Home | Intranet

UNIFESP SPDM



 

Notícias do HSP...

 


Nota de Esclarecimento - OESP

Esclarecimentos do Hospital São Paulo com relação à matéria do jornal O Estado de S. Paulo

São Paulo, 07 de outubro de 2011

Em virtude da matéria jornalística veiculada, hoje (07.10.2011), no jornal O Estado de S. Paulo, assinada pela jornalista Karina Toledo, abordando denúncias sobre a falta de infraestrutura e a superlotação no Hospital São Paulo, a direção do Hospital São Paulo esclarece que os fatos apontados pela reportagem foram devidamente esclarecidos à jornalista, no momento da entrevista, inclusive, foi-lhe enviado um cronograma das obras, já em andamento no Hospital, que devem se estender até 2014.

Felizmente, agora, o HSP irá receber verba proveniente do REHUF (Programa de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais) e da Secretaria de Estado da Saúde, o que possibilitará a realização de reformas, compra de materiais, ampliação das áreas de atendimento, entre outros benefícios.

Todos os laudos das inspeções, sejam eles expedidos pela Vigilância Sanitária, Comgás, AES Eletropaulo ou prefeitura, estão em conformidade com a lei e estão vigentes. A documentação está disponível para àqueles que desejarem analisá-la.

O Hospital São Paulo (HSP), hospital Universitário da Unifesp, declara que obedece todas as regras de descarte de resíduos, de acordo com o estabelecido pela RDC nº 306 da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e RE nº 358/2005 do CONAMA (Conselho Nacional de Meio Ambiente); submete-se à inspeção periódica pela Vigilância Sanitária, no que diz respeito à higiene, alimentação e combate a pragas. A empresa contratada para o programa de desratização do Hospital faz verificações semanais.

Com relação ao incidente ocorrido na lavanderia, ocasionando um incêndio em uma das secadoras, danificando o forro e as instalações elétricas do local, informamos que a recuperação das partes danificadas na lavanderia será concluída até segunda-feira (10.10.2011).

No que diz respeito aos problemas de entupimentos em ralos, a administração do HSP informa que realiza o desentupimento imediato toda vez que o problema ocorre. Esclarece ainda que fornece cerca de 150 mil refeições/mês o que, eventualmente, gera obstruções nas tubulações. O mesmo ocorre na lavanderia, que higieniza mensalmente 90 toneladas de roupas, levando ao acúmulo de felpas.

Com relação à superlotação, o HSP esclarece que recebe diariamente cerca de 6 mil pessoas no pronto atendimento, pronto socorro e ambulatórios, inclusive pacientes provenientes de fora de São Paulo. Por ser um hospital referência em várias áreas da medicina e estar de portas sempre abertas a quem necessita de atendimento, o Hospital está constantemente repleto de pacientes, o que gera superlotação principalmente nas áreas de urgência.

Por este motivo, obras serão realizadas no pronto atendimento para ampliação da capacidade e melhorias nas acomodações e no espaço físico.

O Hospital São Paulo reitera sua preocupação Sócio-Ambiental, por este motivo informa que continuará tomando todas as medidas possíveis e cabíveis para que suas instalações sejam adequadas e seguras para a realização do atendimento a todos os seus pacientes.

Presidente do Conselho Gestor do HSP – HU UNIFESP
Prof. Dr. Flavio Faloppa

Superintendente do Hospital São Paulo
Prof. Dr. José Roberto Ferraro.

 

Comissão de Mortalidade Materno-Infantil do Hospital São Paulo

A Comissão de Mortalidade Materno-Infantil do Hospital São Paulo comunica que a partir desta data é obrigatório o preenchimento do campo 37 do atestado de óbito de todas as mulheres que forem internadas e obituarem em qualquer setor do Hospital São Paulo. Caso o campo não esteja preenchido o atestado de óbito será devolvido ao médico responsável.

A Comissão de Mortalidade Materno-Infantil do Hospital São Paulo comunica que a partir desta data é obrigatório o preenchimento do campo fetal ou menor de 1 ano de todo o paciente que foi internado e obituou em qualquer setor do Hospital São Paulo, campos (27/ 28 / 29 / 30 / 31 / 32 / 33 / 34 / 35 e 36). Caso os campos não estejam preenchidos o atestado de óbito será devolvido ao médico responsável.

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE DESCARTE DE LIXO INFECTANTE

Clique aqui para ler!

 

O HSP está desenvolvendo um novo projeto institucional de combate a sepse: Projeto HSP contra a Sepse

A Este projeto é liderado pelo HSP, Hospital Universitário da UNIFESP, e desenvolvido conjuntamente com os demais hospitais afiliados da SPDM.
Como é sabido, a mortalidade por sepse no Brasil e em nossa instituição é bastante elevada, acima de 50%, o que motivou à elaboração dessa estratégia de combate a doença.

