×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 429
Quarta, 12 Março 2014 08:44

Túnel da Ciência Max Planck e Unifesp: a importância dessa parceria

A exposição multimídia, inédita no Brasil, contou com o apoio da universidade

Dentre as comemorações da temporada "Alemanha+Brasil 2013-2014 - Quando ideias se encontram", a cidade de São Paulo recebeu, entre os dias 30 de janeiro e 21 de fevereiro, a exposição multimídia "Túnel da Ciência Max Planck", inédita no Brasil e que contou com o apoio da Unifesp, única instituição de ensino parceira do evento.

Produzida pela Sociedade Max Planck, organização sem fins lucrativos, e outras parceiras, a atração global, na sua versão mais recente — a 3.0 —, abordou importantes temas da pesquisa básica, mostrando as oportunidades científicas e tecnológicas para futuras inovações.

"Casou-se muito bem com o valor que a pesquisa básica tem na Unifesp. Os nossos cursos de pós-graduação nessa área possuem quase sempre as maiores notas do Brasil", explicou o professor Esper Cavalheiro, pró-reitor de Planejamento. "Foi muito interessante para nós termos esse relacionamento", complementou.

A Unifesp participou de vários momentos de elaboração do projeto, sendo elo do sistema federal envolvendo o Ministério da Ciência e Tecnologia e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Além disso, a experiência dos visitantes foi aperfeiçoada com a presença de monitores e coordenadores.

Os 32 estudantes de graduação e pós-graduação da universidade foram selecionados para trabalhar como mediadores da exposição. "Foi um processo bastante competitivo para a escolha dos nossos alunos. Tivemos, em uma chamada de curtíssimo prazo, mais de 300 inscritos de todos os campi. Tenho muito orgulho de tê-los nos representado", ressaltou a professora Soraya Smaili, reitora da Unifesp.

Além disso, esse apoio também fortaleceu os laços entre a Unifesp e a Alemanha. "Abriu portas para outras colaborações. Nossos pesquisadores tiveram chance de conhecer parceiros e estabelecer novos contatos que serão muito bons para o futuro da instituição", falou Cavalheiro.

Atualmente, a universidade possui dois convênios alemães com a Max-Delbrück Center for Molecular Medicine Institut (LAI) e a Frei Universitat Berlin (FUB). "Nós já temos, há muito tempo, essa interação. A Unifesp está reformulando e também incentivando e apoiando todas as estratégias de internacionalização. Essa atividade coroa a necessidade dessa relação entre os cientistas", comentou Soraya.

O "Túnel da Ciência Max Planck" reuniu os resultados das mais atuais pesquisas científicas compondo oito módulos - Cérebro, Complexidade, Energia, Matéria, Saúde, Sociedade, Universo e Vida - e que foram apresentados de forma interativa e lúdica com imagens, ilustrações e vídeos, facilitando o entendimento de um público diversificado, atingindo tanto crianças, como adultos.

A programação englobou ainda palestras e mesas redondas. O evento contou com a participação de Ernin Neher, pesquisador da Sociedade Max Planck e prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia em 1991. "Essa exposição e a presença do professor Neher mostram a importância que a pesquisa básica tem, não só para a tecnologia, mas para o conhecimento de maneira geral. Para nós, da Unifesp, é uma honra participar dessa atividade de extrema relevância e que celebra a interação entre nossos países, Brasil e Alemanha", disse Soraya.

Criada no ano 2000, a exposição já visitou 20 países e recebeu mais de nove milhões de pessoas em suas três edições. A versão, que chegou à cidade de São Paulo, foi apresentada primeiramente em São Petersburgo e Moscou para depois seguir para a China.

 

Lido 5684 vezes Última modificação em Quarta, 14 Outubro 2015 15:40

Mídia