Especialização em Informática em Saúde

 

 

 

O Curso de Especialização em Informática em Saúde foi o primeiro curso a distância oferecido pela UNIFESP por meio do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB). Estamos agora na quinta edição do curso (2017-2018) que tem como objetivo aprimorar a educação colaborativa a distância em prol da formação de profissionais de diferentes áreas para a atuação profissional e pesquisa acadêmica em informática em saúde. São 800 vagas em 16 polos UAB de apoio presencial.

As inscrições para processo seletivo relacionado a esse curso estão abertas. Leia o edital relativo à seleção de alunos e acesse o endereço do formulário de inscrição disponível no próprio PDF do edital. Caso tenha interesse em candidatar-se a tutor do curso, leia o edital respectivo e preencha o formulário específico.

Último edital de seleção:

Alunos edital 30/2017 http://www.unifesp.br/reitoria/uab/editais/101-uab/237-edital-2017-30
Tutores edital 29/2017
http://www.unifesp.br/reitoria/uab/editais/101-uab/236-edital-2017-29
Período de inscrição: 07/04/2017 a 23/04/2017

Mais informações:

 

glyphicons social 31 twitter Hover Twitter

glyphicons social 30 facebook Hover Facebook 

secretaria.is@unifesp.br

 

avaliacaois

Formulário de Avaliação do Curso

 

 

Área de Informática em Saúde

A informática em saúde surgiu como uma aplicação da informática à medicina. Shortliffe (1995) explica que o surgimento da área ocorreu por 3 motivos principais:
1) devido aos avanços da computação e das tecnologias de informação e comunicação;
2) à consciência crescente de que a base de conhecimento da medicina e das demais áreas da saúde não pode ser gerenciada apenas em suporte papel;
3) à convicção de que o processo de tomada de decisão é tão importante para a medicina quanto a coleção de fatos nos quais estas decisões são baseadas, e que ambos podem ser otimizados com o auxílio da informática.

Shortliffe descreveu uma necessidade da implantação de setores de tecnologia nas escolas médicas, ação que tem se tornado uma realidade cada vez mais comum em todo o mundo. Nas últimas décadas a informática médica foi ampliando seu escopo para além da medicina, atrelando-se à necessidade de organização do conhecimento e da pesquisa em ciências da saúde (Marin e Sigulem 2009). Mais que isso, seu escopo inclui a ideia de otimizar processos relacionados às práticas dessas ciências, por meio das tecnologias da informação e comunicação, fomentando projetos multidisciplinares envolvendo informática e ciências da saúde. Tais fatos justificaram denominá-la informática em saúde.

Nos dias de hoje o processamento de informação e de comunicação tornou-se essencial para muitas atividades em ciências da saúde, incluindo: registro e recuperação de informação sobre pacientes; comunicação entre profissionais de saúde; acesso à literatura médica; seleção de procedimentos diagnósticos; interpretação de resultados de laboratório e coleção de dados clínicos (Georgiou 2002). A área vem se tornando essencial na pesquisa em ciências da saúde e, mais recentemente, nas pesquisas biológicas. Com isto, a informática em saúde vem se estabelecendo e se consolidando como uma área de conhecimento independente.

A informática em saúde é uma disciplina que envolve diversas áreas do conhecimento, tanto científicas, quanto tecnológicas e até mesmo artísticas, e vem sendo considerada de importância primordial para os avanços das ciências da saúde e da informática em todo o mundo. Esta importância foi enfatizada por Parent et al. (2001) ao afirmar, na década passada, que a globalização efetiva ainda estava em curso de se concretizar porque ainda não existia uma distribuição equitativa do uso das tecnologias da informação. Essa realidade é válida nos dias de hoje. Parent et al. propuseram ações para melhorar essa realidade no âmbito da saúde global que envolvem essencialmente a informática em saúde, tais como a implantação cada vez mais ampla de sistemas de informação em saúde na internet, a descentralização da avaliação da dados em saúde e o treinamento em informática em saúde.

Daniel Sigulem define uma prática médica digital como sendo um conjunto de técnicas, práticas, atitudes, modos de pensar e novos valores que se desenvolvem em consequência do crescimento do espaço digital (Sigulem 1997). Esta nova prática é uma exigência da sociedade do conhecimento. De maneira geral, a saúde digital está relacionada ao uso intensivo de tecnologias da informação e comunicação na área da saúde, como exemplos registro eletrônico de saúde, sistemas de apoio a decisão, sistemas de protocolos eletrônicos, estações de trabalho portáteis, ferramentas de comunicação, educação a distância, informação técnica digital, tecnologias convergentes (biotecnologia, nanotecnologia, neurociências, robótica) e telemedicina ou eSaúde (Healy 2007). A área da informática em saúde, portanto, pode ser considerada a área do conhecimento com foco no aprimoramento de uma prática médica digital a partir da aplicação de seus fundamentos, técnicas, métodos, processos, práticas e avaliações.

