Entrevista Pint of Science Santos - As Aventuras Científicas de um Reporter Viajante

 

As experiências durante a infância determinam, muitas vezes, as escolhas que faremos na vida adulta.

Para Herton Escobar, o fato de ter tido contato com o meio ambiente, durante os primeiros anos de vida, foi determinante para que ele escolhesse esse tema para ser abordado durante sua carreira. Após concluir a graduação em jornalismo na Western Michigan University, decidiu especializar-se na área cientifica, e, assim, pesquisar e escrever sobre o tema que mais lhe interessa: Ciência e Meio Ambiente.

 

herton

Há 17 anos Herton Escobar dedica-se a mostrar a ciência realizada no país e suas dificuldades

 

Porém, foi a saudade do país que o fez retornar ao Brasil e há 17 anos é jornalista do jornal O Estado de São Paulo, justamente na área científica.

Em 2014, nos Estados Unidos, estudando empreendedorismo jornalístico na Universidade da Califórnia, entrou em contato com o editor da Revista científica Science e se tornou correspondente da américa latina na área de ciência.

A ciência Brasileira vem tendo um grande destaque e despertando o interesse internacional. Desde 2015 eu escrevo regularmente à Science sobre as pesquisas realizadas por aqui. ”

Muitas matérias exigiram que Herton se deslocasse do seu local de residência, mas, nada se compara ao seu ano sabático, em 2011, quando morou em 5 locais diferentes escrevendo matérias que juntas construíram a série intitulada “Repórter viajante”.

Morei 5 meses em Bonaire, 3 na Indonésia, 1 no Sri-Lanka e 3 meses no Nepal. Era importante viver o dia a dia do local e presenciar tudo o que acontecia”.

herton1

Matéria da série "Repórter viajante" publicada no jornal O Estado de São Paulo sobre os problemas enfrentados no Sri-Lanka em 2011.

Dentre as várias matérias escritas para o especial do Repórter Viajante, Herton destaca o derretimento das geleiras do Himalaia, onde o aquecimento global pode estar causando impacto forte no clima e na estrutura das montanhas. Além desta matéria, há destaque para a luta entre humanos e elefantes no Sri-Lanka, que causou a morte de quase 50 homens e 150 elefantes, em busca de território e alimento.

Todas as matérias científicas produzidas por Herton Escobar, além de trazerem todo respeito e reconhecimento, também lhe trouxeram prêmios, assim como, o prêmio José Reis de Divulgação Científica pelo conjunto de sua obra, recebido em 2014. Mas, a pergunta que fica é: como produzir bons materiais, sendo que a ciência no Brasil vem enfrentando diversos problemas? Herton explica que não só a ciência é desvalorizada como também o jornalismo científico.

É preciso justificar que a ciência precisa de espaço no jornalismo. Geralmente a ciência é tratada apenas como curiosidade. Os problemas enfrentados no dia a dia são totalmente esquecidos”.

Os cortes de verbas para a ciência e a atual situação das universidades Brasileiras o leva a acreditar que somente uma mudança drástica poderia reverter essa situação de sucateamento. Um problema fortemente recorrente são as notícias falsas que através das redes sociais se propagam e muitas vezes levam as pessoas a acreditarem nestas informações. É difícil realizar um bom jornalismo científico e ainda deve-se ficar atento e evitar que tais notícias sejam compartilhadas. Um grande exemplo foi o caso das notícias sobre a microcefalia causada pela Zika. Herton relata que muitas notícias foram compartilhadas mostrando uma relação entre os lotes de vacina e a microcefalia, sem ter nenhuma pesquisa como base para tal revelação.

Isso causou um esforço desnecessário dos pesquisadores, pois tinham que desmentir a todo momento e provar que tal informação não fazia sentido” relembra Herton.

Sabendo de todos os problemas que a ciência e o jornalismo científico enfrentam, o jornalista destaca a importância de eventos que visam divulgar a ciência através de uma linguagem mais simples que atraia o público não cientifico. Propostas como o USP Talks e o Pint of Science são grandes exemplos de como é possível mudar a comunicação científica e diminuir a distância entre pesquisa e o público leigo.

Após 17 anos publicando matérias científicas incríveis resolvemos saber que matéria o jornalista gostaria de escrever daqui 10 anos

Sem dúvida, daqui 10, 20 ou qualquer outro tempo, eu gostaria de escrever que há vida em outro planeta. Pode ser um pequeno microrganismo num lago profundo, não precisa ser um grande alienígena, mas um pequeno ser em uma lua distante, já seria incrível”.

Ficamos ansiosos para que este repórter viajante, viaje para outros planetas e nos traga muito mais histórias.

A conversa sobre jornalismo científico e todas as aventuras que Herton Escobar já vivenciou será apresentada no Pint of Science em Santos no dia 15 de maio as 19h no Pizza Bar. Não deixe de conferir as “Aventuras científicas de um repórter viajante” e veja como é difícil e incrível poder divulgar a ciência no país.

 

Sobre o Pint of Science – 22 cidades brasileiras vão sediar o Pint of Science este ano no Brasil, nas noites de 15, 16 e 17 de maio. Em  Santos, o evento é realizado pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Diversos pesquisadores brasileiros, de diferentes áreas do conhecimento, estarão à disposição para conversar com o público nos bares e restaurantes onde a iniciativa ocorrerá. A participação no evento é gratuita e os interessados só pagarão o que consumirem nos locais. Confira a programação completa no site  www.pintofscience.com.br.

 

 

Pró-Reitorias

Unidades universitárias

Campi

Links de interesse