Eletivas

Créditos: 4

Objetivos gerais

O curso tem três objetivos principais de aprendizagem:

1) introduzir os alunos uma visão das mudanças que estão ocorrendo século atual a partir da perspectiva da evolução econômica desde o século XIX, especialmente nas principais questões tecnológica e econômicas

2) promover uma reflexão crítica das pesquisas envolvendo tecnologia e inovação do ponto de vista econômico e social

3) promover uma discussão crítica acerca dos principais desafio tecnológicos e sociais no futuro.

Ementa

Introdução aos conceitos básicos de biomassa e sustentabilidade. Características e aplicações da biomassa. Diferentes rotas para produção de biocombustíveis e produtos químicos renováveis. Novas tecnologias aplicadas ao setor bioenergético.

Bibliografia

  1. Cortez, Luis Augusto Barbosa (Org.); Lora, Electo Eduardo Silva (Org.); Gomez, Edgardo Olivares (Org.). Biomassa para energia. Campinas: Editora UNICAMP, 2008.
  2. BNDES; CGEE. Bioetanol de cana­ de ­açúcar energia para o desenvolvimento sustentável. Rio de Janeiro: BNDES, 2008.
  3. Roger A. Hinrichs, Merlin Kleinbach, Lineu Belico dos Reis. Energia e meio ambiente ­ Tradução da 4a ed. norte­americana.
  4. Rendeiro, Gonçalo, Barreto, Eduardo Jose Fagundes; Nogueira, Manoel, Noel Nogueira, Combustão e gasificação de biomassa sólida, 1a Edição Brasília Ministério de Minas e Energia, 2008.
  5. Santos, Fernando, Colodette, Jorge; Queiroz, Jose Humberto. Bioenergia & biorrefinaria.; Cana de Açúcar e espécies vegetais.­ Editora Universidade Federal de Viçosa
  6. Neto, Joao Amato; Sustentabilidade & Produção Teoria e Prática Para Uma Gestão Sustentável. Editora Atlas, 1a edição.
  7. CGEE. Bioetanol combustível: uma oportunidade para o Brasil. Brasília: CGEE, 2009.
  8. Lima, Léo da Rocha; Marcondes, Aluizio de Abreu. Álcool carburante: uma estratégia brasileira. Curitiba, PR: Editora UFPR, 2002.

Corpo Docente

  1. Maria Elizete Kunkel

Créditos: 4

Objetivo

 Apresentar a tecnologia Blockchain e as suas principais aplicações nas áreas financeiras, de Saúde e de identificação digital. Ao final do curso, os estudantes devem ser capazes de analisar a viabilidade de uso da tecnologia em diferentes cenários. 

Ementa

Histórico de Blockchain, fundamentos de Sistemas Descentralizados, fundamentos de Blockchain. Contratos inteligentes e aplicações emergentes. Plataformas Blockchain públicas e privadas. Soluções inovadoras baseadas em identidade digital.

Requisito desejável

Conhecimento em programação de computadores.

Bibliografia

  1. Satoshi Nakamoto. Bitcoin: A peer-to-peer electronic cash system, 2008.
  2. Peng Zhang, Douglas C. Schmidt, Jules White, and Gunther Lenz. Blockchain technology use cases in healthcare. Advances in Computers. Elsevier, 2018.
  3. Elli Androulaki, Artem Barger, Vita Bortnikov, Christian Cachin, Konstantinos Christi- dis, Angelo De Caro, David Enyeart, Christopher Ferris, Gennady Laventman, Ya- cov Manevich, Srinivasan Muralidharan, Chet Murthy, Binh Nguyen, Manish Sethi, Gari Singh, Keith Smith, Alessandro Sorniotti, Chrysoula Stathakopoulou, Marko Vukolic, Sharon Weed Cocco, and Jason Yellick. Hyperledger fabric: A distributed operating system for permissioned blockchains. In Proceedings of the Thirteenth EuroSys Conference, EuroSys ’18, pages 30:1–30:15, New York, NY, USA, 2018. ACM.
  4. G. Wood. Ethereum: A secure decentralised generalised transaction ledger. Ethereum Project Yellow Paper, 2014.
  5. Arlindo F. da Conceição, Flavio S. Correa da Silva, Vladimir Rocha, Angela Locoro, and J. Marcos M. Barguil. Electronic health records using blockchain technology. Workshop em Blockchain: Teoria, Tecnologias e Aplicações (WBlockchain, SBRC), 1(1/2018), 2018.
  6. F. Greve et al. Blockchain e a revolução do  Consenso sob demanda. Minicursos do Simpósio Brasileiro de Redes de Computadores e Sistemas Distribuídos (Minicursos SBRC), 2018.
  7. Arlindo F. da Conceição et al. Blockchain e Aplicações em Saúde. Minicursos do Simpósio Brasileiro de Computação Aplicada em Saúde (Minicursos SBCAS), 2019.

Corpo Docente

  1. Arlindo Flavio da Conceição

Créditos: 4

Ementa

Conceitos básicos de transparência, escalabilidade, openness, confiabilidade (security e safety) etc. Arquitetura de sistemas distribuídos (Cliente/ServidorDescentralizado, Aglomerados, Grade, Código Móvel, Peer­to­peer etc.); Comunicação entre aplicações (RMI, CORBA, WebService, Servelets etc.); Sistemas de arquivos distribuídos (ANF, NFS, GoogleFS, Coda etc.); Escalabilidade, Consistência, Replicação e Tolerância a falhas; Segurança; Padrões arquiteturais de projeto. Introdução a Computação em Nuvem (Cloud Computing). Plataformas abertas de Cloud Computing. Introdução a FOG computing.

Bibliografia

  1. Distributed Sistems: Principles and Paradigms. Andrew Tanenbaum and Van Steen; Prentice
  2. Hall, 2nd edition, 2007.
  3. Distributed systems: concepts and design. Coulouris, G.F. and Dollimore, J. and Kindberg, T.;
  4. Addison­Wesley Longman, 2005.
  5. Unix Network Programming. W. Richard Stevens, Bill Fenner, Andrew M. Rudoff; Addison
  6. Wesley, 2003.
  7. Cloud Computing Explained. John Rhoton. Recursive Paper, 2009.
  8. Web Services Essentials. Ethan Cerami. O'Reilly, 2002.
  9. Hadoop: The Definite Guide. Tom White. O'Reilly, 2012.
  10. Data Analysis with Open Source Tools. Philipp K. Janert. O'Reilly, 2010.
  11. Programming Google App Engine. Dan Sanderson. O'Reilly, 2012.
  12. Artigos selecionados.