Referências:
Georgiou A. Data, information and knowledge: the health informatics model and its role in evidence-based medicine. J Eval Clin Pract 2002 May;8(2):127-30.
Healy JC. The WHO eHealth resolution – eHealth for all by 2015? Methods Inf Med. [Internet] 2007 [cited 2013 Feb 5];46(1):2-4.
Marin HF, Sigulem D. Informática em saúde: oportunidade em busca de melhor qualidade em saúde. Journal of Health Informatics. 2009; 1:4-5.
Parent F, Coppieters Y, Parent, M. Information technologies, health, and globalization: anyone excluded? J Med Internet Res.2001;3(1):e11.
Shortliffe EH. Medical informatics meets medical education. JAMA 1995;273(13):1061, 1064-5.
Sigulem D. Um novo paradigma de aprendizado na prática médica da UNIFESP/EPM. São Paulo. Tese [livre-docência] – Universidade Federal de São Paulo/Escola Paulista de Medicina. 1997.

Objetivos do Curso

Esse curso tem como objetivos oferecer as condições necessárias à especialização em informática em saúde na modalidade educação a distância (EaD) aos profissionais interessados; socializar conhecimentos já produzidos e organizados em informática em saúde; desencadear processos sistematizados e orientados de produção de conhecimento em informática em saúde; proporcionar conhecimentos que colaborem para a gestão de serviços de informática no ambiente da saúde.

Público Alvo

Este curso destina-se a profissionais graduados, com nível superior concluído, das áreas de saúde, biológicas, exatas e humanas com interesse de formação em informática em saúde.

Concepção do Curso

O Curso de Especialização em Informática em Saúde, na modalidade à distância, está organizado em disciplinas para apresentação dos temas mais relevantes da área, incluindo fundamentos da informática em saúde, fundamentos das ciências da saúde, fundamentos das ciências da computação, bases de dados em saúde, sistemas de informação em saúde, prontuário eletrônico do paciente, metodologia científica em informática em saúde, imagens médicas, telemedicina e telessaúde, padrões de normalização etc.

O curso possui um módulo inicial de adaptação ao ambiente virtual de aprendizagem (Moodle) cujo objetivo consiste em tornar o aluno apto a acompanhar as disciplinas, a realização das tarefas por meio dos recursos digitais do ambiente e a interagir com tutores, professores e outros alunos. O curso possui um módulo final de trabalho de conclusão de curso (TCC) no qual o aluno confeccionará uma monografia sob orientação de professores especializados na área.

O curso terá período letivo de junho de 2017 a novembro de 2019 cumprindo 18 meses de atividades. O curso será realizado na modalidade a distância baseada na web por meio de um ambiente virtual de aprendizagem específico (Moodle). Esse ambiente poderá ser acessado por diferentes plataformas (computador pessoal, celular, tablet etc.) e de qualquer lugar. As interações serão majoritariamente assíncronas mas interações síncronas para discussão e plantão de dúvidas também serão oferecidas ao longo do curso. O curso considera a participação presencial do aluno em encontros nos polos UAB para apoiar o ensino, trocar experiências e realizar avaliação. O curso contará com tutores qualificados para apoiar as atividades quanto à mediação e formação dos alunos. A interação entre os alunos e os tutores do curso ocorrerá pelo ambiente virtual de aprendizagem e nos encontros presenciais.

Os alunos serão avaliados por meio de atividades e provas online e também presenciais. As atividades consistem em participação online do ambiente virtual de aprendizagem; participação em fóruns; realização de tarefas individuais e em grupos; leitura e análise de materiais multimídias; avaliação de sua própria atividade e dos demais alunos; interação com alunos, tutores e professores; realização de pesquisa bibliográfica; confecção de resenhas; confecção de monografia para conclusão de curso sob orientação de um professor designado; entre outras. As provas online consistem de questionários a serem respondidos individualmente, em prazo definido, sem ou com rodadas de tentativas. Os alunos também serão avaliados por atividades e provas presenciais, descritas antecipadamente aos encontros presenciais. Os alunos também serão avaliados pelos tutores por critérios de participação como assiduidade, qualidade da interação, colaborações ao grupo, entre outros. As regras de recuperação, online e presencial, serão publicadas no ambiente virtual do curso.

