Quarta, 11 Outubro 2023 10:40

Paulo Freire, patrono da educação brasileira, é reconhecido pela Unifesp com título de doutor honoris causa

Outorga é concedida por toda a relevância do educador na pedagogia mundial

Por Denis Dana


Em sessão solene realizada na última sexta, 6 de outubro, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizou a entrega do título de doutor honoris causa ao patrono da educação brasileira, Paulo Freire (post mortem). A ocasião foi marcada por depoimentos que só comprovaram sua relevância na pedagogia mundial. Para a outorga, a mesa de honra foi composta por Raiane Assumpção, reitora da Unifesp e presidente do Conselho Universitário (Consu), Ana Maria Araújo Freire, esposa do agraciado, a deputada federal Luiza Erundina, Lia Bittencourt, vice-reitora da Unifesp, e Odair Aguiar Junior, diretor do Campus Baixada Santista, membro do Consu e presidente da Comissão de Títulos Honoríficos da universidade.

A sessão foi transmitida pelo canal Unifesp Ao Vivo no YouTube acompanhada, presencialmente, por um público formado por representantes de universidades, entidades e movimentos sociais diversos, pró-reitores(as) e membros do Gabinete da Reitoria da Unifesp, além de diretores(as) de campus e de unidades universitárias, docentes, discentes e servidores(as) da Unifesp, que lotaram o auditório da reitoria em mais este momento especial da universidade. O título honorífico, vale lembrar, é concedido a personalidades eminentes, nacionais ou internacionais, que tenham se destacado nas ciências, nas artes, cultura, educação e na defesa dos direitos humanos.

Ao abrir os discursos da solenidade, Odair Aguiar exaltou a forma como o laureado pensava. “A melhor saudação a Paulo Freire nos remete à síntese de seu pensamento como educador, expresso durante uma resposta em entrevista acerca de que escola o Brasil precisa, na qual ele respondeu: o país precisa de uma escola séria e rigorosa, mas que ao ser séria e rigorosa, crie aos alunos a felicidade, a alegria. É nesse mesmo clima que celebramos esse momento especial”. Logo na sequência, coube à professora da Unifesp Rosangela Aparecida Dantas de Oliveira e à servidora técnica Patrícia Lima Dubeux Abensur o desafio de apresentar um resumo da valiosa trajetória de vida de Paulo Freire.

Trajetória e legado

A apresentação contemplou desde seu nascimento, em Recife, seus estudos mesmo com toda a dificuldade financeira pela qual passava a família, “estudo que não só lhe inspirou, como o preparou e transformou para atuar como educador e protagonista na construção da pedagogia mundial, ensinando, escrevendo e falando para todo o mundo”, destacou Rosangela.

“Paulo Freire nos deixou um legado espiritual, cultural, acadêmico e social, materializado em obras, vídeos, livros e artigos. O seu pensamento continua atual e ultrapassa fronteiras. É um clássico que nos inspira a compreender o presente e construir o futuro”, enalteceu Patrícia.

Após a apresentação, os momentos foram seguidos de diversos depoimentos. Ao falar de Paulo Freire, o mestrando da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH/Unifesp) - Campus Guarulhos Felipe Henrique Peixoto ressaltou que “é possível criar ambientes onde todas as pessoas tenham voz e colocam seus diversos saberes em uma comunidade para construir novas possibilidades, não importando sua titulação, profissão ou idade, já que todas as pessoas têm o mesmo objetivo, ser proféticos e proféticas, como Paulo Freire nos convida”.

Debora Maria da Silva, fundadora do Movimento Mães de Maio, fez coro e exaltou o impacto mundial alcançado pelo agraciado. “A educação é libertadora, Paulo Freire nos trouxe e segue nos trazendo essa afirmação para todos nós, com sua revolução na pedagogia e com o caminho que ele pavimentou para a construção de um mundo melhor”.

Em seu depoimento, Fabrício Gobetti Leonardi, servidor técnico administrativo da Unifesp, citou a presença de Paulo Freire. “Não existe uma política Paulo Freire implementada, ele é muito maior que isso. Ele está organicamente não só na política da educação, está nos(as) educadores(as) do Brasil, nos(as) assistentes sociais, nos(as) psicólogos(as) e está, organicamente, na resistência. É por isso que ele jamais será esquecido, seu legado perdurará e servirá como bússola a todos que acreditam no poder da educação”.

Rosana Cebalho Fernandes, coordenadora da Escola Nacional Florestan em Guararema, do Movimento dos Sem Terra, também prestou homenagem a Paulo Freire e, em sua fala, destacou a iniciativa da Unifesp de agraciar o patrono da educação brasileira. “Homenagear Paulo Freire é uma necessidade permanente para recolocar aqui um projeto de país, de modo a alcançar um Brasil verdadeiramente democrático e soberano”.

Referência na educação

Na mesma linha foi o discurso da deputada Luiza Erundina, que teve Paulo Freire como secretário municipal de Educação durante sua gestão na Prefeitura de São Paulo. “Paulo Freire foi referência, foi e é inspiração, um rastro luminoso que jamais se apagará. Seu trabalho de construção de uma humanidade fraterna, justa e sem violência será sempre lembrado e homenageado”.

Ao final dos depoimentos, uma experiência cultural, com a intervenção poética de Francisca Maria Santos, professora da rede municipal de São Paulo, precedeu o rito de entrega do título, que foi outorgado após a leitura do ato concessivo. Simbolicamente, quem recebeu o diploma de doutor honoris causa foi Lutgardes Costa Freire, filho caçula de Paulo Freire.

“Meu pai certamente está muito feliz em receber esse título de doutor honoris causa no Brasil, seu país, que ele tanto amava, depois de receber tantos títulos em diversos países. Agradeço a Unifesp por esse importante reconhecimento ao meu pai e todo o seu trabalho para a pedagogia e para a educação”.

Raiane, reitora da Unifesp, foi a responsável por fechar a sessão e encerrar o dia especial para a universidade. “Podemos dizer que esses foram, de fato, momentos de ensino e aprendizagem, com vários testemunhos que demonstram e reforçam como Paulo Freire foi e é referencial de educação nas mais diversas áreas do conhecimento, com ele pode ser materializado, assim como sua concepção de educação pode e deve ser transformador em nossa sociedade”.


Fotos: Alex Reipert

Lido 1397 vezes Última modificação em Terça, 06 Fevereiro 2024 12:31

Mídia