Esse projeto é fruto de parceria com o Instituto Latino Americano de Sepse, responsável pela implementação da Campanha de Sobrevivência a Sepse no Brasil, com a Associação Médica Brasileira e a Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

No HSP o projeto iniciou-se em meados de 2010 e neste momento iniciamos a fase de intervenção. Foram desenvolvidos protocolos institucionais de tratamento dos pacientes com Sepse Grave e Choque Séptico e novas rotinas serão adotadas em todo o hospital.
Além disso, no dia 19/02/2011 foi realizado um simpósio de imersão para capacitação inicial do corpo multiprofissional do hospital no diagnóstico e tratamento da Sepse Grave e Choque Séptico.

Em anexo os documentos pertinentes aos protocolos desenvolvidos para as ações do Projeto:

A Diretoria do Hospital São Paulo conta com a colaboração de todos para o sucesso nesse novo desafio institucional.

Profa. Flávia Machado
Coordenadora do Projeto HSP contra a Sepse

Prof. Milton Miyoshi
Diretor Clínico do Hospital São Paulo

Prof. Marcelo N. Burattini
Diretor Técnico do Hospital São Paulo

Prof. José Roberto Ferraro
Superintendente do Hospital São Paulo

 

"Médicos Sem Fronteiras" apresenta seu trabalho no Hospital São Paulo

A organização de ajuda médico-humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) está promovendo uma ação especial de apresentação que fica até o dia 20 de dezembro no hall de entrada do Hospital São Paulo – Rua Napoleão de Barros, 737. A organização é conhecida em todo o mundo por suas ações humanitárias principalmente em países atingidos por catástrofes naturais, conflitos armados, fome e epidemias.

A Ação de MSF conta com um painel interativo que leva o visitante a explorar virtualmente o trabalho da organização em diversos países e situações. Os profissionais, pacientes e acompanhantes que estiveram interessados vão ter a chance de assistir imagens e depoimentos da equipe que trabalha em MSF. O objetivo da ação é criar uma oportunidade única para o público do Hospital São Paulo entrar em contato com uma realidade comovente e se sentir incentivado a participar de ações humanitárias.

 

III Congresso de Enfermagem do Hospital São Paulo discute a segurança do paciente

Terapia medicamentosa, segurança do paciente e carga de trabalho e infecção hospitalar foram os assuntos que dominaram os debates.

Com o tema Sistemas de segurança: desafios para cuidar e ser cuidado, o primeiro dia do III Congresso de Enfermagem do Hospital São Paulo foi bastante movimentado nesta quinta-feira, 21 de outubro. Além de palestras e mesas-redondas, a abertura do evento contou também com uma homenagem a funcionários que há décadas são considerados referências no ato de cuidar. Terapia medicamentosa, segurança do paciente e carga de trabalho e infecção hospitalar foram os assuntos que dominaram os debates.

Nas considerações de abertura, a presidente do Congresso, Sonia Regina Pereira, destacou que a segurança do paciente é um assunto atual, mas que na Enfermagem sempre foi uma prioridade. A chefe do departamento de Enfermagem, Alba Lucia Botura Leite de Barros reforçou que a expectativa de vida da população tem crescido e que é preciso ter foco na segurança específica dos idosos.

Também compuseram a mesa o superintendente do Hospital São Paulo, José Roberto Ferraro, e a Pró-Reitora de Extensão, Eleonora Menicucci, que destacaram a necessidade constante de se estar atento à segurança do paciente, sistemas de segurança do trabalhador e o universo do cuidar como algo ainda mais abrangente que o curar.

Maria Isabel Sampaio Carmagnani, diretora de enfermagem do Hospital São Paulo, foi a primeira palestrante e enumerou melhorias obtidas pelo hospital universitário nos sistemas de controle e indicadores de qualidade.

O momento de emoção do evento ficou por conta das homenagens prestadas aos profissionais: Demetria de Souza, Enoque Rodrigues da Silva, Maria José de Melo Santos (Zezé), Tereza Oliveira Agonila, Mituko Suguimoto, Celina Gomes Pavret, Sanae Nakamura Aoki, Mizuzo Ito (dona Maria Rosa), Maria das Graças Leite, Myoko Omoto, Regina Keico Itami, Rosa Aparecida Pimenta de Castro, Sanae Nakamura Aoki, Maria Isabel Carmagnani, Vera Lucia Barbosa, Sonia Regina Pereira, e Luiza Hiromi Tanaka.

O Congresso abordou os assuntos: qualidade dos registros, prevenção de iatrogenias durante a hospitalização, aspectos jurídicos do cuidar e ser cuidado, condutas de enfermagem: prevenção e ação, segurança do profissional.

Fonte: Imprensa UNIFESP

 

Inauguração da UTI do Hospital São Paulo

A Universidade Federal de São Paulo, a Disciplina de Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva e a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina/Hospital São Paulo inaugurou as novas instalações da Unidade de Terapia Intensiva, dia 7 de maio de 2010, no 6º andar do Hospital São Paulo.

Este empreendimento, que dá continuidade ao Programa de Modernização do Hospital São Paulo, foi possível graças ao apoio do Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e da parceria do Banco Bradesco, para consecução deste projeto.