Estão previstos até 3 encontros presenciais(preferencialmente no início, ao longo do curso e ao final) de participação obrigatória e de caráter avaliativo. Os encontros presenciais ocorrerão sempre aos sábados, no horário das 08h às 17h, nos polos UAB de apoio presencial. Excepcionalmente haverá encontro presencial na sede do curso (Campus São Paulo da UNIFESP) a critério da Coordenação. As datas dos encontros e os locais serão publicados no ambiente do curso com antecedência mínima de 30 dias. Após o período letivo possíveis avaliações de recuperação ocorrerão presencialmente e exclusivamente na sede do curso.

Temas Abordados

História da Informática em Saúde
Fundamentos da Informática em Saúde
Fundamentos das Ciências da Saúde
Fundamentos das Ciências da Computação
Estratégias e Técnicas de Gerenciamento de Dados
Bases de Dados em Saúde
Sistemas de Informação em Saúde
Prontuário Eletrônico do Paciente
Metodologia Científica em Informática em Saúde
Imagens Médicas
Telemedicina e Telessaúde
Padrões de Normatização em Informática em Saúde
Gestão e Economia em Saúde
Tecnologias para Capacitação Profissional em Saúde

Materiais Didáticos

O curso conta com materiais didáticos atualizados a partir das versões anteriores confeccionados por profissionais e pesquisadores da área da informática em saúde, entre eles:

Profa. Dra. Ana Estela Haddad, livre docente
Profa. Dra. Claudia Galindo Novoa
Prof. Dr. Daniel Sigulem, livre docente, titular
Dra. Deborah Pimenta Ferreira de Castilho
Prof. Dr. Domingos Alves
Profa. Dra. Heimar de Fátima Marin, livre docente, titular
Prof. Dr. Ivan Torres Pisa, livre docente
Profa. Dra. Maria Elisabete Salvador Graziosi
Prof. Dr. Marcelo de Paiva Guimarães
Profa. Dra. Mary Caroline Skelton Macedo
Profa. Dra. Monica Parente Ramos
Prof. Dr. Paulo Mazzoncini de Azevedo Marques
Dr. Paulo Roberto de Lima Lopes
Prof. Dr. Silvio Ricardo Pires

Carga Horária

O curso possui carga horária total de 490 horas. A participação do aluno está prevista para ocorrer considerando uma média de 2h de acesso diário, 5 dias na semana, para participação online e participação em todos os encontros presenciais, das 08h às 17h.

Início e Duração

26 de junho de 2017, 18 meses

Turno

Realizado a distância, com indicação de duas horas diárias de estudo, 5 dias na semana, com 3 encontros presenciais ao longo do curso no polo UAB (aos sábados no horário das 08h às 17h).

Valor da Inscrição e Mensalidade

Curso gratuito

Certificação

O aluno que cumprir satisfatoriamente todas as exigências do curso receberá Certificado de Pós-Graduação Lato Sensu, em nível de Especialização, em “Especialização em Informática em Saúde”, expedido pela Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP – EPM e credenciado pelo MEC (Credenciamento para a oferta de cursos superiores à distância – Portaria nº 804/06 de 27/03/2006 publicada em 28/03/2006).

Esse curso subordina-se ao Regimento Interno dos Cursos de Pós-graduação Lato Sensu: Especialização e Cursos de Aperfeiçoamento. Esse curso respeita a Resolução CNE/SESu no 01 de 08 de Junho de 2007 do Ministério da Educação.

Polos UAB de Apoio Presencial

São 800 vagas ao total, sendo 50 em cada polo UAB de apoio presencial.

Aracruz - Centro (ES)
Cuiabá - Centro-Sul (MT)
Florianópolis - Centro (SC)
Natal - Nossa Senhora De Nazaré (RN)
Porto Alegre - Agronomia (RS)
Recife - Madalena (PE)
Rio De Janeiro - Campo Grande (RJ)
São Paulo - Balneário São Francisco (CEU Alvarenga) (SP)
São Paulo - Jardim Esmeralda (CEU Butantã) (SP)
São Paulo - Jardim Guapira (CEU Jaçanã) (SP)
São Paulo - Jardim Moreno (CEU Jambeiro) (SP)
São Paulo - Jardim Paulistano (Zona Norte) (CEU Jardim Paulistano) (SP)
São Paulo - Jardim São Carlos (Zona Leste) (CEU Parque São Carlos) (SP)
São Paulo - São João Clímaco (CEU Meninos) (SP)
São Paulo - Vila Aricanduva (CEU Aricanduva) (SP)
Sobral (CE)

