Sexta, 05 Novembro 2021 18:13

Política de desenvolvimento docente entra na fase final de elaboração

Assim que concluída, a portaria será encaminhada para a apreciação dos conselhos superiores da Universidade

Por José Luiz Guerra

Em linha com as diretrizes de aprimoramento da carreira dos(as) professores(as) da Unifesp dispostas no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), a Coordenadoria de Desenvolvimento Docente (CDD), ligada à Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), em parceria com o Departamento de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (DDGP), pertencente à Pró-Reitoria de Gestão com Pessoas (Propessoas), com as pró-reitorias de Extensão e Cultura e de Pós-Graduação e Pesquisa e com a Comissão Permanente do Pessoal Docente (CPPD), estão elaborando uma política de desenvolvimento profissional continuado de docentes, centrada prioritariamente no âmbito do ensino da graduação, pós-graduação e extensão, construída de forma colaborativa.

Como o trabalho docente está em constante transformação, a política busca oferecer formação aos(às) professores(as) em temas que ainda necessitam de desenvolvimento, valorizando a carreira e, consequentemente, melhorando cada vez mais a qualidade do ensino. “Cada campus tem seus eixos comuns e nem todo(a) docente tem o conhecimento dessa estrutura ao entrar no concurso, por exemplo, e, por isso, é importante explicarmos essa realidade”, explica Rita Jover, coordenadora da CDD. Para isso, a política de desenvolvimento profissional docente prevê a criação de uma câmara técnica com o intuito de fazer o levantamento das necessidades de desenvolvimento de cada unidade e propor ações de desenvolvimento no âmbito do ensino em suas três dimensões institucionais, ou seja, na graduação, pós-graduação e extensão.

Em razão da transversalidade do tema, é importante articular essas ações em linha com a CPPD, comissão que já realiza uma avaliação da carreira. “Na Unifesp há realidades distintas nos diferentes campi e nos cursos. É uma pluralidade bem-vinda, mas que demanda desenvolver um local de escuta que seja ao mesmo tempo coletivo e singular”, completa o pró-reitor adjunto de Graduação, Maurício Lourenção Garcia.

A portaria, em fase de conclusão, será submetida à aprovação dos conselhos superiores da universidade.

Discussão dos projetos pedagógicos dos cursos da Unifesp sofrerá alterações

As discussões das alterações nos projetos pedagógicos dos cursos passarão a ser ampliadas. Antes debatidas apenas entre a Coordenadoria de Projetos e Acompanhamento Pedagógico (CPAP) e a coordenação de curso envolvido diretamente na reformulação dos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPCs), passarão a fazer parte das discussões os(as) pró-reitores(as) de graduação, a direção acadêmica correspondente e a coordenação de câmara de graduação.

“Já começamos os debates e, com isso, pretendemos garantir a coesão e o alinhamento entre os projetos pedagógicos dos cursos, o projeto pedagógico institucional (PPI) e o plano de desenvolvimento institucional (PDI)”, comenta a pró-reitora de graduação da Unifesp, Ligia Azzalis.

Lido 405 vezes Última modificação em Quarta, 01 Dezembro 2021 09:30

Mídia