Cientistas da Unifesp comprovam que remédio usado por pacientes com Parkinson causa arritmia cardíaca

O trabalho é orientado por Fulvio Scorza, docente e vice-diretor da Escola Paulista de Medicina/Unifesp

Os resultados da pesquisa, publicado na revista “Nature”, confirmou que o remédio domperidona, usado comumente para tratar enjoo e ânsia de vômito em pacientes com Parkinson, aumenta o risco de arritmia cardíaca.

Foram usados 36 ratos machos em laboratório com peso entre 230 e 300 gramas. Eles foram divididos em quatro grupos em igual quantidade, mas apenas dois deles receberam 6-hidroxidopamina, composto responsável pelo modelo da doença de Parkinson nos estudos científicos. Os cientistas avaliaram a reação dos ratos após três dias, cinco dias e após duas semanas.

"Depois de cinco dias você já tem uma lesão estabelecida, e a gente pode analisar a situação do coração junto com o processo que leva ao Parkinson", explicou Fulvio Scorza, docente do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), vice-diretor da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp) e orientador do trabalho.

Os resultados revelam que o uso da domperidona provoca um risco maior de arritmia cardíaca, o que é um problema extra para os pacientes com Parkinson – quase 60% deles já apresentam alterações cardiovasculares.

Fonte: G1 – Ciência e Saúde