Corpo Docente

  • Álvaro Fazenda
  • Arlindo F. da Conceição
  • Denise Stringhini

Créditos: 4

Ementa

Mercado de tecnologias móveis, principais tecnologias (Android, iOS etc.). Ambientes de desenvolvimento de aplicativos para telefones celulares. Lojas de venda de aplicativos. Integração de sistemas. Linguagens de programação para desenvolvimento de aplicações móveis. Arquiteturas modernas. Limitações de energia, processamento, comunicação e armazenamento em dispositivos móveis. Programação de redes sem fio. Projeto de interfaces. Projeto de aplicação móvel.

Bibliografia

  1. Geraldo Robson Mateus and Antonio Alfredo F. Loureiro, Introdução à Computação Móvel,
  2. 11a Escola de Computação, COPPE/Sistemas, NCE/UFRJ, 1998.
  3. Evaggelia Pitoura and George Samaras, Data Management for Mobile Computing, Kluwer
  4. Academic Publishers, 1998.
  5. J. Schiller, Mobile Communications, Addison Wesley, 2000.
  6. J. Schiller, A. Voisard, Location­Based Services, Elsevier, 2004.
  7. Artigos e manuais selecionados sobre as APIs de Objective C++, Android e Ionic.
  8. Hadoop: The Definite Guide. Tom White. O'Reilly, 2012.

Corpo Docente

  • Álvaro Fazenda
  • Arlindo F. da Conceição
  • Ezequiel Zorzal

Créditos: 4

Ementa

Teoria do Consumidor, Produção, Custos, Estruturas de Mercados: Competição Perfeita, Oligopólio, Monopólio, Monopsônio, Oligopsônio, Concorrência Monopolística, Teoria dos Jogos, Economia da Informação, Bens Públicos, Externalidades, Equilíbrio Geral.

Bibliografia

  1. Pindyck, R; Rubinfeld, D. Microeconomia. 7ed., Pearson, 2010.
  2. Varian. H. Microeconomia, 8ed. Campus, 2012.
  3. Mas­Colell, A; Whinston, Michael D.; Green, Jerry R. Microeconomic Theory, Oxford University Press, 1995.
  4. Dixit, Avinash K. Optimization in Economic Theory, 2ed., Oxford University Press, 1990.
  5. Hirshleifer, J; Glazer, A; Hirshleifer, D. Price Theory and Applications: Decisions, Markets, and Information, 7ed., Cambridge University Press, 2005.

Corpo Docente

  • Renato Cesar Sato
  • Iraci de Souza João

Créditos: 4

Objetivos gerais

O curso tem três objetivos principais de aprendizagem: 1) introduzir os alunos uma visão das mudanças que estão ocorrendo século atual a partir da perspectiva da evolução econômica desde o século XIX, especialmente nas principais questões tecnológica e econômicas, 2) promover uma reflexão crítica das pesquisas envolvendo tecnologia e inovação do ponto de vista econômico e social, e 3) promover uma discussão crítica acerca dos principais desafio tecnológicos e sociais no futuro.

Ementa

Mudança tecnológica, instituições e crescimento a longo prazo; Comércio internacional; Relações Monetárias Internacionais e Regimes de Taxas de Câmbio; Evolução do Desenvolvimento Tecnológico no Século XIX e XX; Desenvolvimento Histórico do Capitalismo; Globalização.

O Capital no século XIX e XX Globalização Mudanças Tecnológicas e Inovação Instabilidades Políticas e Econômicas Desafios econômicos para o século XXI

Bibliografia

  1. EICHENGREEN, Barry. A globalização do Capital. Uma História do Sistema Monetário Internacional; Rio de Janeiro: Editora 34, 2000.
  2. FRIEDEN. Jeffry A. Capitalismo Global: história econômica e política do século XX; Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007.
  3. GILPIN, R. (2004). O Desafio do Capitalismo Global. Record.
  4. PICKETTY, T. (2014) O capital no século XXI. Intrínseca.
  5. POLANYI, Karl (2012). A Grande Transformação – As origens de nossa época. Campus.

Bibliografia complementar

  1. ABREU M. P. (org.), A ordem do Progresso – Cem Anos de Política Econômica Republicana. Rio de Janeiro: Campus, 1992.
  2. DOBB, M. – A evolução do capitalismo. Rio de Janeiro, Guanabara, 1987.
  3. GILPIN, R. (2001). Global Political Economy. Princeton and Oxford: Princeton University Press. pp. 97-102, 234-260, and 377-402.
  4. HOBSBAWM, E. J. – Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.
  5. HOBSBAWM, E. J. – A era das revoluções: Europa 1789-1848. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1989
  6. HOBSON, J. – A evolução do capitalismo moderno: um estudo da produção mecanizada. São Paulo, Nova Cultura (Os Economistas), 1996.
  7. KRUGMAN, P. R., Obstfeld, M. (2009). The International Monetary System, 1870- 1973. In International Economics: Theory and Policy (8 ed., pp. 502-531). Pearson International.
  8. SACHS, J. D. (2005). O Desafio da Nossa Geração. Em: O Fim da Pobreza. Companhia das Letras.
  9. STIGLITZ, J. (2006). The Promise of Development. In Making Globalilsation Work (pp. 25-60). London: Penguin Books.
  10. YERGIN, D. (2014). A Busca – Energia, Segurança e a reconstrução do mundo moderno. Intrínseca.

Corpo Docente

  • Renato Cesar Sato

Créditos: 4

Ementa

Introdução a engenharia clínica, Inventário e Implantação de grupo de manutenção de equipamentos hospitalares, Gerenciamento da manutenção – Controle periódico, Rotinas de Manutenção Corretivas e Preventivas; Portarias, legislações, regulamentações e normas para certificação, registro, instalação e manutenção dos equipamentos médicos hospitalares mais usados; Gerenciamento de serviços externos; Aquisição de equipamentos médicos; Fundamentos de segurança para unidades de saúde.

Bibliografia

  1. Calil, Saide Jorge; Gomide E.T.; "Equipamentos Médico­Hospitalares e Gerenciamento da Manutenção", ed 1, F, Editora Ministério da Saúde, 2002.
  2. Oliveira, V.C.M; Manual para registro de equipamentos médicos – Agência Nacional de Vigilância Sanitária.
  3. Webster, J.G.; Cook, A.M. "Clinical Engineering ­ Principles and Practices", Prentice Hall, 1979.
  4. Webster, J.G. "Medical Instrumentation ­ Application and Design", 2a ed., Houghton Mifflin Co., Boston, USA, 1992.
  5. Holsbach, LR; Varani, ML; Calil, JS. Manutenção preventiva em EquipamentosMédico­Hospitalares. Ed. Anvisa, 2005.
  6. SABBATINI, R.M.E. "Informática em Medicina", São Paulo, Editora McGraw­Hill, 1992.
  7. Segurança E Medicina Do Trabalho. Manual de legislação Atlas. São Paulo. Editora Atlas. 54a ed. 2003.

