O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil

Inscrições entre 16 a 20/4

O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil

O curso de extensão tem como objetivo entender a ruptura democrática ocorrida em 2016. Os temas, que serão tratados pelos professores ao longo do semestre, vão da discussão dos golpes que ocorreram no passado recente aos problemas da crescente e sistemática violação dos direitos humanos. Entre os objetivos do curso estão: (1) entender os elementos de fragilidade do sistema político brasileiro que permitiram a ruptura democrática de maio e agosto de 2016, com a deposição da presidente Dilma Rousseff, (2) analisar o governo presidido por Michel Temer e investigar o que sua agenda de retrocesso nos direitos e restrição às liberdades diz sobre a relação entre as desigualdades sociais e o sistema político no Brasil e (3) perscrutar os desdobramentos da crise em curso e as possibilidades de reforço da resistência popular e de restabelecimento do Estado de direito e da democracia política no Brasil.

Programação:
8 de maio – Terça-feira - Aula de abertura
Gênero: os persistentes golpes cotidianos
Cynthia Sarti – Departamento de Ciências Sociais
Lilian Santiago – Departamento de Filosofia
9 de maio – Quarta-feira
Relação entre empresários e a ditadura de 1964
Joana Monteleone – Departamento de História
10 de maio – Quinta-feira
A política do ódio: ocupação das ruas no processo de legitimação do golpe
Tales Ab’ Sáber – Departamento de Filosofia
15 de maio – Terça-feira
2016 na Literatura Brasileira – Análise dos romances O marechal de costas, de José Luiz Passos e Diário da cadeia, de Eduardo Cunha (pseudônimo de Ricardo Lísias)
Eduino José de Macedo Orione – Departamento de Letras
16 de maio - Quarta-feira
O golpe de 2016 e a retomada da pauta neoliberal
Marcelo Carvalho – Departamento de Filosofia
17 de maio – Quinta-feira
A perseguição a professores e intelectuais na Alemanha (Leis de Nuremberg) e as tentativas de censura do governo Temer
Christina Andrews – Departamento de Ciências Sociais
22 de maio – Terça-feira
As implicações da exclusão de disciplinas como a História dos currículos do Ensino Fundamental e Médio e do novo formato do PNLD pós-golpe de 2016, em perspectiva comparativa com o período 1998-2016
Jaime Rodrigues – Departamento de História
23 de maio – Quarta-feira
Justiça de transição, as comissões da verdade e o seu impacto na redução da violência
Bruno Konder Comparato – Departamento de Ciências Sociais
24 de maio – Quinta-feira
Os conflitos na História do Brasil: operações de esquecimento, o papel do historiador e interferências externas
André Machado – Departamento de História
29 de maio – Terça-feira
Leituras de 2013: das manifestações ao golpe de 2016
José Carlos Villardaga – Departamento de História
30 de maio – Quarta-feira
Um balanço: a ditadura militar e o debate historiográfico
Janaína de Almeida Teles – Universidade de São Paulo
31 de maio – Quinta-feira
O Ensino Médio no Brasil: uma história de suas finalidades, modelos e sua atual reforma
Maria Rita de Almeida Toledo – Departamento de História

5 de junho – Terça-feira
Um golpe contra os direitos humanos e as diversidades
Renan Quinalha – Curso de Direito – Escola Paulista de Política, Economia e Negócios (EPPEN/Unifesp) - Campus Osasco
6 de junho - Quarta-feira
Agro-golpe: governamentalidade e agenda ruralista
Clifford Andrew Welch - Departamento de História
7 de junho – Quinta-feira
Pulsão de morte e estado de exceção
André Carone – Departamento de Filosofia
14 de junho – Quinta-feira
Sexismo e política: o golpe contra uma presidenta
Izilda Johanson – Departamento de Filosofia
15 de junho – Sexta-feira
Sobre o conceito de democracia
Gilberto da Silva Francisco – Departamento de História
19 de junho – Terça-feira
Lulismo, classes sociais e as causas do golpe
Carlos Bello – Departamento de Ciências Sociais
21 de junho – Quinta-feira
O governo Temer e a construção no presente de um discurso sobre o passado e sobre o futuro
Glaydson José da Silva – Departamento de História
25 de junho – Segunda-feira
Um golpe entre duas guerras e nenhuma paz: Kojève, Leo Strauss e a ideia de violência política
Silvio Rosa Filho
26 de junho – Terça-feira
O que xs historiadorxs têm a dizer sobre o golpe
Fábio Franzini – Departamento de História
27 de junho – Quarta-feira - Encerramento
Projeção e discussão do filme Intervenção - Amor não quer dizer grande coisa
Tales Ab’ Sáber – Departamento de Filosofia

Serviço:
O golpe de 2016 e o futuro da democracia no Brasil
Data: 8/5 a 27/6
Horário: das 18h às 19h30
Local: Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH/Unifesp) – Campus Guarulhos
Endereço: Estrada do Caminho Velho, 333 - Jd. Nova Cidade – Guarulhos/SP)
Inscrição
Última modificação em Sexta, 13 Abril 2018 00:47

Mídia