O Outubro Rosa chega ao fim, mas a campanha pela vida continua no Campus SP

Afonso Celso Nazário, especialista da EPM/Unifesp, orienta sobre prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama

servletrecuperafotoO mês de conscientização para a prevenção ao câncer de mama está se encerrando junto com o mês de outubro, mas o cuidado com a vida continua e o diagnóstico precoce da doença ainda é o foco. Acompanhe a seguir mais informações que o docente e chefe da Disciplina de Mastologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/Unifesp), Afonso Celso Nazário, traz sobre o Outubro Rosa.

Prevenção e Diagnóstico

O câncer de mama é o segundo tipo de tumor maligno mais comum nas mulheres e o de maior mortalidade. Estima-se que seja responsável por cerca de 25% dos casos novos de câncer no Brasil a cada ano, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Além de muito frequente e de elevada mortalidade, sua incidência vem crescendo ano a ano e se diagnosticado tardiamente, pode afetar em muito a autoimagem da mulher e sua sexualidade. Por outro lado, causa importante impacto social por atingir muitas vezes mulheres em idade economicamente ativa.

Contudo, se diagnosticado precocemente, a chance de cura é de 90 a 95%. Assim, a chave para o adequado controle da doença é sua detecção pela mamografia, que deve ser realizada anualmente a partir dos 40 anos.

Segundo Afonso, "a adoção de um estilo de vida saudável, como a prática de atividade física, alimentação balanceada, controle do peso e do estresse e evitar o consumo excessivo de álcool, contribui para a diminuição do risco de desenvolvimento da doença".

Mitos e Verdades sobre o câncer de mama

 

cancer de mama

 (Clique na imagem para visualizar o .pdf)