Quarta, 08 Novembro 2017 10:38

Judith Butler realiza palestra e participa de debate na Unifesp

Escritora e docente da Universidade da Califórnia, em Berkeley, falou sobre o livro Caminhos Divergentes

Por José Luiz Guerra

Judith Butler durante palestra sobre seu livro Caminhos Divergentes
Judith Butler durante palestra sobre seu livro Caminhos Divergentes

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) recebeu na noite do dia 6 de novembro, no Teatro Marcos Lindenberg, a escritora e docente da Universidade da Califórnia, em Berkeley, Judith Butler. Ela veio ao Brasil para divulgar o lançamento de seu livro Caminhos Divergentes, que faz uma análise da judaicidade e do sionismo.

Além da palestra de divulgação da obra, Butler integrou uma mesa de debate sobre o tema, da qual participaram a reitora da Unifesp, Soraya Smaili, o professor da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH/Unifesp) Silvio Rosa e o docente da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP) Vladimir Safatle.

Soraya, que é autora do texto de orelha da obra de Judith Butler, abriu as atividades apresentando o currículo da palestrante, ressaltando toda a sua trajetória acadêmica, desde a graduação até a chegada à cadeira de docente, além de sua relevância, no campo da Filosofia, Psicanálise e da Literatura. “Judith é conhecida por sua voz crítica e sempre muito bem fundamentada em todos os seus escritos e intervenções públicas. Como genuína pensadora, tem abertura para tratar de questões do contemporâneo com engajamento, diálogo dentro e fora da academia e com uma boa dose de afeto e humanidade”, afirmou.

A reitora ressaltou também seu comprometimento com as questões relativas ao feminismo, às questões de gênero, à violência e à injustiça relacionadas às guerras, à transfobia, à tortura, à violência policial, ao antissemitismo e à discriminação racial de todos os tipos.

“Estou muito feliz por estar aqui e pela recepção de vocês. Me sinto muito bem-vinda”, disse Butler no início de sua palestra. Ela agradeceu à Unifesp pelo convite e à Editora Boitempo pelo apoio na divulgação de sua obra. “Hoje teremos a chance de pensarmos juntos sobre a situação atual no mundo”, completou.

Durante sua palestra, Butler discutiu a relação Israel-Palestina no que diz respeito às questões territoriais, étnicas e religiosas. A escritora lembrou também dos princípios do Judaísmo, que pregam a paz, e condenou o antissemitismo, bem como toda e qualquer forma de discriminação.

Butler lembrou ainda da questão do sentimento de pertencimento a um território. Para ela, israelenses e palestinos deveriam viver em harmonia, em um estado binacional e citou diversos autores que defenderam a convivência e a tolerância entre os povos.

Na mesa de debates, Silvio Rosa leu trechos da obra de Butler, citando, em especial, um dos capítulos, denominado Lampejos, que discute fatos apagados ao longo da história. O docente elogiou a abordagem e a pertinência do tema retratado no livro, que indica a necessidade de discutir situações atuais como a dos refugiados com ou sem Estado.

Já Vladimir Safatle afirmou reconhecer na obra uma forma de superar os limites de Estado-nação e o caso Israel-Palestina, para ele, é o exemplo contemporâneo mais adequado.

Ao final do debate, os participantes da mesa responderam às perguntas da plateia, que lotou todos os espaços disponíveis no teatro.

Lido 6848 vezes Última modificação em Quarta, 17 Outubro 2018 21:55

Mídia