Instalada numa área de 945 m2 representa para o Hospital um grandioso passo na melhoria da qualidade. Com a criação de uma ala exclusiva de UTI, foi possível o aumento de 29 para 35 leitos (um acréscimo de 6 leitos para o SUS) totalmente adequados, atendendo plenamente às normas da ANVISA, aos quesitos de acessibilidade, conforto e segurança aos pacientes e profissionais da saúde, com características diferenciadas e humanizadas como: total privacidade nos leitos; painéis individuais para fotos; iluminação natural com janelas em todos os leitos; iluminação artificial com regulação de intensidade; som ambiente regulável por leito; presença de monitores e ventiladores de última geração; horário de visita estendido para que os pacientes acordados fiquem em companhia de seus familiares etc. Esta unidade contará, também, com condições plenas para o atendimento a pacientes obesos e pacientes que necessitarem de isolamento, para os eventuais casos de gripe H1N1.

Cabe também ressaltar o enfoque multiprofissional do cuidado, no qual médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, nutricionistas e outros profissionais da saúde, atuam de modo integrado com foco no paciente, seguindo protocolos clínicos reconhecidos e atualizados. Acreditamos que estas ações refletem a excelência na prestação da assistência, na pesquisa, na formação e no aperfeiçoamento de recursos humanos que contribuem cada vez mais para a edificação do Sistema Único de Saúde no Brasil.

Prof. Dr. Walter Manna Albertoni
Reitor da Universidade Federal de São Paulo

Prof. Dr. Rubens Belfort Jr.
Presidente da SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina

Prof. Dr. Flávio Faloppa
Presidente do Conselho Gestor do Hospital Universitário

Prof. Dr. José Roberto Ferraro
Superintendente do Hospital São Paulo

Prof. Dr. José Luiz Gomes do Amaral
Professor Titular da Disciplina de Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva

Profa. Dra. Maria Angela Tardelli
Chefe da Disciplina de Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva

Profa. Dra. Flávia Ribeiro Machado
Chefe do Setor de Terapia Intensiva da Disciplina de Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva

 

Sala Interativa de Assistência ao Parto do Hospital São Paulo

È com muito orgulho e satisfação que a Universidade Federal de São Paulo, o Departamento de Obstetrícia, a SPDM e o Hospital São Paulo entregam à comunidade no próximo dia 7 de maio, a Sala Interativa de Assistência ao Parto, em comemoração ao Dia das Mães.

Instalada no Centro Obstétrico, 8º andar do Hospital São Paulo, a Sala Interativa de Assistência ao Parto (SIAP) proporcionará maior conforto e segurança às pacientes e profissionais. Concebida com base no conceito PPP - assistência pré-parto e parto no mesmo ambiente, a sala está adequada e equipada com recursos tecnológicos de ponta, como cardiotocografia e ultrassonografia, que permitem monitorar a evolução do parto e o bem-estar do feto em tempo real, além de uma estação multimídia de apoio didático-pedagógico para estudantes de Medicina e residentes.

Com características diferenciadas e humanizadas como cores agradáveis, som ambiente e imagens relaxantes, a SIAP busca agregar os conceitos de humanização e tecnologia, promovendo o parto normal e de forma segura e inovadora.

Com uma média de 130 partos por mês, a grande maioria de gestantes de alto risco, vindas de todas as partes do país, o Serviço de Obstetrícia do Hospital São Paulo atua fortemente no incentivo à prática do parto normal e na diminuição do índice de morte materna.

Nos próximos meses, este modelo de sala de parto deverá ser multiplicado na rede de hospitais afiliados da SPDM, formada por nove instituições localizadas em diversos municípios de São Paulo, que juntos realizam cerca de 900 partos/mês. Para o Prof. Dr. Antonio Fernandes Moron o compromisso do Serviço de Obstetrícia do Hospital São Paulo é garantir o nascimento seguro da criança, preservando a saúde da mãe e "agora com maior conforto e bem-estar.

Prof. Dr. Antonio Fernandes Moron
Chefe do Departamento de Obstetrícia

Prof. Dr. José Roberto Ferraro
Superintendente do HSP

Prof. Dr. Flávio Faloppa
Presidente do Conselho Gestor

Prof. Dr. Rubens Belfort Jr
Presidente da SPDM

Prof. Dr. Walter Manna Albertoni
Reitor da UNIFESP

 

Campanha de vacinação contra a gripe H1N1 no Hospital São Paulo

O Ministério da Saúde estabeleceu um cronograma de vacinação contra a gripe H1N1 que começa a partir de 7h da próxima segunda-feira, 8 de março, com a vacinação dos profissionais da área de saúde, conforme o calendário divulgado pela Secretaria de Saúde. Para cumprir a programação, o Hospital São Paulo definiu três postos fixos de atendimento para funcionários do hospital e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) que tenham contato com pacientes no serviço assistencial e alunos que atuam no ciclo hospitalar, que funcionarão entre os dias 8 e 19 de março, conforme divulgação interna. Posteriormente, será iniciada a vacinação dos grupos prioritários definidos pelo governo federal.

