Terça, 04 Agosto 2020 12:04

Hospital São Paulo coordena centro de estudo neonatal e pediátrico internacional

Projeto denominado EPICENTRE vai gerar banco de dados que possibilitará o desenvolvimento de pesquisas com pacientes pediátricos com covid-19

Por Juliana Cristina

O Hospital São Paulo, hospital universitário da Universidade Federal de São Paulo (HSP HU Unifesp) coordena, dentro do território nacional, o projeto de Registro Neonatal Pediátrico EsPnIc Covid pEdiatric NeonaTal Registry (EPICENTRE). A ação tem como objetivo gerar banco de dados que possibilitará o desenvolvimento de pesquisas com pacientes pediátricos com covid-19. A instituição foi escolhida por ter sido a primeira no Brasil a receber da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) a autorização para participar do projeto e, por conta disso, foi escolhida para gerenciar os trabalhos.

Apresentado em março deste ano pela Sociedade Europeia de Cuidados Intensivos Pediátricos e Neonatais (ESPNIC, sigla em inglês para European Society of Paediatric and Neonatal Intensive Care) com o intuito de criar um registro multicêntrico e colaborativo internacional de dados epidemiológicos e fisiopatológicos de pacientes pediátricos covid positivos, o EPICENTRE vai gerar um banco de dados que possibilitará o desenvolvimento de análises em três grupos de pesquisa: recém-nascidos de mãe covid positivo, recém-nascidos que contraírem o novo cCoronavírus no período pós-natal e pacientes pediátricos (dos 30 dias de vida aos 18 anos de idade) com diagnóstico de covid-19.

O coordenador da UTI Pediátrica do HSP/HU Unifesp, Nilton Ferraro Oliveira, aponta que a obtenção de experiência clínica e de conhecimento científico é ainda mais dependente do trabalho conjunto entre diversos centros de excelência ao redor do mundo. “Mais de 120 unidades de terapia intensiva em todos os continentes já aderiram ao projeto, gerando uma expectativa que este será um projeto de grande impacto no meio científico”, ressalta. A infecção viral causada pelo Novo Coronavírus apresenta um número menor de casos em pacientes pediátricos - em contraste com as ocorrências em pacientes adultos.

A ESPNIC, em parceria com a Universidade de Melbourne, na Austrália, encarrega-se da gestão logística, administrativa e de análise de dados do projeto, sob coordenação dos docentes Daniele de Luca (Paris, França) e David Tingay (Melbourne, Austrália). “Temos a expectativa de que os colegas intensivistas pediátricos brasileiros se envolvam neste importante projeto que certamente será mais uma iniciativa de sucesso e de impacto, como várias outras já realizadas, patrocinadas pela ESPNIC. No momento estamos realizando a divulgação do EPICENTRE entre nossos pares e já começamos a incluir diversos centros de pesquisa importantes como instituições coparticipantes”, comenta Oliveira.

A comunicação entre os centros participantes e o centro coordenador é realizada online, sediada e gerida pela Universidade de Melbourne. É possível ter acesso à informações do projeto virtualmente, acessando este link.

 

Lido 548 vezes Última modificação em Quarta, 02 Setembro 2020 13:29

Mídia