Terça, 05 Janeiro 2016 14:42

Grupo de Trabalho Perus dá início à coleta de sangue para análise de DNA

Comparação será feita entre amostras dos familiares de desaparecidos políticos e material genético das ossadas

Por Antonio Saturnino

IMG 7977
GTP apresenta ao Comitê de Acompanhamento informações sobre o início da coleta de sangue dos familiares

O Grupo de Trabalho Perus (GTP), que atua no processo de identificação das ossadas encontradas em uma vala clandestina no Cemitério Dom Bosco, no bairro de Perus, em São Paulo, deu início às coletas de sangue de familiares de desaparecidos políticos da época da ditadura militar. Acredita-se que os restos mortais desses militantes possam estar entre as ossadas.

As coletas foram feitas por meio de métodos reconhecidos em protocolos internacionais, e já foram realizadas na região Nordeste do Brasil e na cidade de São Paulo. No mês de fevereiro o mesmo procedimento será efetuado no Rio de Janeiro e a previsão é de que todas as coletas sejam concluídas ainda no primeiro semestre deste ano.

As análises de DNA serão realizadas por meio de comparação genética entre as amostras dos familiares e das ossadas.

O GTP é resultado da parceria entre a Unifesp, a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR) e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC).

 

Lido 6538 vezes Última modificação em Quarta, 06 Junho 2018 13:53

Mídia