Sexta, 22 Novembro 2019 18:23

Sessão solene da Alesp presta homenagem aos 25 anos da Unifesp

Autoridades, parlamentares, comunidade acadêmica e setores da sociedade civil participaram do evento

Por José Luiz Guerra

Sessão Solene da Alesp em homenagem aos 25 anos da Unifesp
Sessão Solene da Alesp em homenagem aos 25 anos da Unifesp

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) promoveu, na manhã de sexta-feira (22/11), Sessão Solene em celebração aos 25 Anos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O evento ocorreu no Palácio 9 de Julho, sede do legislativo estadual, e foi proposto pelos deputados estaduais Ênio Tatto, Teonildo Barba e Marcia Lia. A cerimônia reuniu membros da comunidade acadêmica da universidade, dirigentes e representantes de universidades públicas estaduais e federais, além de setores representativos da sociedade civil.

Compuseram a mesa principal da sessão o deputado estadual Teonildo Barba, que presidiu a cerimônia, a reitora da Unifesp, Soraya Smaili, o vice-reitor da Unifesp, Nelson Sass, o reitor da Universidade Federal do ABC (UFABC), que também representou a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), Dácio Matheus, a pró-reitora de Cultura e Extensão Universitária da Universidade de São Paulo (USP), que representou o reitor da instituição, Vahan Agopyan, Maria Aparecida de Andrade Morais Machado, representando o reitor do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), Eduardo Modena, o seu assessor, Newton Lima Neto, a secretária regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, Marimélia Porcionatto, e a deputada estadual Professora Bebel (PT/SP).

Maria Aparecida Machado iniciou as homengens parabenizando a toda a comunidade acadêmica da Unifesp pelos 25 anos da instituição e afirmou que a universidade, ao longo desse período, marcou com excelência o ensino público e gratuito, refletido na contribuição da universidade não só para o Estado de São Paulo, como para o Brasil e para os países com os quais possui acordos de cooperação. Newton Lima Neto parabenizou a iniciativa de homenagear uma instituição que, segundo ele, é um orgulho para todos. “Quando fui reitor da UFSCar (1992 a 1996), a instituição se posicionou favorável à criação da primeira universidade de campo do Brasil, que era, até então, da área da Saúde, quando houve a transformação da nossa querida Escola Paulista de Medicina em Unifesp, no ano de 1994”. Também citou o orgulho que tem pela instituição, na área da ciência e, em especial, na da formação de pesquisadores e profissionais, transmitindo os cumprimentos do reitor Eduardo Modena. “A Unifesp é absolutamente comprometida com o desenvolvimento econômico e social no nosso estado e do nosso país”, completou.

Importante impacto social e relevância

Em sua fala Dacio Matheus (UFABC) ratificou que a Unifesp é uma das principais promotoras do desenvolvimento científico do Brasil e, assim como outras instituições brasileiras, possibilitou que o ensino superior chegasse aos mais profundos rincões do estado e do país, proporcionando mudança no padrão de vida por meio da educação pública, gratuita e de qualidade. “Para nós, é um grande orgulho poder dividir esse dia de comemorações, homenagens, mas, sobretudo, de reconhecimento do papel da Unifesp e de sua equipe de professores, servidores técnicos administrativos em educação e alunos que contribuem sobremaneira para o desenvolvimento do ensino superior, da ciência e da tecnologia no Brasil”. Já Marimélia Porcionatto, que também é docente da Unifesp, relembrou, emocionada, de sua formação acadêmica, desde a graduação até a livre-docência, realizada na instituição, e reforçou a presença da universidade na pesquisa em todas as áreas do conhecimento, sempre com destaque nacional e internacional. “A Unifesp conseguiu, nesse pequeno espaço de tempo, uma expansão com muita união e perseverança da comunidade, que sempre batalhou para que a instituição fosse, de verdade, ampla, com ações socialmente referenciadas”, afirmou. Ela indicou, ainda, a preocupação com que as pesquisas desenvolvidas na instituição tenham importante impacto social e relevância e, em nome do presidente da SBPC, Ildeu de Castro Moreira, transmitiu os parabéns à instituição.

Vice-reitor enaltece egressos

Também egresso dos cursos de graduação e pós-graduação da Unifesp, Nelson Sass acompanhou como aluno e como docente o nascimento e crescimento da instituição. Ele explanou que a celebração dos 25 anos da Unifesp comemora o sistema de universidades federais como um todo. Sass agradeceu a todas as categorias que atuam na Unifesp e que fazem uma universidade com atuação altamente diferenciada. “Ser um egresso da Unifesp é um grife importante do ponto de vista do reconhecimento do mercado de trabalho e das conquistas científicas, reconhecidas em escala global”. O vice-reitor apontou também os recentes resultados divulgados pela Times Higher Education, o que coloca a instituição em uma posição de destaque dentre as principais universidades do mundo, inclusive as centenárias. “Tenho um enorme orgulho de ser Unifesp, uma instituição que se alinha às demandas da sociedade e que não vê a formação acadêmica somente do ponto de vista de uma profissão, mas de cidadãos que sabem inserir sua qualificação profissional dentro dessa sociedade, sendo que não há outro caminho para o progresso humano que não seja por meio da educação”, completou.