Segundo a infectologista Nancy Bellei, coordenadora do setor de pesquisa de vírus respiratórios da Unifesp, após a aplicação da vacina, em geral, são necessárias até duas semanas para haver uma boa proteção e o indivíduo fica protegido por seis meses, em média. Mas ainda assim, é fundamental que a população evite o contato com o vírus, pois é possível que ocorra o contágio apesar da vacina, embora a probabilidade de infecção seja menor quando a pessoa está vacinada. Além disso, sempre existe o risco de mutação do vírus e conseqüente redução da eficácia da prevenção.

Sendo assim, a orientação principal é a mesma do ano passado. "Deve-se manter distância de quem tosse e/ou espirra, lavar sempre as mãos e não coçar os olhos, a boca ou o nariz, pois nós mesmos inoculamos o vírus no organismo quando tocamos numa superfície contaminada e levamos as mãos especialmente à boca e aos olhos. Também não se deve compartilhar copos ou talheres", reforça Nancy Bellei.

Locais de vacinação do Hospital São Paulo

Posto de atendimento CRIE (R. Borges Lagoa, 770) - das 7h às 19h - de segunda à sexta-feira - grupos prioritários

Posto de atendimento HSP (R. Napoleão de Barros, 715 e 737) - das 7h às 24h - todos os dias - funcionários

Posto de atendimento SESMT (R. Mirassol, 310) - das 7h às 16h30 - de - segunda à sexta-feira - funcionários

Se for necessário, será disponibilizado um posto volante.

Cronograma de vacinação nos postos do Ministério da Saúde

- Trabalhadores da rede de atenção à saúde e profissionais envolvidos na resposta à pandemia: 08/03 a 19/03

- Povos Indígenas: 08/03 a 19/03

- Gestantes: 22/03 a 07/05

- Doentes crônicos com até 60 anos de idade: 22/03 a 02/04

- Crianças de seis meses a dois anos: 22/03 a 02/04

- População de 20 a 29 anos: 05/04 a 23/04

- Idosos (mais de 60 anos) com doenças crônicas: 24/04 a 07/05

- População de 30 a 39 anos: 10/05 a 21/05

 

Hospital São Paulo em busca da Acreditação ONA

O Hospital São Paulo está se reestruturando para obtenção do certificado de qualidade pelo Sistema Brasileiro de Acreditação ONA (Organização Nacional de Acreditação) com ênfase no atendimento e segurança do paciente.

Com alguns anos atuando no HSP, o Escritório da Qualidade vem realizando estruturação de “times” da qualidade e focando na adequação da estrutura física do Hospital no que se refere ao atendimento às legislações pertinentes. O Projeto de Acreditação do Hospital São Paulo tem um novo desenho, cujo marco inicial será a capacitação de 40 avaliadores internos no Manual Brasileiro de Acreditação, programada para março de 2010. Ainda, no início de março se procederá ao diagnóstico interno, feito com os 40 avaliadores formados, a fim de que sejam mapeadas todas as “não conformidades” do Hospital, de alguns serviços e dos ambulatórios externos. Este diagnóstico permitirá a elaboração de metas e planos de ação para melhoria dos setores. “Acredito que somente no 2º semestre de 2010 estaremos prontos para dar início à visita do órgão certificador”, calcula o professor José Roberto Ferraro, diretor superintendente do Hospital São Paulo.

Para alcançar a Acreditação é vital o comprometimento de todas as lideranças, diretores, gerentes e chefes, além dos colaboradores de todas as áreas do hospital. “Para dar certo, um processo desse porte tem que começar de cima para baixo, inclusive para que todos se sintam motivados e partícipes. Um hospital é uma grande engrenagem em que todos se interdependem. Só para citar um exemplo, se a lavanderia parar, o centro cirúrgico, a UTI e a internação ficam prejudicadas no atendimento ao paciente. No caso da certificação, também, se todos estiverem conformes e apenas uma área apresentar não conformidades, por menores que sejam, haverá impacto no resultado, até que todos os requisitos sejam cumpridos”, explica o professor Ferraro.

Do ponto de vista conceitual, o Sistema Brasileiro de Acreditação evoluiu do foco centrado na estrutura física, de alguns anos atrás, para um foco voltado aos processos que garantam a segurança do paciente. Hoje se avalia o quanto uma não-conformidade de estrutura pode prejudicar a segurança do paciente. Enfatiza, ainda, professor Ferraro: “os sistemas de avaliação de qualidade na saúde não serão capazes de evitar o desfecho de uma doença, porém, tudo o que puder ser feito para evitar esse desfecho, será feito da melhor forma possível, e com a utilização e adesão aos protocolos”.

 

Instalada a Frente parlamentar em defesa dos Hospitais Universitários

Brasília (25/08/2009) A Frente Parlamentar em Defesa dos Hospitais Universitários foi lançada hoje, 21, em sessão na Câmara dos Deputados. A deputada *Solange Almeida (RJ) *é a presidente da frente, que tem o deputado *Geraldo Resende (MS) *como secretário-executivo.

Resolvemos instalar a frente tendo em vista que não há investimentos adequados para a formação dos profissionais de saúde do nosso país, afirmou Solange Almeida.