Corpo Docente

  1. Matheus C. Morais

Créditos: 4

Ementa

Introdução e histórico da Engenharia de Sistemas. Fundamentos e tipos de sistemas. Modelos de ciclo de vida. Concepção de sistemas. Gerenciamento de sistemas, produtos e serviços. Aplicações da Engenharia de Sistemas. Equipes e indivíduos no contexto da Engenharia de sistemas. Processo e Produtos. Padrões internacionais. Tópicos avançados em engenharia de sistemas.

Bibliografia

  1. Kossiakoff, A.; Sweet, W. N.; Seymour, S. And Biener, S. M. Systems Engineering Principles and Practice. Wiley Series in Systems Engineering and Management, 2011.
  2. Blanchard, B. S. and Fabrychy, W. J. Systems Engineering and Analysis. Prentice Hall International series in Industrial & Systems Engineering, 5th Edition, 2010.
  3. Weilkiens, T. Systems Engineering with SysML/UML: Modeling, Analysis, Design. The MK/OMG Press, 2008. Complementar:
  4. INCOSE. 2012. Systems Engineering Handbook: A Guide for System Life Cycle Processes and Activities, version 3.2.2. San Diego, CA, USA: International Council on Systems Engineering (INCOSE), INCOSE­TP­2003­002­03.2.2.
  5. Meadows, D. H. Thinking in Systems: A Primer. Chelsea Green Publishing Company. 2008. 3. Martin, J. N. Systems Engineering Guidebook: A Process for Developing Systems and Products. CRC Press, 1996.
  6. Sommerville, I. Engenharia de Software. Editora Pearson, 8a edição. 2007
  7. Pressman, R. Software Engineering: a practitioner’s approach. McGraw­Hill, 6th edition, 2005.
  8. Como Fazer Apresentações em Eventos Acadêmicos e Empresariais – Linguagem Verbal, Comunicação Corporal e Recursos Audivisuais. Maria Helena da Nobrega. Editora Atlas. ISBN: 8522456380, 2010.

Corpo Docente

  1. Luiz Eduardo Galvão Martins
  2. Tiago de Oliveira

Créditos: 2

Ementa

O conteúdo preciso do estudo deve ser definido a partir de uma proposta de trabalho que vise amadurecer o aluno, envolvendo técnicas, ferramentas e teorias que serão utilizados durante o desenvolvimento da pesquisa. No caso da disciplina de Estudos Dirigidos I, o principal produto a ser gerado é uma revisão bibliográfica preferencialmente sobre o tema de pesquisa do mestrado do aluno.

Bibliografia

Artigos selecionados de periódicos, anais de conferências e capítulos de livros.

Corpo docente

Todos os docentes

Créditos: 2

Ementa

O conteúdo preciso do estudo deve ser definido a partir de uma proposta de trabalho que vise amadurecer o aluno, envolvendo técnicas, ferramentas e teorias que serão utilizados durante o desenvolvimento da pesquisa. No caso da disciplina de Estudos Dirigidos I, o principal produto a ser gerado é uma revisão bibliográfica sobre o tema de presquisa do mestrado do aluno.

Bibliografia

Artigos selecionados de periódicos, anais de conferências e capítulos de livros.

Corpo docente

Todos os docentes

Créditos: 4

Objetivos

Proporcionar ao aluno, a partir de uma abordagem interdisciplinar, os principais fundamentos conceituais e teóricos que tratam da relação entre inovação e competitividade de empresas e países, possibilitando que seja assimilada a importância do tratamento e desenvolvimento dos diversos fatores que influenciam e compõem a inovação e a competividade nas ações estratégicas das empresas e das nações.

Conteúdo programático

1. Vantagem competitiva e estratégia competitiva 2. Fatores determinantes para a promoção da inovação 3. A relação entre inovação e competitividade 4. A importância das boas práticas de gestão na relação entre inovação e competitividade 5. Sistemas de Inovação, Instituições e Organizações 6. Educação e a colaboração entre empresa e instituições de ensino e pesquisa 7. Inovação, Competitividade e Sustentabilidade

Metodologia de ensino

1. Aulas expositivas sobre os conteúdos da disciplina 2. Organização e disponibilização de textos para leitura e produção de resenhas. 3. Atividades em grupo: apresentação de seminários pelos alunos sobre os assuntos propostos 4. Discussão aberta do conteúdo de aula

Bibliografia

  1. Porter, M. (1979). The Structure within Industries and Companies' Performance. The Review of Economics and Statistics, 61(2), 214-227.
  2. Porter, M. (1990). The Competitive Advantage of Nations. New York: Free Press.
  3. Calmanovici, C. E. (2011). A inovação, a competitividade e a projeção mundial das empresas brasileiras. Revista USP, (89), 190–203.
  4. Barrichello, A. ; Santos, E. G. ; Morano, R. S. (2020) . Determinant and priority factors of innovation for competitiveness of nations. Innovation & Management Review, 17(2).
  5. Feldmann, P. R. ; Jacomossi, R. R. ; Barrichello, A. ; Morano, R. S. (2019) . The relationship between Innovation and Global Competitiveness: The mediating role of Management Practices evaluated by Structural Equation Modeling. RBGN-Revista Brasileira de Gestao de Negocios, 21, 195-212.
  6. Barrichello, A. ; Morano, R. S. ; Feldmann, P. R. ; Jacomossi, R. R. (2020) . The importance of education in the context of innovation and competitiveness of nations. International Journal of Education Economics and Development, 11(2), 204-224.
  7. Crossan, M. M., & Apaydin, M. (2010). A Multi-Dimensional Framework of Organizational Innovation: A Systematic Review of the Literature. Journal of Management Studies, 47(6), 1154–1191.
  8. Gilli, M.; Mazzantia, M. & Nicolli, F. (2013). Sustainability and competitiveness in evolutionary perspectives: Environmental innovations, structural change and economic dynamics in the EU. The Journal of Socio-Economics, 45 (2013), 204– 215.
  9. Moyano-Fuentes, J.; Maqueira-Marín, J. M. & Bruque-Cámara, S. (2018). Process innovation and environmental sustainability engagement: An application on technological firms. Journal of Cleaner Production, 171 (1), 844-856.
  10. Nelson, R. R. (1993). National Systems of Innovation: a comparative study. Oxford: Oxford University Press.
  11. Nelson, R. R., & Winter, S. G. (1982). An Evolutionary Theory of Economic Change. Cambridge: The Belknap Press of Harvard University Press.
  12. Panayides, P. (2006). Enhancing innovation capability through relationship management and implications for performance. European Journal of Innovation Management, 9(4), 466–483.
  13. Schumpeter, J. A. (1934). The theory of economic development: An inquiry into profits, capital, credit, interest, and the business cycle. Cambridge: Harvard University Press.
  14. Waarden, F. van. (2001). Institutions and innovation: the legal environment of innovating firms. Organizaton Studies, 22(5), 765–795.

