Reino Unido, Farah Seedat, durante sua apresentação

Na tarde do último dia 22 de maio, docentes e pesquisadores da Unifesp promoveram o Seminário sobre Doenças Emergentes, Infecciosas e Negligenciadas. A ação, ocorrida no anfiteatro Lais Helena, na Escola Paulista de Enfermagem (EPE), faz parte do Programa Institucional de Internacionalização da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes PrInt) e contou com a participação da pesquisadora da University of Warwick, no Reino Unido, Farah Seedat. A atividade foi coordenada pelos docentes da Unifesp Monica Tamitano, Dulce Barbosa, Ana Cristina Gales e Sérgio Schenkman.

O seminário contou com as apresentações de Farah Seedat, que falou sobre as experiências do Reino Unido no tratamento do Group B Streptococcus (GBS), do professor titular da disciplina de Infectologia da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp) Antonio Carlos Pignatari, que discutiu a caracterização dos tipos de Streptococcus agalactiae em mulheres grávidas e em recém-nascidos, da professora associada livre-docente do Departamento de Pediatria da EPM/Unifesp, Lily Weckx, e de seu orientando de mestrado Renato Kfouri, que falaram sobre a prevalência de sorotipos do GBS em mulheres grávidas em uma maternidade privada de São Paulo e da professora associada do Departamento de Enfermagem na Saúde da Mulher da Escola Paulista de Enfermagem (EPE/Unifesp), que abordou as experiências de prevenção do GBS no Brasil.

O Capes PrInt é um programa institucional que visa fomentar a construção, a implementação e a consolidação de planos estratégicos de internacionalização das instituições contempladas nas áreas do conhecimento por elas priorizadas, estimular a formação de redes de pesquisas internacionais com vistas a aprimorar a qualidade da produção acadêmica vinculadas à pós-graduação, ampliar as ações de apoio à internacionalização na pós-graduação das instituições contempladas, promover a mobilidade de docentes e discentes, com ênfase em doutorandos, pós-doutorandos e docentes para o exterior e do exterior para o Brasil, vinculados a programas de pós-graduação stricto sensu com cooperação internacional, fomentar a transformação das instituições participantes em um ambiente internacional e integrar outras ações de fomento da Capes ao esforço de internacionalização.

Na Unifesp, o programa engloba seis temas - Doenças Emergentes, Infecciosas e Negligenciadas; Inflamação; Longevidade, Neurociência, Cognição e Educação; Oncologia; e Promoção do Bem Estar, dos quais participam 95 pesquisadores e 11 programas de pós-graduação. As atividades englobam a realização de seminários, treinamento e capacitação de servidores para internacionalização da instituição, incorporação de temas internacionais nas aulas de graduação e pós-graduação, produção de material de divulgação da instituição em outras línguas, inclusive websites dos programas de pós-graduação envolvidos. Conheça mais sobre o programa clicando aqui.

Pesquisadores da Unifesp, como Renato Kfouri, Também apresentaram seus trabalhos
Pesquisadores da Unifesp, como Renato Kfouri, Também apresentaram seus trabalhos

 

Lido 595 vezes Última modificação em Segunda, 03 Junho 2019 16:00

Mídia