Segunda, 31 Agosto 2015 14:08

Ato-aula público na Unifesp Osasco discute greve e defende universidade pública e gratuita

Participaram do encontro membros da comunidade acadêmica e autoridades no assunto

Foi realizado na terça-feira (25/08), no auditório da Escola Paulista de Política, Economia e Negócios - Campus Osasco da Unifesp, um ato-aula público em defesa da universidade pública e gratuita. A atividade contou com a participação de estudantes, técnico-administrativos, professores da universidade, além de outros membros da comunidade acadêmica e autoridades no assunto.

Dentre os objetivos do encontro estavam: informar aos participantes sobre o andamento da greve nacional nas Instituições Federais de Ensino Superior, analisar as consequências do ajuste fiscal para a educação pública e gratuita em nosso país, além de unir forças em uma mobilização consciente e bem fundamentada contra os cortes e pela manutenção e expansão da universidade pública, gratuita e de qualidade.

Na mesa estavam presentes Plínio de Arruda Sampaio Junior, professor do Instituto de Economia da Unicamp; César Minto, professor do Instituto de Educação da USP, presidente da Associação dos Docentes da USP (ADUSP) e diretor do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES); Luis Ricardo Pomaro Mendes, representante dos estudantes e coordenador-geral do Diretório Acadêmico XIV de Março; Alessandra Ramada da Matta, representante dos servidores técnico-administrativos da EPPEN, em greve; Murilo Leal, docente do Eixo Comum e Alberto Handfas, docente do curso de Ciências Econômicas e mediador dos trabalhos.

“As exposições possibilitaram aliar uma visão abrangente da crise internacional à percepção de seus efeitos sobre a economia brasileira e o orçamento público, especificamente das universidades e o da Unifesp”, analisa o professor Murilo Leal. Ao final das atividades foi aprovado um calendário de ações ocorridas na última semana, visando fortalecer a união e movimentação de estudantes, técnicos e professores em defesa do ensino público, gratuito e de qualidade como direito dos cidadãos.

Lido 5931 vezes Última modificação em Terça, 13 Outubro 2015 13:56

Mídia