Corpo Docente

Créditos: 4

Ementa

Este curso apresenta as tecnologias utilizadas em soluções de Internet das Coisas. Explora o mercado e a viabilidade econômica de soluções conectadas, destinadas a automação domiciliar e na indústria. Trata das limitações tecnológicas e gargalos sistêmicos em sistemas de larga escala, tal como agregação e visualização de grandes volumes de dados. Explora modelos de comunicação não estruturada. A disciplina inclui discussão técnica sobre artigos e a confecção de projeto sobre o desenvolvimento de produtos para Internet das Coisas.

Bibliografia

  1. Dieter Uckelmann and Mark Harrison. Architecting the Internet of Things, Springer, 2011.
  2. Klaus Finkenzeller and Dörte Müller. RFID Handbook: Fundamentals and Applications in Contactless Smart Cards, Radio Frequency Identification and Near­Field, Wiley, 2010.
  3. Agrawal, Shashank and Vieira, Dario. A survey on Internet of Things. Abakos, v. 1,n. 2, p78­­95, 2013.
  4. Distributed Sistems: Principles and Paradigms. Andrew Tanenbaum and Van Steen; Prentice Hall, 2nd edition, 2007.
  5. Distributed systems: concepts and design. Coulouris, G.F. and Dollimore, J. and Kindberg, T.; Addison­Wesley Longman, 2005.
  6. Yaghmour, K.; Masters, J.; Ben­Yossef, G.; Gerum, P. Construindo Sistemas Linux Embarcados. Editora Alta Books, 2009.
  7. Unix Network Programming. W. Richard Stevens, Bill Fenner, Andrew M. Rudoff; Addison Wesley, 2003.

Corpo Docente

  1. Álvaro Luiz Fazenda
  2. Denise Stringhini
  3. Arlindo Flavio da Conceição
  4. Jurandy Almeida
  5. Luiz Eduardo Galvão Martins
  6. Tiago de Oliveira

Créditos: 4

Ementa

Propriedades ópticas de moléculas orgânicas, polímeros e cristais. Dispositivos orgânicos emissores de luz (OLEDs) e células solares orgânicas: funcionamento, métodos de fabricação, materiais, e aplicações em distintas áreas do conhecimento.

Bibliografia

  1. Klaus Müllen and Ullrich Scherf – Organic Light Emitting Devices, Synthesis, Properties and Applications (Wiley­VCH, 2006).
  2. Sam­Shajing Sun and Larry R. Dalton – Introduction to Organic Electronic and Optoelectronic Materials and Devices (CRC Press, 2008).
  3. Zhigang Li and Hong Meng Organic Light­Emitting Materials and Devices (Taylor & Francis, 2007).
  4. Sam­Shajing Sun, Niyazi Serdar Sariciftci – Organic Photovoltaics, Mechanism, Materials and Devices (CRC Press, 2005).
  5. Peter Stallinga – Electrical Characterization of Organic Electronic Materials and Devices (Wiley, 2009).
  6. Artigos Científicos Relacionados à Ementa

Corpo Docente

  1. Raquel Aparecida Domingues

Créditos: 4

Ementa

Introdução à engenharia de reabilitação: conceitos, definição e dados estatísticos da demanda no Brasil e no mundo. História da evolução da legislação sobre os direitos das pessoas com deficiência. Áreas de atuação da engenharia de reabilitação e a atuação do engenheiro biomédico na área. Tecnologia assistiva: Conceitos, descrição das principais áreas relacionando fisiologia, trauma e patologia dos diferentes tipos de deficiências: Motora, visual, cognitiva, auditiva e de comunicação. Desenvolvimento de produtos e inovação para reabilitação de pessoas com deficiência na sociedade moderna. Normas atuais. Critérios para o design universal: disponibilidade, compatibilidade, manutenção, durabilidade, efetividade, operabilidade, ergonomia, segurança e custo. Conceito ergonomia usados no desenvolvimento de produtos de reabilitação Órtoses, próteses e exoesqueleto para reabilitação de membros superiores e inferiores. Tipos, princípios de funcionamento, materiais, modelagem, produção, avaliação e protocolo de reabilitação. Sistemas de reabilitação usando eletromiografia. Softwares e dispositivos para reabilitação de deficientes visuais. Requerimentos para reabilitação de deficiência auditiva. Cadeira de rodas e dispositivos móveis: Tipos, estrutura, componentes, design, material e diferentes tecnologias de controle. Neurofisiologia e feedback sensorial por estimulaçãoelétrica e senso tático. Tendências futuras de engenharia de reabilitação: Dispositivos robóticos, prototipagem rápida, visão computacional, realidade aumentada, neuroengenharia e interface cerebro­máquina. Projeto de engenharia de reabilitação e tecnologia assistiva. de

Bibliografia

  1. ENDERLE, J.D.; BLANCHARD, S.M.; BRONZINO, J.D. Introduction to Biomedical Engineering. 2nd ed. San Diego: Elsevier Academic Press. 2005. 1144p.
  2. GUYTON, A.C; HALL, E. Tratado de Fisiologia Medica. 11a ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006. 1115p.
  3. COOPER, R.A.; OHNABE, H.; HOBSON, D.A. An Introduction to Rehabilitation Engineering. Series in Medical Physics and Biomedical Engineering. Boca Raton: Taylor&Francis, 2007. 472p.
  4. HALL, Susan J. Basic biomechanics. 5.ed. New York: McGraw­Hill, 2006. 544p.ISBN 978­0­07­304481­1.
  5. NIGG, YAMAGUCHI, Gary T. Dynamic modeling of musculoskeletal motion: a vectorized approach for biomedical analysis in three dimensions. New York: Springer, c2001. 257 p.
  6. COOPER, R.A.; Rehabilitation Engineering Applied to Mobility and Manipulation (Series in Medical Physics and Biomedical Engineering) 2a ed. 1995.

