Atualmente, biomarcadores de biofluidos e neuroimagem são usados não só no diagnóstico diferencial entre as síndromes demenciais, mas também nas correlações com suas características neuropsiquiátricas, como aspectos comportamentais e cognitivos

Publicado em RELEASES