Docente da EPM/Unifesp participa de estudo sobre o vírus Zika

Esper Cavalheiro foi um dos autores de artigo que identificou fatores genéticos que tornam bebês suscetíveis a complicações pela infecção.

 

Por: Assessoria de imprensa/Unifesp

esper editada

Foto: Acervo Unifesp

O professor titular do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/Unifesp), Esper Cavalheiro, foi um dos autores do estudo intitulado Discordant congenital Zika syndrome twins show differential in vitro viral susceptibility of neural progenitor cells.


Por meio da avaliação de pares de gêmeos, os cientistas conseguiram encontrar três genes que podem indicar uma maior suscetibilidade aos efeitos do vírus da zika nos bebês em gestação, causando malformações como a microcefalia.

Os resultados da pesquisa, liderada por Mayana Zatz, da Universidade de São Paulo (USP), foram publicados na revista;Nature Communications, um dos principais periódicos científicos do mundo, no último dia 2 de fevereiro.

O trabalho foi desenvolvido no Centro de Pesquisa do Genoma Humano e Células-Tronco, um centro de pesquisa, inovação e difusão da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (CEPID).

Também fizeram parte do estudo os doutores pelo Programa de Neurologia/ Neurociências da EPM/Unifesp Bruno Silva Henrique Araújo e Sérgio Gomes da Silva.

Esper Cavalheiro é, atualmente, o pró-reitor de pós-graduação e pesquisa da Unifesp.