Corpo Docente

  1. Maria Elizete Kunkel

Créditos: 4

Ementa

Abordagem para a avaliação de investimentos, Estrutura de Capital das Empresas, Custo do Capital, Medidas de Alavancagem, Gerenciamento do Capital, Governança Corporativa, Risco e Retorno, Estimativa da Taxa de Desconto, Estimativa de Fluxos de Caixa, Estimativa de Taxas de Crescimento, Eficiência de Mercado, Avaliação de Empresas, Índices de Preço/Lucro, Índices de Preço/Vendas, Índice Preço/Valor Contábil, Teoria de Precificação de Opções, Ativos Intangíveis. .

Bibliografia

  1. Damodaran, A. Avaliação de Investimentos, Qualitymark, 2002.
  2. Penman, S. Financial Statement Analysis and Security Valuation, 5ed., McGraw­Hill Education, 2012..
  3. Ross, S; Westerfield, R.W.; Jaffe, J. Corporate Finance, 10ed, McGraw­Hill Education, 2012.
  4. Metrick,A; Yasuda, A. Venture Capital and the Finance of Innovation, 2ed. Wiley, 2010.
  5. Jordan, J.F. Innovation, Commercialization, and Start­ups in Life Sciences, CRC Press, 2014.
  6. Simon, B.; McDowell, R. In Search of Business Value: Ensuring a Return on your Technology Investment, SelectBooks, 2010.
  7. Gompers, P.; Lerner, J. The Venture Capital Cycle, MIT Press, 2006.
  8. Gompers, P.; Lerner, J. The Money of Invention: How Venture Capital Creates New Wealth, Harvard Business Review Press, 2001.
  9. Meira, Silvio. Novos Negócios Inovadores de Crescimento. Casa da Palavra, 2013.

Corpo Docente

  1. Renato Cesar Sato
  2. Iraci de Souza João

Créditos: 4

Ementa

Estratégias empresariais, competitividade e o papel da inovação. Análise Ambiental e da Concorrência. Parcerias e alianças; Relacionamento com os clientes; Orientação para o mercado; Interação P&D­ Marketing; Pesquisa de marketing: coleta de informações e inteligência competitiva; Comportamento do consumidor em mercados de tecnologia;

Bibliografia

  1. GUPTA, A.K.; RAJ S. P;WILEMON,D.A Model for Studying R&D. Marketing Interface in the Product Innovation Process. Journal of Marketing Vol. 50, No. 2 (Apr., 1986), pp. 7­17
  2. HAUSER,J.;TELLIS, G. J.; GRIFFIN, A. Research on Innovation: A Review and Agenda for Marketing Science. Marketing Science. November 1, 2006.
  3. MOHR, J.; SENGUPTA, S.; SLATER, S.; LUCHT, R. Marketing para mercados de alta tecnologia e de inovações. São Paulo: Pearson, 2011.
  4. NAIDOO, V. Firm survival through a crisis: The influence of market orientation, marketing innovation and business strategy. Industrial Marketing Management. Vol 39, 8, November 2010, (1311–1320p).
  5. Shergilla, G. S.; Nargundkarb R. Market Orientation, Marketing Innovation as Performance Drivers. Journal of Global Marketing, Vol 19, 1, 2005.

Corpo Docente

  1. Renato Cesar Sato
  2. Iraci de Souza João

Créditos: 4

Ementa

Estatística descritiva. Probabilidade: conceito e teoremas fundamentais. Variáveis aleatórias. Funções de probabilidade e de distribuição.

Bibliografia

  1. BUSSAB, W. O.; MORETTIN, P. A. Estatística básica . 6ª ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2010.
  2. CASELLA, G.; BERGER, R. L. Inferência estatística. 2ª ed. São Paulo: Cengage Learning, 2010.
  3. CHARNET, R.; FREIRE, C. A. L.; CHARNET, E. M. R.; BONVINO, H. Análise de modelos de regressão linear com aplicações . 2ª ed. Campinas: Editora Unicamp, 2008.
  4. DRAPER, N. R.; SMITH, H. A. Applied regression analysis . 3ª ed. New York: John Wiley "&" Sons, 1998.
  5. ROHATGI, V. K. Statistical inference . 1ª ed. New York: Dover Publications, 2003.

Corpo Docente

  • Camila Bertini Martins
  • Flávia Cristina Martins Queiroz Mariano
  • Luiz Leduíno de Salles Neto

Créditos: 4

Ementa

Estimação pontual e intervalar. Métodos de Estimação. Teste de hipóteses. Regressão linear simples. Regressão linear múltipla. Correlação. Introdução aos modelos lineares generalizados.

Bibliografia

  1. BUSSAB, W. O.; MORETTIN, P. A. Estatística básica . 6ª ed. São Paulo: Editora Saraiva, 2010.
  2. CASELLA, G.; BERGER, R. L. Inferência estatística. 2ª ed. São Paulo: Cengage Learning, 2010.
  3. CHARNET, R.; FREIRE, C. A. L.; CHARNET, E. M. R.; BONVINO, H. Análise de modelos de regressão linear com aplicações . 2ª ed. Campinas: Editora Unicamp, 2008.
  4. DRAPER, N. R.; SMITH, H. A. Applied regression analysis . 3ª ed. New York: John Wiley "&" Sons, 1998.
  5. ROHATGI, V. K. Statistical inference . 1ª ed. New York: Dover Publications, 2003.

Corpo Docente

  • Camila Bertini Martins
  • Flávia Cristina Martins Queiroz Mariano
  • Luiz Leduíno de Salles Neto

Créditos: 4

Ementa

Necessidades de alto desempenho. Arquitetura de máquinas paralelas. Influência da memória no desempenho. Medidas de desempenho. Técnicas de programação/compilação para alto desempenho. Modelos de programação paralela. Programação de máquinas de memória compartilhada. Programação de máquinas de memória distribuída. Balanceamento de carga. Uso de aceleradores de desempenho. Conceitos avançados de alto desempenho.