Coordenação do Curso

Prof. Dr. Ivan Torres Pisa, livre docente (http://lattes.cnpq.br/2841925497526792)
Profa. Dra. Claudia Galindo Novoa (
http://lattes.cnpq.br/0921515386096454)

Departamento de Informática em Saúde
Escola Paulista de Medicina (EPM), UNIFESP

Editais de Seleção

Alunos edital 30/2017 http://www.unifesp.br/reitoria/uab/editais/101-uab/237-edital-2017-30
Tutores edital 29/2017
http://www.unifesp.br/reitoria/uab/editais/101-uab/236-edital-2017-29
Período de inscrição: 07/04/2017 a 23/04/2017

Inscrições

Contato

Para entrar em contato com a secretaria do curso escreva para o e-mail
secretaria.is@unifesp.br

Histórico de Aplicação do Curso

1ª edição, período 2007-2008
Coordenação: Profa. Dra. Monica Parente Ramos
150 vagas em 3 polos no estado de São Paulo:
1 Polo UAB Jandira (SP)
2 Polo UAB São Carlos (SP)
3 Polo UAB São José dos Campos (SP)

2ª edição, período 2009-2010
Coordenação: Prof. Dr. Carlos José de Campos Reis
350 vagas em 7 polos no Brasil:
1 Polo UAB Altamira (PA)
2 Polo UAB Breves (PA)
3 Polo UAB Fortaleza (CE)
4 Polo UAB Itapetininga (SP)
5 Polo UAB Lábrea (AM)
6 Polo UAB Marabá (PA)
7 Polo UAB Maués (AM)

3ª edição, período 2013-2014
Coordenação: Profa. Dra. Claudia Galindo Novoa Barsottini
Vice-coordenação: Prof. Dr. Ivan Torres Pisa, livre docente
750 vagas em 15 polos no Brasil:
1 Polo UAB Alterosa (MG)
2 Polo UAB 
Botucatu (SP)
3 Polo UAB 
Florianópolis (SC)
4 Polo UAB 
João Pessoa (PB)
5 Polo UAB 
Palmas (TO)
6 Polo UAB Serrana (SP)
7 Polo UAB São Carlos (SP)
8 Polo UAB CEU Alvarenga – São Paulo (SP)
9 Polo UAB CEU Aricanduva
São Paulo (SP)
10 Polo UAB CEU Butant
ã São Paulo (SP)
11 Polo UAB CEU Ja
çanã São Paulo (SP)
12 Polo UAB CEU Jambeiro
São Paulo (SP)
13 Polo UAB CEU Jardim Paulistano – São Paulo (SP)
14 Polo UAB CEU Meninos – São Paulo (SP)
15 Polo UAB CEU Parque São Carlos – São Paulo (SP)

4ª edição, período 2015-2016
Coordenação: Profa. Dra. Claudia Galindo Novoa Barsottini
Vice-coordenação: Prof. Dr. Ivan Torres Pisa, livre docente
680 vagas em 16 polos no Brasil:
1. Polo UAB Aracruz (ES) (30 vagas)

2. Polo UAB Cuiabá (MT) (30 vagas)

3. Polo UAB Florianópolis (SC) (50 vagas)

4. Polo UAB Natal (RN) (30 vagas)

5. Polo UAB Porto Alegre (RS) (30 vagas)

6. Polo UAB Recife (PE) (30 vagas)

7. Polo UAB Rio de Janeiro (RJ) (30 vagas)

8. Polo UAB Serrana (SP) (50 vagas)

9. Polo UAB CEU Alvarenga - São Paulo (SP) (50 vagas)

10. Polo UAB CEU Aricanduva - São Paulo (SP) (50 vagas)

11. Polo UAB CEU Butantã - São Paulo (SP) (50 vagas)

12. Polo UAB CEU Jaçanã - São Paulo (SP) (50 vagas)

13. Polo UAB CEU Jambeiro - São Paulo (SP) (50 vagas)

14. Polo UAB CEU Jardim Paulistano - São Paulo (SP) (50 vagas)

15. Polo UAB CEU Meninos - São Paulo (SP) (50 vagas)

16. Polo UAB CEU Parque São Carlos - São Paulo (SP) (50 vagas)