Uma das preocupações da Frente é com a alteração dos contratos dos hospitais universitários, que são pagos com base na tabela do SUS para os municípios, o que gera uma grande variedade de remunerações nas instituições por todo o país, na maioria das vezes abaixo do adequado para a prática do ensino de qualidade.

A Frente também deverá se reunir com o Ministério do Planejamento para solicitar novos concursos públicos para profissionais de saúde.

O deputado Geraldo Resende acredita que é fundamental a existência da Frente, pois os hospitais universitários passam por muitos problemas. Alguns pontos são considerados fundamentais pelos parlamentares, como o debate sobre a gestão e quem será responsável pelo financiamento dos hospitais, que hoje são mantidos com recursos do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação. Há uma vasta gama de assuntos que precisamos debater na Câmara e a frente será o espaço para isso, concluiu Geraldo Resende.

Texto: Roberta Ramos (FUG/PMDB)

 

Diretoria de Enfermagem do Hospital São Paulo elabora Guia Prático de Enfermagem

Livro foca atividades cotidianas baseado no contexto da realidade brasileira

A partir de estudos e vivências de docentes e enfermeiros do Hospital São Paulo, a professora Maria Isabel Sampaio Carmagnani e equipe acabam de lançar o livro Procedimentos de Enfermagem – Guia Prático, focado nas melhores práticas de cuidados de enfermagem no contexto da realidade brasileira.

De consulta rápida, o guia tem como público-alvo estudantes e profissionais na execução de atividades clínicas cotidianas. Organizado de forma lógica e prática, o conteúdo aborda: cuidados com a pele, cuidados nutricionais, cuidados com eliminações, cuidados respiratórios, verificação de parâmetros clínicos, procedimentos intravasculares, administração de medicamentos e coleta de material para exames. Há, ainda, recomendações e observações específicas que apoiam decisões em caso de dúvidas.

Algumas das principais diferenças destacadas pelo livro entre a rotina da enfermagem nos hospitais públicos do País e a literatura, especialmente norte-americana, são as questões de legislação, onde as atribuições dos profissionais podem difereir. Outro detalhe é o uso de figuras e ilustrações que representam a prática dos hospitais do País. “Os profissionais já tiveram acesso a essas informações durante sua formação, mas este material é de consulta rápida, voltado para a prática, este é o diferencial”, afirma Maria Isabel.

Como recomendação final, os autores enfatizam a importância do direcionamento do ato de cuidar como uma ação que deve envolver formação de vínculo e acolhimento. A meta é contribuir para a prática da Enfermagem de acordo com os princípios humanísticos que norteiam a profissão. “O mais relevante foi a participação de nomes que são expoentes na enfermagem em especialidades como cuidados com a pele e feridas, cuidados em ressuscitação cárdio-pulmonar, bem como procedimentos que envolvem pacientes críticos”, destaca a professora.

Assessoria de imprensa

 

Hospital São Paulo entrega à comunidade as instalações da Unidade de Tratamento de Queimaduras

É com muita satisfação e orgulho que o Hospital São Paulo - Hospital Universitário da UNIFESP entrega à comunidade as instalações da Unidade de Tratamento de Queimaduras.

Esta Unidade foi totalmente estruturada atendendo aos padrões de qualidade, segurança, acessibilidade e bem estar dos usuários e profissionais.

Esta realização só foi possível graças ao apoio do Instituto Pró Queimados, parceiros e à iniciativa da Disciplina de Cirurgia Plástica que há muito vem idealizando este projeto. Esta é mais uma etapa do PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DO HOSPITAL SÃO PAULO.

Direção do Hospital São Paulo

 

Hemocentro do Hospital São Paulo/Unifesp precisa de sangue

O Hemocentro necessita de todos os tipos sanguíneos. Doadores devem ter entre 18 e 65 anos. Clique aqui e saiba mais!

 

Hospital São Paulo figura entre os melhores hospitais públicos do Estado

Temos a grata satisfação de participar a toda comunidade que o Hospital
São Paulo figura na lista dos 45 melhores hospitais públicos do estado
de São Paulo, avaliados pelos usuários SUS, apresentando nota 9,152.

Considerando que o primeiro colocado foi auferido com a nota 9,349,
entendemos que obtivemos um desempenho satisfatório perante nossos
usuários, uma vez que somos um hospital geral, de grande porte e com
Pronto-Socorro aberto à população.

Agradecemos o comprometimento de todos para com a nossa missão, que se
traduz no atendimento de nossos pacientes.

Direção do Hospital São Paulo

Clique aqui e confira na íntegra a notícia da Secretária da Saúde do Estado de São Paulo.

 

Hospital São Paulo inaugura ala de Ginecologia reformada e modernizada

A Unidade de Internação da Ginecologia, a sala de Histeroscopia e o Anfiteatro localizados no 7º andar do Hospital São Paulo foram entregues totalmente reformados na manhã do dia 25 de novembro de 2008.

