Quinta, 19 Fevereiro 2015 11:27

Grupo de Trabalho Perus apresenta o resultado atualizado da análise das ossadas

Autoridades dos governos Federal e Municipal, e da universidade 
se reuniram para apresentar à imprensa o andamento das verificações

 

IMG 3276

No último dia 10 de fevereiro foi realizado no Centro de Antropologia e Arqueologia Forense (CAAF) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), um encontro entre as autoridades envolvidas para atualizar os resultados no processo de análise das ossadas localizadas em uma vala clandestina em Perus. Na ocasião estiveram presentes a reitora da Unifesp, Soraya Smaili, a ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência, Ideli Salvatti o secretário e secretário-adjunto de Direitos Humanos na prefeitura de São Paulo, Eduardo Suplicy e Rogério Sottili respectivamente, e a presidente da Comissão Especial dos Desaparecidos Políticos, Maria Eugênia Gonzaga.

O objetivo do encontro foi atualizar as informações sobre o processo de análise e dar transparência ao processo como um todo. As autoridades destacaram a importância de que o trabalho seja realizado em permanente diálogo e dando acesso irrestrito ao familiares. "Os parentes de desaparecidos políticos têm papel importante na luta pela identificação das ossadas, inclusive na localização da vala comum de Perus, e desde então eles não descansaram. São sempre atuantes e presentes nesta luta. Não é certo que chegaremos ao final deste processo com a identificação de todos os desaparecidos políticos que podem estar lá, por isso é importante que não paire nenhuma dúvida sobre nosso trabalho. Que, caso não consegamos identificar as ossadas, que todos saibam que fizemos tudo que devia ser feito", explicou Sotilli.

A reitora Soraya ressaltou três pontos fundamentais para que o trabalho seja bem sucedido: a necessidade de um processo científico acadêmico, com protocolos, não apenas da área de medicina legal; a troca de informações e experiência entre profissionais do Brasil e estrangeiros, de modo a acelerar a realização do trabalho; o acompanhamento de perto dos familiares, pois eles têm toda a história dos desaparecidos, presenciaram cada passo do processo e estão diretamente envolvidos. A reitora também exaltou a importância do CAAF, mesmo após a ação de Perus. "Ele vai se tornar um centro de pesquisa, divulgação e de trabalho de grande importância para a sociedade. No segundo semestre terá início o curso para formar profissionais desta área. Queremos formar cada vez mais pessoas com o objetivo de disseminar este projeto em todo país', comentou.

Na ocasião, Samuel Ferreira, coordenador científico do grupo, apresentou um panorama atual das análises. De acordo com ele, as ossadas estão apresentando diversos tipos de degradação, porém isto não está, até o momento, inviabilizando o estudo antropológico, que visa estimar o sexo, idade e estatura, além de detectar possíveis lesões que tenham contribuído, ou que sejam a causa da morte. Já está comprovado que algo em torno de 25% das caixas tem ossos misturados. Em uma delas, por exemplo, havia vários ossos de crianças, portanto sem possibilidade de serem desaparecidos políticos, e no meio um único osso de adulto, que pode ser de algum militante da época da ditadura militar.

Até o momento, 161 caixas com ossos foram abertas. Esses restos mortais já foram limpos e preparados para a identificação. Ao todo 144 esqueletos foram analisados, sendo que três apresentam lesões compatíveis com ação de projétil de arma de fogo e oito por ação contundente que, até o momento, podem ser consideradas as causas da morte ou contribuído para o óbito. Pelo fato de as caixas possuírem ossadas de vários indivíduos, todas serão verificadas, para não haver dúvidas de que todas as possibilidades de localização foram esgotadas.

"Os resquícios da ditadura e da política de desaparecimento ainda estão muito presentes. Vamos fazer tudo para dar a esses familiares a possibilidade de completar o processo de luto", completou a ministra Ideli Salvatti.

 

Lido 5624 vezes Última modificação em Quarta, 06 Junho 2018 13:55

Mídia