Quinta, 05 Março 2015 16:17

Unifesp inicia ações para acolhimento de estudantes com deficiências

A construção da política  de acessibilidade será aberta à colaboração da comunidade acadêmica

Pela primeira vez, a Unifesp está se preparando com ações diversas para receber bem os estudantes com deficiências (auditivas, físicas, visuais e intelectuais), logo que ingressam pelos processos seletivos. A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) passou a acessar diretamente os dados colhidos pela Pró-Reitoria de Graduação junto aos ingressantes que, em questionário preenchido na matrícula, informam ter alguma deficiência.

“Estes dados estão sendo triados a cada etapa da matrícula e encaminhados aos Núcleos de Apoio aos Estudantes (NAEs) dos campi. Protocolos de entrevista foram elaborados para que as equipes dos NAEs possam conhecê-los e conversar sobre suas necessidades e, a partir daí, encaminharem para a Prae ou outras instâncias as informações”, explica a pró-reitora de Assuntos Estudantis, Andrea Rabinovici.

Ainda de acordo com ela, este contato permitirá acompanhamento e também diagnóstico para planejamento de novas ações pela universidade. As entrevistas inclusive, no caso dos surdos, poderão ser acompanhadas pelos intérpretes de LIBRAS contratados durante o ano de 2014 em todos os campi.

Recursos

A Prae recebe uma pequena verba do Ministério da Educação, proveniente do Programa Incluir, com a qual poderá comprar determinadas tecnologias assistivas, conforme as necessidades dos estudantes. “Alguns equipamentos foram adquiridos em anos anteriores e encaminhados para os campi e outros ficam centralizados na Prae para empréstimos, conforme as demandas”.

Em 2014, esta verba considerou pedidos de vários campi e bibliotecas, e agora está havendo consulta aos mesmos e às demais Pró-Reitorias para levantar informações sobre demandas para depois definir prioridades de utilização da verba. Paralelamente a isso, gestores e servidores da Prae participaram de cursos de capacitação e de encontros para atuar com acessibilidade e inclusão.

“A construção da política será realizada de forma coletiva, participativa e aberta à colaboração de toda a comunidade acadêmica, incluindo especialistas, pessoas com deficiência, docentes, discentes e técnicos, representantes das Pró-Reitorias e convidados externos, se necessário”, reforça Andrea.

A proposta depois será enviada para aprovação no Conselho Universitário e está sendo contemplada nas ações propostas da Prae (já aprovadas no Conselho de Assuntos Estudantis), no Plano de Desenvolvimento Institucional da Prae e comporá o da Unifesp, de forma transversal.

Universidade para todos

Para a pró-reitora, a presença de pessoas com deficiência leva a instituição a repensar o todo, inclusive resgatar o conceito de democracia em seu velho sentido, tão caro à Universidade e, especialmente à Gestão Unifesp Plural e Democrática, que entende que universidade é para todos e não somente inclusiva para grupos específicos.

“A agenda para a construção de política de acessibilidade e inclusão da Unifesp nos unirá para repensar nossos espaços, mobiliários, serviços, materiais institucionais, bem como nossa política de comunicação, gestão, capacitação de docentes e técnicos e, claro, as práticas pedagógicas e flexibilização curricular, no ensino, na extensão e na pesquisa”, finaliza.

Sendo assim, a Prae conta com a colaboração de todos que queiram contribuir com este processo de construção coletiva, que não será apenas para estudantes, mas para todos da Unifesp. Para isso, o interessado deve entrar em contato pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

 

Lido 6449 vezes Última modificação em Quarta, 14 Outubro 2015 14:33

Mídia