A adequação faz parte do Programa de Modernização do Hospital São Paulo que terá prosseguimento com a reforma das alas de Pediatria e Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Além da revitalização das alas, também foram instalados serviços de apoio como copa, depósito de material de limpeza e sanitários públicos.
De acordo com José Roberto Ferraro, diretor superintendente do hospital, a obra obedeceu rigorosamente as normas da ANVISA e os padrões nacionais de qualidade, segurança e acessibilidade, incluindo a correta relação entre o número de leitos e o espaço físico. As obras foram realizadas com apoio financeiro da Secretaria de Estado da Saúde.

Na ala de internação da ginecologia tudo foi modernizado e humanizado, inclusive com a colocação de cortinas cor-de-rosa para separar os leitos, dando um ar feminino e mais delicado ao ambiente.

Durante a cerimônia de inauguração, dois médicos foram homenageados pelo Departamento de Ginecologia: o professor aposentado Geraldo Rodrigues e o professor Claudio Kemp, falecido este ano.

Estiveram presentes, ao lado de funcionários e docentes, o diretor presidente da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), Flávio Faloppa; o coordenador geral das autarquias hospitalares do sistema municipal de saúde, Paulo Krom – representando o prefeito Gilberto Kassab –; o professor Afonso Celso Nasário; e o chefe da Disciplina de Ginecologia, Manoel João Batista

 

UNIFESP e Hospital São Paulo pedem Doações para Estoque de Leite

O Centro de Atendimento da Disciplina de Infectologia Pediátrica (CEADIPe) da UNIFESP e o Banco de Leite Humano do Hospital São Paulo comemorou o Dia da Amamentação (1º de Agosto) e vêm chamando a população para colaborar no aumento da captação de leite em pó e humano destinados a bebês de mães portadoras de HIV positivo e prematuros, respectivamente. Leia mais!

 

Acesso Consulta Genérica-HSP

Por decisão do comitê de ética, o acesso ao sistema de Consulta Genérica-HSP está sendo reestruturado, lamentamos o transtorno que isto está causando.

Nesse momento somente o Cadastro do Corpo Clinico-HSP e Servidores UNIFESP / Colaboradores HSP lotados no Hospital São Paulo tem acesso.

Pedimos que os Servidores UNIFESP não lotados no Hospital São Paulo que precisam ter acesso, que enviem um documento com os motivos para acesso e assinatura da chefia imediata para o Departamento de Tecnologia da Informação (Rua Botucatu, 740, quarto andar).

Para os Residentes e Pós-Graduandos LATO SENSU, solicitamos que realizem o cadastro junto ao Corpo Clinico-HSP (Intranet, menu SPDM, Ícone Corpo Clinico) para terem acesso imediato após validação da Diretoria Clinica do HSP.

Atenciosamente,

Departamento de Tecnologia da Informação.

 

Projeto Colaborador Eficiente da SPDM

A SPDM está implantando o Projeto Colaborador Eficiente que visa a inclusão de pessoas com deficiência no quadro de colaboradores.
Para o sucesso desta iniciativa, contamos com a sua contribuição na divulgação e encaminhamento de currículos ao Departamento de Recursos Humanos SPDM.

 

Inaugurado Centro de Medicina Paliativa da UNIFESP/HSP

A UNIFESP, o Hospital São Paulo e a Disciplina de Clínica Médica, inauguraram dia 30 de julho de 2008, a Unidade Ambulatorial de Assistência, Ensino e Pesquisa - Centro de Medicina Paliativa.
Esta nova unidade está localizada à Rua Pedro de Toledo, 916 - Vila Clementino, São Paulo.

 

UNIFESP/HSP recicla 10 toneladas/mês

Quase cem toneladas de lixo reciclável já foram recolhidas no complexo Unifesp/HSP desde que a coleta seletiva foi implantada, em outubro de 2007. Mensalmente, cerca de dez toneladas de materiais reutilizáveis como papelão, metal, plástico e vidro deixam de ser lançados de forma inadequada no meio ambiente.
Para captar estes objetos, recipientes específicos foram instalados no interior Hospital São Paulo e na Praça Viva, além dos diversos imóveis ocupados pelos ambulatórios e outros setores da Unifesp. Todo o dinheiro obtido com a reciclagem é aplicado no próprio programa, que também inclui o plantio de árvores e reforma do jardim da Praça Viva.

A solicitação de coletores deve ser feita na Gerência de Meio Ambiente, pelo telefone: 5084-4377.

 

Hospital São Paulo trata cardíacos graves

Cardiologistas do Hospital São Paulo/Unifesp utilizam células-tronco e nova técnica cirúrgica em casos denominados “no option” – quando o paciente não responde aos tratamentos tradicionais ou apresenta estado de saúde tão crítico que não sobreviveria a cirurgias e procedimentos mais agressivos.