Estudantes e egressos da Unifesp foram convidados a dar os seus depoimentos em relação à influência da universidade em suas carreiras acadêmicas. Entre as declarações, foram destacadas a oportunidade de ser o primeiro membro da família a ingressar na instituição, a possibilidade de apresentar trabalhos acadêmicos em grandes congressos, a formação acadêmica na graduação, mestrado e doutorado, a mobilidade acadêmica para universidade no exterior e a criação de empresas que propiciam a aplicação do que foi aprendido na universidade em benefício da população. Os estudantes e egressos que falaram na tribuna do Plenário foram: Flavia Cristina Kolchraiber (EPE/Unifesp) – Campus São Paulo, Laís Vales Mennitti (ISS/Unifesp) – Campus Baixada Santista, Thabata Ganga (ICT/Unifesp) – Campus São José dos Campos, Paula Aparecida Vieira Geraldelli (EFLCH/Unifesp) – Campus Guarulhos, Ivo Ferreira (EPPEN/Unifesp) – Campus Osasco, Cássio Nascimento (ICAQF/Unifesp) – Campus Diadema e Verônica Fernandes de Campos (EPM/Unifesp) – Campus São Paulo.

A deputada estadual Professora Bebel disse que os 25 anos da Unifesp culminam com a história da ampliação do ensino público e gratuito para todos e todas. “Lutamos para que a ciência e a tecnologia tenham soberania e sejam, de fato, um patrimônio nacional”. Ela também cobrou mais investimentos nas áreas da educação e do desenvolvimento científico.

Reitora destaca crescimento de mais de 1.000%

A reitora da Unifesp, Soraya Smaili, agradeceu a todos os que desejaram felicitações à Unifesp e afirmou que os depoimentos das autoridades, entidades científicas e, em especial, dos alunos, fazem a instituição ter força para continuar. Ela relembrou a criação da universidade, em 15 de dezembro de 1994, e apontou a importância de todos os ex-reitores – Manuel Lopes dos Santos, Helio Egydio Nogueira, Ulysses Fagundes Neto, Marcos Pacheco Ferraz e Walter Albertoni – na construção da universidade até os dias atuais e das questões mais relevantes ocorridas nesse período. “A decisão de transformar a Unifesp de uma universidade da área da Saúde para uma instituição que atua em todas as áreas do conhecimento foi difícil, mas crescemos mais de 1.000% e hoje temos, em pouco mais de 10 anos de expansão, mais de 22 mil estudantes em todas as modalidades, sete campi, 53 cursos de graduação, 70 de pós-graduação, mais de 250 projetos sociais e cerca de 100 cursos de especialização”.

A reitora destacou a importância do Hospital São Paulo, hospital universitário da Unifesp, no atendimento à população e dos programas de Residência Médica, o maior do país, e Multiprofissional, que têm no hospital seu principal campo de aprendizado. Também citou a construção e a iminente inauguração do Hospital Universitário II, que será mais um centro de excelência em atendimento à população por meio do Sistema Único de Saúde.

Soraya reforçou que, mesmo em momentos de dificuldades financeiras, a instituição não interrompeu suas atividades e suas obras, e que foi reconhecida, por meio dos principais rankings internacionais e pela nota 5 obtida tanto no Índice Geral de Cursos como no recredenciamento pelo Ministério da Educação, como uma das principais universidades do mundo. Sobre o papel de inclusão social, citou que a instituição possui 65% de seus estudantes com renda familiar até 1,5 salário mínimo.

Encerrando a sessão, o deputado Teonildo Barba afirmou que os principais obstáculos para os estudantes de baixa renda são as questões sociais às quais o Brasil está submetido e citou a história de superação dos estudantes que deram seus depoimentos. “Agradeço por vocês darem a oportunidade de formar pessoas, mesmo em momentos de crise”. Falou também sobre o baixo investimento em ciência e tecnologia do Brasil, frente a países desenvolvidos, como EUA, Alemanha e Japão, e reforçou que nenhum país do mundo irá melhorar se não gerar emprego e renda. Ele afirmou ainda que as universidades têm o desafio de reorganizar a sociedade. “Parabéns à Unifesp pelos seus 25 anos. A luta continua, e quem luta, pode perder. Já quem não luta, perderá sempre”, finalizou o parlamentar.

A audiência pode ser assistida na íntegra no Canal da Alesp no Youtube.

Fotos: Alex Reipert

Lido 2148 vezes Última modificação em Segunda, 29 Junho 2020 15:05

Mídia