Equipe Assessoria de Imprensa

Ex-Libris SP

Alexandre Milanetti (16) 99783-4305
Denis Dana (11) 98726-2609
Jayme Brener
Pedro De Biasi

Telefone: (11) 3266-6088, ramal 208
E-mail: imprensa@unifesp.br


Apps gratuitos para facilitar o retorno

Aplicativos Sala Planejada e Forecast UTI têm finalidades diferentes, mas uma base comum: estão ajudando centenas de pessoas a organizar o trabalho em meio à pandemia

Aplicativos Sala Planejada e Forecast UTI

 

Valquíria Carnaúba

É fato que a pandemia acelerou a nossa intimidade com a tecnologia e escancarou os caminhos ainda não desbravados. As universidades públicas entenderam o recado e lançaram-se a novos projetos de pesquisa para que pudessem trazer à luz soluções a questões que foram colocadas à sociedade. Dois grandes exemplos disso são as plataformas desenvolvidas para auxiliar profissionais de saúde na linha de frente contra a covid-19 (Forecast UTI) e professores do ensino básico (Sala Planejada).

Luiz Leduíno de Salles Neto, professor associado do Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT/Unifesp) – Campus São José dos Campos, participa de ambos os projetos. Para o Sala Planejada, Leduíno se associou a um grupo de pesquisadores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e do Instituto Federal de São Paulo (IFSP). A formulação do site contou com estudantes e professores de Matemática Computacional, Ciência da Computação e Pesquisa Operacional.

Já o Forecast UTI tem outra proposta: ajudar hospitais e secretarias de saúde no acompanhamento de casos da covid-19 e no processo de planejamento e tomada de decisão por parte dos gestores, a partir da importação de dados. Por meio da plataforma, pode-se acompanhar o número de leitos ocupados em um hospital, a média diária de internações e o índice de letalidade. Conforme os dados são atualizados, a plataforma calcula e apresenta as alterações automaticamente.

Sala Planejada

Destaque na mídia em 2021, o aplicativo Sala Planejada auxilia na configuração das mesas em escolas e universidades para o retorno das aulas presenciais. Parece uma questão simples, mas as decisões tomadas pelo programa são tomadas a partir de um problema matemático chamado empacotamento de círculos em retângulos.

As possibilidades são tantas que a ferramenta já foi capaz de gerar mais de 20 mil layouts diferentes. Ao entrar no endereço eletrônico salaplanejada.unifesp.br, ao usuário é solicitado informar as dimensões da sala e das carteiras, a quantidade de cadeiras desejadas e a distância pretendida entre elas. Além disso, o site questiona a quantidade de pessoas e fileiras por sala e se o estudante poderá mover a cadeira no espaço. A partir desses dados, o sistema apresenta sugestões de layouts para o espaço.

Além de Leduíno, encabeçaram o desenvolvimento do projeto Juliano Bortolete e Thiago Siqueira , do IFSP, Francisco Sobral, da UEM, e Luís Felipe Cesar da Rocha Bueno, Antônio Augusto Chaves, Frederico Pelogia, Gustavo Collaço, Horacio Hideki Yanasse, Marcos Magueta, Renan Brito Butkeraites e Tiago Silva, da Unifesp. O aplicativo é tão versátil que até a Petrobras, bancos e escritórios de advocacia testaram para ajustar suas mesas para o trabalho presencial. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) já aprovou, e irá utilizar o app para garantir o distanciamento entre carteiras no Enem 2021.

Sala Planejada print

O aplicativo Sala Planejada, desenvolvido pela Unifesp, UEM e IFSP, será adotado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para planejar os layouts das salas de aulas que serão utilizadas na edição de 2021 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A parceria vai garantir o distanciamento entre carteiras durante as provas, que serão aplicadas nos dias 21 e 28 de novembro de 2021

Forecast UTI

Apesar de elaborado com os mesmos códigos de programação do aplicativo Sala Planejada, o Forecast UTI tem objetivo e públicos-alvo distintos. Conforme explica o docente do ICT/Unifesp, a ideia do site é fornecer uma previsão de entradas de pacientes com covid-19 a partir do número de internações das semanas anteriores. Com esses dados em mãos, secretarias de saúde e hospitais podem planejar a contratação de pessoal e a compra de equipamentos.