As duas técnicas têm se constituído em esperança de sobrevida destes pacientes, sobretudo aqueles de idade mais avançada. Uma das inovações é uma técnica cirúrgica para substituição de válvula aórtica comprometida. Ao invés de abrir toda a caixa torácica e utilizar equipamento de circulação extracorpórea durante a cirurgia, mantendo o coração inativo – em um procedimento que duraria horas e implicaria em risco para pacientes críticos – a nova técnica consiste em realizar uma pequena abertura no peito pelo qual uma prótese de válvula aórtica compacta é introduzida, por meio de cateter, pela ponta do coração, até a parte lesionada ou sobre outra válvula já implantada no paciente e com o coração em funcionamento.
Clique aqui e leia mais no site do Depto de Comunicação e Marketing da UNIFESP

 

Breve inauguração do Laboratório Processador de Células-Tronco, no bloco cirúrgico do Hospital São Paulo

O Laboratório Processador de Células-Tronco será inaugurado em breve, no bloco cirúrgico do Hospital São Paulo, cujas instalações servirão tanto para fins de pesquisa como para a assistência médica oferecida pelo hospital.

O laboratório permitirá que a coleta e a análise de células-tronco passem a ser feitas no centro cirúrgico do hospital, o que deverá trazer mais agilidade aos procedimentos médicos no local.

“Com o novo laboratório poderemos preparar células-tronco para múltiplos propósitos”, disse Prof. Dr. Enio Buffolo, professor titular de cirurgia cardiovascular da UNIFESP e um dos coordenadores do Laboratório, à Agência FAPESP . “Para a nossa disciplina, a iniciativa beneficiará os procedimentos cirúrgicos no sentido de aumentar o fluxo sangüíneo dos vasos cardíacos dos pacientes durante as operações.”

“Essa proximidade do laboratório com os procedimentos médicos, além de torná-los mais rápidos, contribui para a diminuição do nível de contaminação por agentes externos após a extração de material de um determinado tecido para injeção em outro”, explicou Buffolo, que recentemente foi indicado para compor o corpo editorial da revista Cell Transplantation.

O Laboratório foi montado pela Fundação de Apoio à Unifesp, em parceria com a empresa CellPraxis, que petence à Cryopraxis. “No novo laboratório faremos o processamento de medula óssea para separar as células mais primitivas. Em seguida, essas células serão injetadas na musculatura cardíaca do paciente para aumentar a irrigação de sangue. Esse tipo de procedimento será feito para fins de pesquisa e de tratamento clínico”, disse Buffolo.
Clique aqui e leia mais no site da FAPESP!

 

Hospital São Paulo realiza 1º Transplante de Fígado Inter Vivos em criança de 5 meses

Os cirurgiões Dr. Adriano Miziara, Dr. Alcides Salzedas e Dr. Marcelo Linhares coordenaram e realizaram o 1º Transplante de fígado inter vivos em uma criança de 5 meses, tendo como doador o pai desta criança. O transplante foi realizado dia 27 de fevereiro de 2008 com a participação de uma equipe de multiprofissionais do Hospital São Paulo.
O pai de 25 anos que doou cerca de 20 a 25% do fígado não corre risco de vida e já recebeu alta. A criança encontra-se na enfermaria do Hospital São Paulo apresentando boa evolução.

Parabéns à Equipe do Transplante de Fígado do Hospital São Paulo!

 

Superintendente do Hospital São Paulo recebe comenda destinada a personalidades que trabalham para saúde no Brasil.

O Prof. Dr. José Roberto Ferraro, superintendente do Hospital São Paulo, foi um dos homenageados no XXXI Congresso de Oftalmologia da Unifesp, recebendo a Medalha de Ouro Moacyr Álvaro, comenda destinada a personalidades que têm trabalhado a favor da saúde ocular no Brasil.

Ao lado de Ferraro, a medalha foi concedida a Peter J. McDonnell, diretor do Wilmer Institute, da John Hopkins University (Baltimore – USA); e Philip J. Rosenfeld, professor de Oftalmologia do Bascom Palmer Eye Institute (Miami – EUA).

A homenagem aconteceu dia 29 de fevereiro de 2008, em São Paulo.
Créditos: Imprensa UNIFESP

 

Hospital São Paul reforça segurança contra incêndio

Equipe de 250 participantes na Brigada de Incêndio, hidrantes em todos os andares, cabines de eletricidade autônomas e independentes nos dois edifícios e cerca de 2 mil extintores em pontos estratégicos. Estes são alguns dos recursos disponíveis no Hospital São Paulo para combater rapidamente um hipotético incêndio, salvando vidas e preservando as instalações. Ações que vêm sendo implantadas há muitos anos e que são permanentemente aperfeiçoadas.

A maior dificuldade para adequar plenamente os hospitais mais tradicionais da cidade às normas modernas de segurança está na defasagem entre a data de construção dos edifícios – todos com 50 a 70 anos – e a da concepção dos textos legais e técnicos mais recentes, por vezes impondo adaptações que se mostram inviáveis, seja por razões estruturais, financeiras ou porque implicariam na desativação temporária do edifício, o que é impensável em um hospital de grande porte.

No HSP, a situação era de fato séria até a construção do edifício Anexo (ala C), no final dos anos 90. A idéia de interligar em um só corredor o prédio original de 1936 (alas A e B) e a nova torre serviu para dotar todo o complexo de recursos de segurança fundamentais, como portas corta-fogo e rotas de fuga.

