Imprimir esta página

Editorial

Maria Lucia Oliveira de Souza Formigoni
Pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da Unifesp

Aprofundamos, nesta edição, o debate sobre os conceitos e políticas que embasam os programas de pós-graduação (PPG) e as pesquisas desenvolvidas na Unifesp. Esses assuntos são abordados sob diversas perspectivas, começando pela filosófica. 

A prática da interdisciplinaridade – tema central dos mais recentes fóruns nacionais e internacionais sobre o desenvolvimento científico – é discutida pela professora de Filosofia Olgária Mattos. A disciplinaridade e interdisciplinaridade não se opõem, afirma Olgária. Ao contrário, uma é a base da outra: a interdisciplinaridade ocorre quando o especialista, ao compreender a complexidade de seu conhecimento, estabelece relações com os demais campos do saber. 

Outro tema que desperta calorosos debates é a internacionalização. Foco de programas como o Ciência sem Fronteiras, constitui simultaneamente uma oportunidade de acelerar a inserção da ciência brasileira no cenário mundial e um desafio. Impõe-se, por isso, definir claramente seus objetivos e a metodologia mais adequada para atingi-los. Mas isto não basta – é necessário buscar apoio financeiro, estabelecer parcerias e coordenar as diversas iniciativas que nos são apresentadas.

Esta edição registra, ainda, diversos exemplos de pesquisas realizadas em nossos campi. Os responsáveis pelas Câmaras de Pós-Graduação e Pesquisa convidaram os docentes das respectivas unidades universitárias a compartilharem com nossa comunidade seus principais projetos, os quais foram submetidos a cuidadosa seleção – para fins de publicação – pelo Comitê Científico de Entreteses, formado pelos coordenadores dos comitês de áreas, pelos membros do comitê de pesquisa e por representantes das Pró-Reitorias de Graduação e Extensão. 

(Como nem sempre as agendas foram compatíveis, e respeitando os princípios de autoria, constam como integrantes do Comitê Científico neste número somente aqueles que contribuíram significativamente para sua concepção e que participaram da maioria das reuniões.)

Procuramos manter uma certa proporcionalidade e representatividade das pesquisas realizadas na Unifesp, destacando nosso potencial para a inter e transdisciplinaridade. Os desafios da educação são apresentados em matérias sobre o ensino da Matemática e sobre o fracasso escolar. Os estudos em áreas básicas da Medicina, que abrangem fungos, células-tronco, fármacos, genética e dosímetros, levam-nos a refletir sobre a aplicação prática da ciência e os caminhos do empreendedorismo. Para isso, precisamos ampliar as ações do Nupi - Nit (Núcleo de Propriedade Intelectual – Núcleo de Inovação Tecnológica), que a partir deste semestre se reaproxima física e conceitualmente da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa.

Outros trabalhos aqui apresentados não se limitam à pós-graduação, desenvolvendo-se de modo integrado a projetos de extensão e de graduação. Eles nos permitem estabelecer a necessária integração entre os saberes científico e popular, assim como o essencial diálogo entre a universidade e os demais setores da sociedade – assunto que será tema do próximo número.

Dedicamos, por fim, a seção Perfil à geógrafa Bertha Becker (1930 – 2013), professora emérita da Universidade Federal do Rio de Janeiro, cujos estudos sobre a Amazônia constituem uma referência necessária e mundialmente reconhecida. É também nessa região do país que efetuamos pesquisas sobre a saúde indígena, foco de outra matéria deste número.

Participe da construção de Entreteses. Envie sugestões sobre os assuntos que gostaria de ver incluídos nas próximas edições. Boa leitura!

entreteses 02 2014 1  Sumário da edição 02