Bibliografia

  1. KUMAR, V.; KARYPIS, G.; GUPTA, A.; GRAMMA, A. Introduction to parallel computing. 2a ed. Pearson, 2003.
  2. CHANDRA, R.; DAGUM, L.; KOHR, D.; MAYDAN, D.; MCDONALD, J.; MENON, R. Parallel programming in OpenMP. Morgan Kaufmann, 2001.
  3. Pacheco, P.S. An Introduction to Parallel Programming, Morgan Kaufmann, 2011
  4. Burdea, C. G., & Coiffet, P. (2003). Virtualreality technology (2nd ed.). NewJersey: Wiley & Sons.
  5. KIRK, D.B.; HWO, W.W. Programming Massively Parallel Processors – A Handson Approach. Morgan­Kaufmann. 2010.
  6. Gropp, W.; Lusk, E.L.; Skjellum A. Using MPI 2nd Edition: Portable Parallel Programming with the Message Passing Interface, The MIT Press; 2ed edition, 1999.

Corpo Docente

  1. Álvaro Luiz Fazenda
  2. Denise Stringhini

Créditos: 4

Objetivos

• Propiciar o aprendizado de introdução à lógica e programação Web; • Transmitir aos alunos um conjunto de conhecimentos básicos, que lhes permitam prosseguir estudos mais avançados na programação Web; • Apresentar técnicas e tecnologias para o desenvolvimento de aplicações para Web; • Permitir o desenvolvimento de aplicações completas.

Conteúdo programático

• Introdução à lógica de programação e algoritmos: Pensamento computacional; algoritmos; elementos básicos de algoritmos; resolução de problemas; • Conceitos básicos da tecnologia Web; • Fundamentos das linguagens de programação para Web: HTML: Hyper Text Markup Language (Conceitos Básicos; formatação de texto; listas; tabelas; links e âncoras; formulários; multimídia); CSS: Cascading Style Sheets (Introdução ao CSS; CSS e HTML); PHP: Hypertext Preprocessor (Introdução ao PHP; sintaxe básica; tipos e operadores; estruturas de controle; introdução ao PHP+MySQL); • SEO: Search Engine Optimization (Introdução ao SEO; meta tags); • Projeto e elaboração de uma homepage com curriculum vitae.

Metodologia de ensino

O curso será baseado em aulas online e expositivas com auxílio da plataforma Google Meet. Para fixação dos tópicos estudados, os alunos receberão ao longo do curso, listas de exercícios para entrega via Google Classroom. As aulas práticas com demonstrações também serão executadas via plataforma Google Meet. Por fim, destaca-se a implementação de um projeto individual para o desenvolvimento de uma homepage utilizando os recursos aprendidos no decorrer da UC.

Critérios de avaliação

A avaliação da disciplina será realizada mediante a trabalhos extra-classe e a execução do projeto de desenvolvimento da homepage referente ao curriculum vitae individual. As datas de entrega dos trabalhos e do projeto serão divulgadas junto com a especificação dos mesmos no decorrer do semestre. Conforme regulamento da Universidade, a frequência online às aulas é obrigatória.

Bibliografia

  1. Silva, Mauricio Samy. Construindo sites com CSS e (X) HTML: sites controlados por folhas de estilo em cascata. São Paulo: Novatec, 2007.
  2. Abreu, Luís. HTML 5 - 2 ed. 2012 - Edição Atualizada e Aumentada. 2 ed. São Paulo: Lindel - Zamboni, 2012.
  3. Holzner, Steven. PHP: the complete reference. Tata McGraw-Hill Education, 2007.
  4. Mazza, Lucas. HTML5 e CSS3 - Domine a Web do Futuro. São Paulo: Casa do Código, 2013.

Corpo Docente

  1. Ezequiel Roberto Zorzal

Créditos: 4

Ementa

• Histórico e quadro evolutivo da manufatura aditiva • Técnicas e processos de manufatura aditiva • Fundamentos básicos da fabricação por manufatura aditiva (materiais, softwares, parâmetros do processo, etc). Controle de qualidade de peças produzidas por manufatura aditiva. Avanços recentes e desafios da manufatura aditiva.

Bibliografia

  1. VOLPATO, Neri. Manufatura Aditiva -Tecnologias e Aplicações da Impressão 3D. 1ª edição. Blucher, 2017.
  2. SAMPAIO, C. Guia Maker de Impressão 3D - Teoria e Prática Consolidadas. E-book gratuito, 2017. https://github.com/Patola/ebook/releases.
  3. Artigos internacionais relacionados com o conteúdo programático.

Corpo Docente

  1. Maria Elizete Kunkel

Créditos: 4

Ementa

Introdução à recuperação de informação (modelos de recuperação, avaliação). Bancos de dados multimídia (linguagens de consulta, processamento de consultas, estruturas de indexação). Recuperação de informação multimídia (descrição de conteúdo, busca por similaridade, realimentação de relevância). Aplicações.

Bibliografia

  1. Paula Filho, W. P. Multimidia: Conceitos e Aplicações. LTC, 2009.
  2. Woods, R. E.; Gonzales, R. C. Digital Image Processing. 3.ed. Upper Saddle River: Pearson, 2008.
  3. Silberschatz, A.; Sudarshan, S.; Korth, H. F. Sistema de banco de dados. Campus, 2006.
  4. Baeza­Yates, R.; Ribeiro­Neto, B. Modern Information Retrieval. 2.ed. Addison­Wesley Longman Publishing, 1999.
  5. Del Bimbo, A. Visual Information Retrieval. Morgan Kaufmann Publishers, 1999.
  6. Wu, J. K.; Kankanhalli, M. S.; Lim, J­H.; Hong, D. Perspectives on Content­Based Multimedia Systems. Springer, 2000.
  7. Lew, M. S. (Ed.) Principles of Visual Information Retrieval. Springer, 2001.
  8. Zhang, Y­J. Semantic­Based Visual Information Retrieval. IRM Press, 2006.
  9. Blanken, H.; Vries, A. P.; Blok, H. E.; Feng, L. (Eds.) Multimedia Retrieval. Springer, 2007.
  10. Chang, E. Y. Foundations of Large­Scale Multimedia Information Management and Retrieval. Springer, 2011.
  11. Benois­Pineau, J.; Precioso, F.; Cord, M. Visual Indexing and Retrieval. Springer, 2012.
  12. Lux, M.; Marques, O. Visual Information Retrieval using LIRE and Java. Morgan & Claypool Publishers, 2013.

Corpo Docente

  • Jurandy Gomes de Almeida Junior
  • Arlindo Flávio da Conceição

Créditos: 4

Ementa

Conceitos de Realidade Virtual e Realidade Aumentada, dispositivos, interação em ambientes virtuais e aumentados, técnicas de modelagem de ambientes virtuais, Realidade Virtual não imersiva, Realidade Virtual imersiva, tecnologias para desenvolvimento de ambientes virtuais e aumentados, Implementação de ambientes virtuais e aumentados.