“Entre março e abril de 2020, a mídia passou a relatar a falta de leitos de UTI na Itália, epicentro da pandemia há um ano. Decidi me reunir com os estudantes Fernando Soares, Igor Magro, Leonardo Correia, Ana Bellini e Renan Butkeraites, agora já formados e no mercado, e desenhar um projeto que pudesse atender a essa lacuna no Brasil. Também se somaram ao projeto os professores Antonio Chaves, Claudia Campos e Horácio Yanasse, do ICT/Unifesp, e os professores Camila Bertini e Taís Konstantyner, da EPM/Unifesp. Como aqui no Campus São José dos Campos estudamos bastante a previsão de demandas na indústria, como a quantidade de itens, levamos conhecimento aos hospitais”, explica.

Cada unidade de saúde que adota o aplicativo pode subir uma planilha de dados para o site e, a partir dessas informações, obter a previsão da necessidade de leitos para suprir a demanda existente. A administração dos dados, que se referem a pacientes, é totalmente sigilosa, tanto que somente aquela unidade que adotou a ferramenta pode consultar os resultados da previsão – mediante uma senha de acesso. Cada usuário acessa apenas os seus dados, nem os pesquisadores e estudantes têm acesso. A gestão de dados segue a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD).

Os estudantes, responsáveis pela programação do site, utilizaram algumas das linguagens de programação mais consagradas no mercado, como SQL, C#, AngularJS e R. Por terem código aberto e muito mais recursos, permitiram a construção de uma ferramenta verdadeiramente flexível. “O Forecast pode ser usado para prever os leitos necessários ao atendimento de pacientes com covid-19, mas também por quaisquer outras enfermarias. Quando o aplicativo ficou pronto, começou toda a discussão sobre o retorno presencial às aulas no país. Foi a deixa para que nós entrássemos de cabeça no projeto Sala Planejada, e com um modelo que precisava ser somente adaptado”, detalha.

O potencial para a organização de bases de dados em saúde é enorme, inclusive nas unidades de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). “Fizemos uma parceria com o Hospital São Paulo (HSP/HU Unifesp), que nos ajudou a validar a solução. Utilizaram o aplicativo web, até o momento, hospitais e secretarias de saúde municipais e estaduais, além de pesquisadores.”

Forecasts print1

Forecasts2

O Forecast Unifesp tem outro propósito: auxiliar gestores da área de saúde a organizar os leitos de UTI em hospitais, sejam eles públicos ou privados. Cada unidade de saúde que adota o aplicativo pode subir uma planilha de dados para o site e, a partir dessas informações, obter a previsão da necessidade de leitos para suprir a demanda existente. O app pode ser usado, contudo, tanto por hospitais quanto pelas secretarias de saúde para compreender as necessidades daquela unidade de atendimento

 

Luiz Leduino

Luiz Leduíno de Salles Neto, docente e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Pesquisa Operacional do ICT/Unifesp
(arquivo pessoal)

Tiago Silva da Silva

Tiago Silva da Silva, docente de Ciência da Computação do ICT/Unifesp
(arquivo pessoal)

Luís Felipe Bueno

Luís Felipe Bueno, docente de Otimização Não Linear do ICT/Unifesp e coordenador científico do projeto Sala Planejada
(arquivo pessoal)

Thiago Siqueira Santos

Thiago Siqueira Santos, professor do IFSP e doutorando no Programa de Pós-Graduação em Pesquisa Operacional (Unifesp-ITA)
(arquivo pessoal)

Camila Bertini Martins

Camila Bertini Martins, docente do Departamento de Medicina Preventiva da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp) 
(arquivo pessoal)

Frederico José Ribeiro Pelogia

Frederico José Ribeiro Pelogia, estudante de Engenharia da Computação do ICT/Unifesp
(arquivo pessoal)

Renan Brito

Renan Brito, egresso do doutorado em Pesquisa Operacional da Unifesp-ITA
(arquivo pessoal)

Francisco Nogueira Calmon

Francisco Nogueira Calmon Sobral, professor adjunto do Departamento de Matemática da Universidade Estadual de Maringá (UEM)
(arquivo pessoal)