Apesar de tornarem o conjunto bem mais seguro, essas medidas não eram suficientes para garantir a tranqüilidade de profissionais e usuários do hospital. Assim, a atual diretoria, com base nas recomendações do Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), implantou na gestão passada novidades como a contratação de um bombeiro civil, investiu na compra de mais extintores e na troca dos cabos e de toda a prumada elétrica central.

A manutenção preventiva também tem sido reforçada. O Departamento de Engenharia realiza vistorias regularmente e mantém profissionais em plantão 24 horas, para solucionar problemas de hidráulica e elétrica em qualquer dia da semana. As linhas dos principais gases oxidantes, como O2 e N2O, sofreram adequações e foram adquiridos novos geradores – são quatro, no total – para assegurar que, em caso de incêndio, a falta de iluminação e o desligamento de elevadores e equipamentos médicos não tragam pânico ou coloquem em risco a vida dos pacientes.
Créditos: Imprensa UNIFESP

 

O Hospital São Paulo e o Hospital do Rim são homenageados pelo desempenho em transplantes

Dia 26 de fevereiro de 2008, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo premiou os hospitais que mais realizaram transplantes no Estado. A premiação ocorreu em São Paulo.

Crianças que tiveram suas vidas salvas por um transplante se encontraram neste evento com os principais profissionais da área em São Paulo, para entregar o prêmio Destaque em Doação de Órgãos, que a Secretaria de Estado da Saúde promove pela primeira vez, para reconhecer hospitais, equipes médicas e Organizações de Procura de Órgãos que obtiveram melhor desempenho na viabilização de transplantes de órgãos e tecidos em 2007.

O Hospital São Paulo ficou em primeiro para transplante conjugado de pâncreas e rim, com 30 cirurgias. Entre os hospitais que mais notificaram doadores de órgãos viáveis (que tiveram um ou mais órgãos aproveitados para transplante) no ano passado, o Hospital São Paulo foi o recordista, com 102 doadores, seguido pela Santa Casa de São Paulo, com 62. Transplantes em números em 2007 houve 367 doadores de órgãos oriundos do Estado de São Paulo, 6% a mais do que no ano anterior, que registrou 347 doações.

O recordista em transplantes de rim foi o Hospital do Rim e Hipertensão / Hospital São Paulo, com 229.

O maior crescimento do número de doadores ocorreu na região da capital, Grande São Paulo e Baixada Santista, com 247 doadores, contra 228 em 2006. O Estado de São Paulo responde por 45% de todos os transplantes realizados no país.
Créditos: Imprensa UNIFESP

 

Ambulatório de Especialidades do Hospital São Paulo, situado à Rua José de Magalhães, 340 - Vila Clementino, São Paulo, SP

Telefones Úteis do Ambulatório: 5573-3011, 5539-2105 e 5549-2548
Ambulatório de Pediatria: 5083-0237
Call Center: 5083-3746, 5579-8152
Serviço Social: 5539-2107
Pré-Natal (Obstetrícia): 5579-7628

Os ambulatórios abaixo passarão à ser atendidos nos seguintes
endereços:

Pneumo Pediatria: Rua Loefgren, 1.998
Nefro Pediatria: Rua Borges Lagoa, 442
Neuro Cefaléia: Rua Pedro de Toledo, 394 (prédio do CETE).

 

 

Hospital São Paulo recebe equipe de reportagem da Veja São Paulo com a seguinte matéria (23/08/2007)

Visitinha animal - Pelo menos vinte cães "voluntários" alegram pacientes em hospitais. Por Edison Veiga e Filipe Vilicic.

Aos 3 anos, o golden retriever Joe Spencer tem agenda cheia. Às segundas e quartas, bate cartão no Hospital São Paulo, na Vila Clementino em São Paulo. Toda terça, comparece a uma escola especializada em pessoas com paralisia cerebral, no mesmo bairro, e às quintas vai ao Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer (GRAAC), na Vila Mariana. "Quando Joe não tem trabalho voluntário, ele fica tristonho", acredita a administradora Luci Borges, dona do cachorro, que desde 2005 é levado para visitar doentes e idosos. No mesmo ano, a pedagoga Cecília de Souza Leite criou um projeto similar. Hoje, coordena uma equipe com treze cães que se revezam em hospitais públicos, asilos e clínicas da cidade. "É impressionante ver como as crianças ficam felizes quando os animais entram nos quartos", conta Cecília.


Lana brinca com Joe: ele tem até crachá do HSP.

Projeto Amicão: Este é um dos muitos projetos de Humanização do HSP. Desde março de 2006, nas tardes de 4ª feira, Joe tem percorrido as unidades pediátricas do HSP, além de visitas à pacientes idosos e psiquiátricos, proporcionando momentos de entretenimento e alegria, não apenas para pacientes e familiares, como também para a equipe de saúde do HSP. Clique aqui e confira mais informações sobre este e outros projetos de Humanização do HSP!

 

 

 

 

 

Copyright © HSP/SPDM 2007
Desenvolvimento e manutenção: DIS-UNIFESP e Diretoria HSP

Última atualização:21/12/2011
Estatísticas de acesso