Unifesp/EPM

Edições
Anteriores

Informações


Boletim CEBRID
Número 55 Janeiro, Fevereiro, Março 2005

Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas

PEPIDEMIOLOGIA

5. Domiciliar 2001. Outra mais! – Olho vivo nos orexígenos

O uso na vida de orexígenos, no I Levantamento Domiciliar, foi de 4,3%, perdendo apenas para a maconha (6,9%) e solventes (5,8%). O uso de orexígenos é apresentado na Tabela a seguir e são usados para “abrir o apetite”. Vários medicamentos são prescritos como orexígenos tais como Periatin®, Periavita®, Buclina®, Apetivit®, Profol®, porém neste estudo somente foi registrado o uso não médico dessas substâncias com a finalidade de sentir “barato”.

Tabela – Uso na vida de orexígenos, distribuído segundo o sexo e as faixas etárias dos 8.589 entrevistados, nas 107 cidades do Brasil com mais de 200 mil habitantes.

Faixa etária
(anos)/Sexo

Observado
%

Intervalo de confiança
95%

12 a 17
M
F

3,5
3,3
3,7

(1,9-5,1)
(1,7-4,8)
(2,0-5,3)

18 a 24
M
F

5,0
4,5
 5,5

(3,4-6,5)
(3,0-6,1)
(3,9-7,0)

25 a 34
M
F

5,9
3,9
7,8

(4,4-7,4)
(2,6-5,3)
(6,2-9,5)

> 35
M
F

3,4
2,2
4,5

(2,6-4,2)
(1,5-2,8) 
(3,7-5,3)

Total
M
F

4,3
3,2
5,3

(3,0-5,6)
(2,0-4,5)
(3,9-6,6)

 

População estimada (em milhares)

Intervalo de confiança
95%

12 a 17
M
F

261
121
140

(139-383)
(64-177)
(77-204)

18 a 24
M

460
208
252

(317-604)
(137-280)
(183-322)

25 a 34
M
F

627
208
419

(464-790)
(137-279)
(330-507)

> 35
M
F

667
199
468

(517-817)
(135-263)
(384-552)

> 35
M
F

667
199
468

(517-817)
(135-263)
(384-552)

Os orexígenos aparecem com 4,3% do total, o que corresponde a uma população estimada de aproximadamente 2.015.000 pessoas. Esses medicamentos não estão sujeitos ao controle de venda por não serem considerados psicotrópicos. Entretanto esses produtos contêm ciproheptadina (Periatin®, Periavita®, Apetivit® e Cobavital®). A ciproheptadina é um potente anti-histamínico e antiserotoninérgico, possuindo ainda fraca ação anticolinérgica. Os efeitos colaterais principais dessas substâncias incluem sonolência, sedação, tontura, incoordenação motora e, com doses mais elevadas, excitação associada a distúrbios sensoriais. A literatura tem relatado a ocorrência de intoxicações agudas após a ingestão de doses muito elevadas de anti-histamínicos. Outra classe de orexígenos é a dos medicamentos que contêm uma substância também anti-histamínica e anti-serotonérgica, a buclizina. Nessa categoria aparecem a Buclina®, o Profol®, a Vibazina® e o Nutrimaiz®.
O uso de orexígenos já foi constatado em vários estudos do CEBRID. Vale a pena ficar de olhos bem abertos em relação a esses medicamentos.


Principal

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA
Informações:
CEBRID - Última atualização: [an error occurred while processing this directive]
 

Próximo