Terça, 15 Junho 2021 12:52

Projeto do ICAQF/Unifesp é selecionado em chamada para modernização do setor de saneamento

Proposta combina processos físico-fotoeletroquímicos para remover substâncias que causam gosto e odor em água potável

Sistema Fotoeletroquímico e Eletroquímico portal
Sistema fotoeletroquímico e eletroquímico

O projeto intitulado Uso combinado de processos físico-fotoeletroquímicos para remoção de substâncias que conferem gosto e odor em água potável, do Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF/Unifesp) - Campus Diadema, foi um dos 13 selecionados pela 3.ª chamada de propostas Fapesp-Sabesp 2020. Previsto para ser concluído no prazo de três anos, ele terá valor total de investimento de R$ 1.3 milhão, sendo esse montante dividido entre as três instituições envolvidas (Fapesp, Sabesp e Unifesp).

"Em nosso projeto, empregaremos processos que conseguem remover substâncias do meio aquoso por retenção ou destruição dos contaminantes. Os processos de retenção utilizarão carvões ativados – similares ao que temos nos filtros de nossas casas – e membranas poliméricas que filtram, assim como filtramos um café, mas que ao invés de reterem sólidos, retém substâncias solúveis devido ao tamanho diminuto dos seus poros. Os processos de destruição são mais complexos e aplicam eletrodos capazes de produzir radicais livres que são muito reativos e destróem matéria orgânica, incluindo contaminantes. O uso combinado desses diferentes processos pode levar a uma maior eficiência de remoção de poluentes e ainda reduzir custos do tratamento", detalha a coordenadora do projeto e docente do ICAQF/Unifesp, Christiane de Arruda Rodrigues.

Ela explica que esses diferentes tipos de processos já são utilizados para o tratamento de água e efluentes. Entretanto, o único amplamente aplicado é a filtração com carvão ativado. Como diferencial da proposta, ainda segundo a docente, serão empregados carvões ativados preparados com resíduos agroindustriais brasileiros, visando impulsionar a bioeconomia e a economia circular, sendo que a Unifesp já detém patente de produção de alguns desses carvões. "Já os eletrodos ativados pela luz UV e solar a serem aplicados nos processos fotoeletroquímicos serão nanoestruturados e desenvolvidos na Unifesp. As membranas e a degradação empregando radicais livres são técnicas mais caras e têm sido utilizadas pontualmente no mundo. Contudo, apresentam respectivamente uma eficiência de retenção e destruição de contaminantes muito atrativa. O uso combinado dos três processos é o nosso desafio, de forma a ganhar eficiência e reduzir custos, simultaneamente", finaliza.

Além da coordenação da professora Christiane de Arruda Rodrigues, o trabalho terá a colaboração das docentes Geórgia Labuto e Cristiane Reis Martins, ambas do Campus Diadema da Unifesp, e cooperação da professora Simone Stülp, da Universidade do Vale do Taquari (Univates) do Rio Grande do Sul. O professor Rodnei Bertazzoli, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), atuará como consultor da equipe.

A 3.ª chamada, publicada no âmbito do Acordo de Cooperação para Desenvolvimento Tecnológico assinado pela Fapesp e pela Sabesp, integra o Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE). A chamada recebeu, ao todo, 51 projetos. O objetivo dos trabalhos selecionados é buscar soluções que ampliem a eficiência operacional do ciclo de saneamento e o desenvolvimento e integração de esforços de inovação e que contribuam para a geração de novos padrões tecnológicos e novos negócios no setor.

*Com informações da Agência Fapesp

 

Lido 655 vezes Última modificação em Segunda, 21 Junho 2021 08:25

Mídia