Sexta, 14 Dezembro 2018 13:16

Proposta da Unifesp é aprovada no Programa Doutorado Acadêmico para Inovação do CNPq

Intuito do programa é estimular a interação universidade-empresa

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) está entre as 38 instituições aprovadas no Programa Doutorado Acadêmico para Inovação (DAI) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), as quais receberão cotas de bolsas do programa. 

“Ele é uma iniciativa fundamental de política pública em ciência, tecnologia e inovação no Brasil para incremento da interação universidade-empresa, na medida em que envolve orientador acadêmico e supervisor da instituição privada. Em contrapartida, a empresa colabora para cada bolsa efetivada com recursos financeiros ou econômicos para custear despesas diretamente relacionadas à proposta no montante proporcional à taxa de bancada mensal da bolsa de doutorado”, comenta Pollyana Carvalho, diretora do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT/Unifesp).

Ela explica ainda que o objetivo da proposta da Unifesp, aprovada integralmente pelo CNPq, foi desenvolver pesquisas para enfrentar os desafios relacionados à indústria 4.0. A proposta conta a participação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia e Ciências dos Materiais, Ciência da Computação e Pesquisa Operacional, por meio da solicitação de cinco bolsas de doutorado em parceria com a Basf, Desh e Fibria. Os docentes envolvidos são Mauricio Pinheiro e Mariá C. V. Nascimento, do Campus São José dos Campos, e Cristiane Reis, do Campus Diadema.

Pinheiro atuará em dois projetos relacionados ao desenvolvimento polímeros e melhoria de processos para fabricação de fitas adesivas, tintas e aditivos para asfalto. Para ele, a aprovação é uma conquista inédita e o reconhecimento do CNPq aos pesquisadores e ao NIT/Unifesp, pelo trabalho já desenvolvido em parceria com empresas para o desenvolvimento de produtos e capacitação dos alunos para o mercado de trabalho. “Não tenho dúvidas de que essa conquista contribuirá para o crescimento da universidade, dos docentes e dos estudantes envolvidos”, conclui.

Nascimento reforça a importância do estreitamento das relações entre universidades e empresas trazidas pelo programa, incentivando e financiando projetos de doutorado em inovação. “Foi uma iniciativa excelente e pioneira do CNPq. Sem dúvida, ambos os lados se beneficiarão com trabalhos de excelência e de relevância para a indústria resultantes dessa colaboração”, complementa.

A diretora do NIT destaca ainda a participação da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa no processo, por meio do professor Paulo Schor, coordenador de pesquisa na época da submissão. “Junto com o NIT, ele fez todo o esforço de comunicação e mobilização nos campi, além da redação da proposta institucional, que integrou os vários projetos de pesquisa aplicada”, finaliza.

Confira aqui a lista completa dos projetos aprovados.

 

Lido 1751 vezes Última modificação em Quarta, 02 Janeiro 2019 10:39

Mídia