Bibliografia

  1. Ames, L. A.; Nadeau, R.D.; Moreland D. (1997) VRML Sourcebook Second Edition, John Wisley & Sons, Inc ​ USA.
  2. Craig, A., Sherman, W. R., & Jeffrey, D. W.(2009). Developing virtual reality applications: Foundations of effective design. New York: MorganKaufmann.
  3. Burdea, C. G., & Coiffet, P. (2003). Virtual reality technology (2nd ed.). NewJersey: Wiley & Sons.
  4. Hainich R.R., The End of Hardware, 3rd Edition: Augmented Reality and Beyond, BookSurge, 2009.
  5. Cawood S.: Augmented Reality : A Practical Guide,Pragmatic Bookshelf 2008.

Corpo Docente

  1. Ezequiel Zorzal

Créditos: 4

Ementa

Introdução a problemas envolvendo incertezas e modelos de simulação dos mesmos. Geração de variáveis aleatórias: números aleatórios, métodos de transformação inversa, da convolução e da rejeição, métodos para distribuições clássicas. Métodos Bootstrap, Jackknife e MCMC.

Bibliografia

  1. KNUTH, D. E. ​The art of computer programming​. v. 2. 3a ed. Boston: Addison Wesley,2006.
  2. ROSS, S. M. ​Introduction to probability models​. 10a ed. San Diego: Academic Press,2009.
  3. ROSS, S. M. ​Simulation​. 4a ed. San Diego: Academic Press, 2006.
  4. MAKI, D. P.; THOMPSON, M. ​Mathematical modeling and computer simulation​. New York: Brooks Cole, 2006.

Corpo Docente

  • Camila Bertini Martins
  • Flávia Cristina Martins Queiroz Mariano
  • Luiz Leduíno de Salles Neto

Créditos: 4

Descrição da disciplina

O objetivo da disciplina é introduzir o pesquisador no universo das conexões interdisciplinares que compõem a área transdisciplinar “Sistemas Cognitivos Artificiais”. Entre elas, a Simbiose Homem-Máquina, a Inteligência Artificial, a Neurociência Cognitiva e a Psicobiologia, com o objetivo de criar sistemas em máquinas computacionais que possam interagir com o ser humano e agir com independência para alcançar os seguintes objetivos: perceber o ambiente, antecipar a necessidade de agir, aprender com a experiência e adaptar-se às novas circunstâncias. Para isso serão ministrados os temas: Multidisciplinaridade, interdisciplinaridade e transdisciplinaridade; Conceitos de Cognição; Metacognição; Relação simbiótica entre o ser humano e a máquina computacional, Arquiteturas cognitivas computacionais; Cognição embarcada; Desenvolvimento e aprendizagem; Memória e Prospecção; Conhecimento e Representação; Cognição Social; Projetos de Sistemas Cognitivos.

Bibliografia

  1. ALVARENGA, Augusta Thereza de; ALVAREZ, Aparecida Magali de Souza; SOMMERMAN, Américo; PHILIPPI Jr, Arlindo. Interdisciplinaridade e transdisciplinaridade nas tramas da complexidade e desafios de processos investigativos. In: Philippi Jr, A.; Tucci, C.E.M.; Hogan, D.J. & Navegantes, R. (Org). Interdisciplinaridade em Ciências Ambientais. Signus Editora, São Paulo, 2000.
  2. AZEVEDO, R.; ALEVEN, V. International Handbooks of Metacognition and Learning Technologies. Springer, 2013.
  3. BUNGE, Mario. Matéria e mente. São Paulo: Perspectiva, 2017
  4. LICKLIDER, J. C. R. Man-computer symbiosis. IRE Transactions on Human Factors in Electronics, 4–11. 1960.
  5. LIETO, A.; BHATT, M.; OLTRAMARI, A.; VERNON, D. The role of cognitive architectures in general artificial intelligence. Cognitive Systems Research, v. 48, p. 1–3, 2018.
  6. LIMA JUNIOR, W. T. Licklider’s fundamental ideas in the "Man-computer symbiosis " reemerge in the concepts of cognitive computing : a bibliometric study. XI International Brazilian Meeting on Cognitive Science: Complexity, Consciousness, and autonomy: a possible unity. Anais. , 2017.
  7. MATURANA, Humberto R.; VARELA. Francisco J. A árvore do Conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. São Paulo: Palas Athena, 2001
  8. SILVA, J. R.; LIMA JUNIOR, W. T. From Licklider to cognitive service systems. Brazilian Journal of Technology, Communication, and Cognitive Science, v. 5, n. 1, p. 13, 2017.
  9. VERNON, D. Artificial Cognitive Systems, MIT Press (2014).

Corpo Docente

  1. Walter Teixeira Lima Junior

Créditos: 4

Ementa

Introdução e histórico. Aplicações de sistemas embarcados. Microcontroladores. Sistemas de memória. Interfaces de comunicação. Sensores e atuadores. Dispositivos de entrada e saída. Interrupções. RTOS. Modelos de sistemas embarcados. Co­projeto de hardware/software. Programação de microcontroladores. Tópicos avançados em Sistemas Embarcados. Aplicações interdisciplinares.

Bibliografia

  1. Peckol, James K. Embedded Systems: a contemporary design tool. Hoboken, N.J.: John Willey & Sons, 2008. 810 p. ISBN 978­0­471­72180­2.
  2. Wilmshurst, T. Designing embedded systems with PIC microcontrollers: principles and applications. 2.ed. Inglaterra: newnes, 2010. 661 p. ISBN 978­1­ 85617­750­4.
  3. Ganssle, Jack. The art of designing embedded systems. Burlington, MA: Elsevier, 2008. 298 p. ISBN 978­0­7506­8644­0.
  4. De Oliveira, A. S.; de Andrade, F. S. Sistemas Embarcados: Hardware e Firmware na prática. Editora Érica, 2006.
  5. Lee, Edward Ashford; Seshia, Sanjit Arunkumar. Introduction to embedded systems: a cyber­physical systems approach. [s.l.]: LeeSeshia.org, 2011. 480 p. ISBN 978­0­557­70857­4. 6. De Souza, D. R.; de Souza, D. J. Desbravando o PIC24. Editora Érica. 2008.
  6. LEE, Insup; LEUNG, Joseph Y­T; SON, Sang H. Handbook of real­time and embedded systems. [s.l.]: [s.n.], 2007. [p. irr.]. ISBN 978­1­584­88678­5.
  7. Yaghmour, K.; Masters, J.; Ben­Yossef, G.; Gerum, P. Construindo Sistemas Linux Embarcados. Editora Alta Books, 2009. ISBN: 9788576083436.

