Conceitos

 

Fisiologia cardíaca aplicada

 

              Para um bom desempenho cardíaco existem quatro componentes fundamentais envolvidos:  

  • Frequência cardíaca

  • Pré-carga

  • Pós-carga

  • Contratibilidade

           Nas doenças cardíacas e nos estado alterados do sistema circulatório, um ou mais destes determinantes poderão afetar e alterar o desempenho cardíaco.

     Frequência cardíaca:

            A frequência cardíaca e o ritmo são rotineiramente monitorizados nos pacientes críticos. Quaisquer alterações na frequência ou no ritmo cardíaco que prejudique o padrão hemodinâmico, será necessário utilizar drogas ou marcapasso para restabelecê-lo. 

      Pré-carga:

            É a força ou carga exercida no miocárdio no final da diástole (estiramento das fibras). Pode dizer que se refere a quantidade de volume sanguíneo no ventrículo no final da diástole. 

            Atualmente, não temos como medir o estiramento da fibra ou o volume a beira leito. Portanto, consideramos esta medida como sendo o volume diastólico final dos ventrículos.
        

  

            A atual relação entre volume diastólico final e pressão diastólica final é dependente da complacência da parede muscular. A relação entre as duas é curvilínea. Com a complacência normal, um grande aumento no volume causa um pequeno aumento na pressão.

 

      Pós-carga:

            A pós-carga se refere a resistência, impedância ou pressão que os ventrículos tem que exercer para ejetar seu volume sanguíneo. Ela é determinada por vários fatores:

  • Volume e massa do sangue ejetado.

  • Tamanho e espessura das paredes dos ventrículos.

  • Impedância dos vasos
           

        Na aplicação clínica, para a medida da pós-carga são utilizadas:

  • Resistência vascular sistêmica (RVS) para o ventrículo esquerdo.

  • Resistência vascular pulmonar (RVP) para o ventrículo direito.

 

 

       

        A pós-carga é inversamente proporcional a função ventricular. Um aumento da resistência causa uma diminuição na contração e consequentemente uma diminuição do volume sistólico. A interrelação da pós-carga e do volume sistólico determinam o desempenho cardíaco.

 

 

      Contratibilidade:

            Refere-se ao inotropismo inerente ao encurtamento das fibras musculares cardíacas alternando com o alargamento destas. Existem múltiplos fatores que influenciam no estado de contratibilidade do miocárdio, entre eles podemos citar:

  • A ação do sistema nervoso simpático no coração.

  • Mudanças metabólicas.

  • Efeito de drogas