*

Home

Diagnóstico

Tratamento

Reabilitação

Contato

UNIFESP Virtual



DEPARTAMENTO DE GINECOLOGIA

GRUPO DE APOIO ÀS PACIENTES COM CÂNCER DE MAMA

O DIAGNÓSTICO DO CÂNCER DE MAMA

Primeiro, a dúvida ... um caroço, um nódulo, um exame com "problema"...
Depois, a espera: uma biópsia da mama...
Enfim, o diagnóstico:
câncer de mama!
E agora? Vou morrer? Quanto tempo tenho de vida? E o meu seio?
E os meus filhos? Como vão ficar?
E o meu marido, quando souber?

Quantas dúvidas e "certezas" passam na cabeça de uma mulher nesse momento...
Ouça os profissionais de saúde que estão envolvidos no seu tratamento.
Anote suas perguntas e ...
Pergunte! Desabafe!

Apesar de ser um tumor maligno, o câncer de mama é uma doença que pode ser curada se detectada a tempo, o que nem sempre é possível pois o medo de um diagnóstico é muito grande. Não perca tempo!
Se você acha que tem um caroço na mama, procure um médico imediatamente!

Como é feito o diagnóstico:

_________________________________________________________

Auto-exame

A maioria dos nódulos que aparecem nas mamas são benignos. Os cistos são as alterações benignas mais comuns. São dolorosos e aumentam antes da menstruação. Eles não se transformam em câncer.

Os fibroadenomas também são tumores benignos freqüentes e podem ser tratados facilmente apenas com uma pequena cirurgia, geralmente com anestesia local.

A saída de secreção pelo mamilo pode ser normal. Porém, quando esta saída de secreção é de um lado só, sai sem apertar e é sanguinolenta ou totalmente transparente (como água) , deve ser investigada.

O câncer é um nódulo que cresce rapidamente e geralmente não dói.

Como realizar o auto-exame

A mulher pode fazer a detecção precoce do câncer de mama através de um exame visual e de palpação. Este exame deve ser realizado cerca de 7 dias após a menstruação ou, para aquelas que não menstruam mais, uma vez por mês (por exemplo, na data do aniversário).

Exame visual

1) Em frente ao espelho, olhe suas mamas, procurando alterações nos mamilos ou pregas na pele, assim como covinhas.

2) Junte as mãos atrás da cabeça e empurre-as para a frente. Observe se há alguma mudança na pele ou na forma das mamas.

3) Aperte as mãos firmemente contra os seus quadris e dobre-se um pouco para a frente. Observe com muita atenção se a pele ou a forma das mamas sofrem alguma mudança.

Palpação

1) Deite-se com uma almofada pequena embaixo das costas do lado direito, com o braço deste mesmo lado debaixo da nuca.

2) Com os três dedos do meio da sua mão esquerda, examine a mama direita, firme e cuidadosamente, em toda a sua extensão. Comece pela superfície externa, apertando a parte média e plana dos seus dedos contra a mama. Mova-os em pequenos círculos de fora para dentro, até chegar ao mamilo. Preste atenção se existem massas ou inchaços que você não tenha notado antes.

3) Repita o procedimento para examinar a mama esquerda.

       

4) Agora, de pé, toque suavemente a mama direita com os dedos da mão esquerda , começando na axila e movendo pouco a pouco a mão ao redor da mama em direção ao mamilo.

5) Inverta a posição para examinar o lado esquerdo. Este exame pode ser feito também durante o banho, já que, com o peito ensaboado, os dedos deslizam facilmente e não é preciso pressionar.

 

retorna

_________________________________________________________

Exame clínico

É o exame das mamas realizado pelo médico.
O exame das mamas deve ser feito rotineiramente em consulta ginecológica, a cada seis meses.
Além do ginecologista, existe ainda um médico especialista em doenças das mamas, chamado
mastologista. Em caso de dúvida, o ginecologista pode encaminhar a paciente ao mastologista.
Além disso, qualquer médico pode fazer o exame das mamas, inclusive o clínico geral.

Atenção
: A mamografia não substitui o exame das mamas realizado pelo médico. Existem nódulos que não aparecem na mamografia, mas são palpáveis!

retorna

_________________________________________________________

Mamografia

Para saber se um tumor é benigno ou maligno, o médico precisará fazer alguns exames. O principal deles é a mamografia, que é feita com um aparelho de raio-X especial.

Este exame é muito simples: consiste em colocar a mama entre 2 placas de acrílico, que será comprimida. É importante saber que para fazer um exame adequado é necessário apertar um pouco a mama. Portanto, pode incomodar se for realizado quando as mamas estiverem dolorosas (por exemplo: antes da menstruação).
Assim, deve ser feito cerca de uma semana após a menstruação.

É um exame obrigatório em mulheres com mais de 40 anos ou já a partir dos 35 anos quando existirem muitos casos de câncer de mama na família. Geralmente é realizado uma vez ao ano. Em mulheres com menos de 35 anos, normalmente não é necessário fazer este exame devido à característica própria da glândula nessa idade.

A radiação recebida pela paciente durante a realização do exame é um pouco maior que uma chapa de pulmões, portanto não é prejudicial.

A mamografia permite descobrir o câncer de mama quando o tumor é bem pequeno e ainda não é percebido na palpação.

retorna

_________________________________________________________

Biópsia

Quando o exame de palpação ou a mamografia forem suspeitos, é necessária a confirmação do diagnóstico através da biópsia. A biópsia é a retirada de um pedaço do nódulo suspeito através de uma pequena cirurgia ou através de agulhas, dependendo de cada caso. O nódulo pode também ser retirado por inteiro. Este material é então analisado e depois de alguns dias, se for necessário, faz-se a cirurgia.

Biópsia e cirurgia

Com freqüência, a mulher que possui um nódulo suspeito pode fazer a biópsia e a cirurgia de uma só vez. Enquanto a mulher aguarda na sala de cirurgia, ainda anestesiada, o caroço é retirado e imediatamente analisado e confirmado ou não o diagnóstico de câncer. Se confirmado, continua-se a cirurgia com a retirada parcial ou total da mama.

É importante saber que em nenhum dos casos existe prejuízo para o tratamento. Não existe solução ideal. Fazer a cirurgia no mesmo dia ou após alguns dias não irá mudar nada. Cada mulher nesta situação deverá conversar com seu médico para decidir o que é mais adequado.

retorna

_________________________________________________________

Responsável por esta página: Dr. Luis Gerk de A. Quadros.
E-MAILe-mail: quadros.toco@epm.br
Data de inserção: 30 de Janeiro de 1998.
Última atualização: [an error occurred while processing this directive]

     

_________________________________________________________

Laboratório de Ensino a Distância - LED-DIS
Departamento de Informática em Saúde - UNIFESP