Corpo Docente

  1. Luiz Eduardo Galvão Martins
  2. Tiago de Oliveira

Créditos: 4

Objetivos

Proporcionar aos alunos o conhecimento e compreensão da indústria 4.0 e propor soluções tecnológicas que possam ser aplicados no cotidiano de uma empresa com base nos pilares da 4a revolução industrial.

Ementa

Resumo sobre a 1a, 2a e 3a revolução industrial • Conceitos e histórico da indústria 4.0 • Evolução da Industria 4.0 no Brasil e em outros países • Noções dos principais componentes da Industria 4.0 com apresentação de casos: Manufatura aditiva, internet das coisas, inteligência artificial, computação em nuvem, realidade virtual e aumentada, sistema cyber físicos, segurança da informação, sistema integrados, big data, robôs autônomos e sistemas simulados • Desafios e oportunidades da indústria 4.0.

Bibliografia

  1. Stevan Junior SL, Leme MO, Santos MM. Indústria 4.0 – Fundamentos. Perspectivas e Aplicações. São Paulo: Érica, 2018.
  2. Schwab KA. Quarta Revolução Industrial. 1a ed. São Paulo: EDIPRO, 2016.
  3. Dias EM, Dias LM, Brito E. Automação & Sociedade: Quarta Revolução Revolução Industrial, um olhar para o Brasil Industrial, um olhar para o Brasil.
  4. Brynjolfsson E, & McAfee A. (2014). The second machine age: Work, progress, and prosperity in a time of brilliant technologies. WW Norton & Company (disponível em PDF).
  5. Gilchrist A. Industry 4.0: The Industrial Internet of Things. 1a. New York: Apress, 2016.
  6. Indústria 4.0 no Brasil: oportunidades, perspectivas e desafios. Firjan, SENAI e Finep. Jan 2019.
  7. Volpato N. Manufatura Aditiva: Tecnologias e aplicações da impressão 3D. 1a ed. São Paulo: Blucher, 2017.
  8. Hurwitz , Nugent A, Halper F, Kaufman M. Big data para leigos. 1a ed. Rio de Janeiro: Alta books, 2015.

Corpo Docente

  1. Maria Elizete Kunkel

Créditos: 4

Descrição

Esta disciplina visa apresentar as iniciativas de Cidades Inteligentes no mundo e as boas práticas relacionadas a criação de novos serviços para este contexto. Concentra-se nos aspectos de arquitetura, planejamento e projeto de sistemas de informação para resolver problemas em ambientes urbanos. A avaliação será realizada por meio da entrega de relatórios escritos e, sobretudo, entrega (em duplas) de um projeto de software ou de uma proposta validada de Inovação Tecnológica para o contexto de cidades inteligentes.

Ementa

Introdução às Cidades Inteligentes. Levantamento sobre as características de São José dos Campos. Estudos de caso: Cingapura, Milão, São Paulo, etc. Boas práticas para o projeto de novos serviços para cidades inteligentes. Arquitetura de plataformas para cidades inteligentes. Simuladores de ambientes urbanos. Dados abertos. Cidades responsivas. Seminários e projeto de software ou proposta de serviço para cidades inteligentes.

Bibliografia

  1. Kon, F., and Santana, E.F.Z. "Cidades Inteligentes: Conceitos, plataformas e desafios.", SBC-JAI, 2016.
  2. Isotani, S., and Bittencourt, I.I. "Dados Abertos Conectados", Novatec, 2015.
  3. Daniel Macêdo Batista, Alfredo Goldman, Roberto Hirata Jr., Fabio Kon, Fabio M. Costa and Markus Endler. "InterSCity: Addressing Future Internet Research Challenges for Smart Cities." 7th IEEE International Conference on Network of the Future, 2016.
  4. Eduardo F. Z. Santana, Nelson Lago, Fabio Kon and Dejan S. Milojicic. "InterSCSimulator: Large-Scale Traffic Simulation in Smart Cities using Erlang." 18th Workshop on Multi-agent-based Simulation, 2017.
  5. Arthur de M. Del Esposte, Fabio Kon, Fabio M. Costa and Nelson Lago. "InterSCity: A Scalable Microservice-based Open Source Platform for Smart Cities." 6th International Conference on Smart Cities and Green ICT Systems, 2017.
  6. Karl Matthias and Sean P. Kane. "Docker: Up & Running", O'Reilly, 2015.
  7. IBGE. Cidades Brasileiras. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/sao-jose-dos-campos/panorama, 2017.
  8. Kent E. Calder. "Singapore: Smart City, Smart State". Brookings Institution Press, 2016.

Corpo Docente

  1. Arlindo F. da Conceição

Ementa

Relações entre Sustentabilidade, Inovação Tecnológica e Desenvolvimento Sustentável. Impactos Ambientais. Mudanças Climáticas. Tecnologias Sociais. Energias Alternativas. Produtos e Processos Sustentáveis. Análise de Ciclo de Vida. Estudos de caso.

Bibliografia

  1. THIELE, L.P. Sustainability. John Wiley & Sons, 2013.
  2. HINRICHS, R., KLEINBACH, M., REIS, L. Energia e meio ambiente - Tradução da 4a ed. norte-americana. Cengage Learning, 2011.
  3. DAGNINO, R. (Org.). Tecnologia social - ferramenta para construir outra sociedade.
  4. MILLER Jr., T., Ciência Ambiental, Cengage Learning, 11™ ed., 2007.
  5. Artigos, documentários e outros materiais indicados em sala de aula

Créditos: 4

Ementa

Apresentação de tecnologias emergentes e viabilizadoras de inovação em processos e produtos na área de Tecnologia da Informação e Comunicação.

Bibliografia

  1. Livros, artigos e material complementar selecionados.

Corpo Docente

  • Arlindo F. da Conceição
  • Ezequiel Zorzal
  • Álvaro Fazenda
  • Luiz Eduardo
  • Tiago Oliveira
  • Denise Stringhini
  • Jurandy Almeida

Créditos: 4

Ementa

Apresentação de tecnologias emergentes e viabilizadoras de inovação em processos e produtos.

Bibliografia

  1. Livros, artigos e material complementar selecionados.

Corpo Docente

  • Eduardo Antonelli
  • Maraisa Gonçalves
  • Maria Elizete Kunkel
  • Marina Oliveira de Souza Dias
  • Matheus Morais
  • Raquel Domingues