Congregação da EPM/Unifesp presta homenagem ao docente Durval Borges

A história de 50 anos de dedicação ganhou mais um capítulo a ser comemorado

durval 3

Por Loane Carvalho

A Congregação da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (EPM/Unifesp), reunida no último dia 05 de dezembro, prestou homenagem ao professor titular aposentado do Departamento de Medicina, Durval Rosa Borges.

Os membros da Congregação e demais participantes puderam conhecer momentos que marcaram a trajetória do acadêmico nos últimos 50 anos, através da apresentação realizada por Helena Nader, professora do Departamento de Bioquímica e do próprio homenageado.

O docente ingressou na Escola Paulista de Medicina no ano de 1962. Durante o curso de Medicina, foi diretor de imprensa do Centro Acadêmico Pereira Barretto (CAPB), em época particularmente pouco propícia à livre expressão de ideias (1964-1965). Formou-se em 1967 e foi escolhido para ser o orador da turma, em cerimônia realizada no Teatro Municipal de São Paulo.
Em 1968, cumpriu estágio obrigatório como médico recém-formado na Força Aérea Brasileira, após critério de escolha criado pelo Governo Militar. De 69 a 71, participou do Programa de Residência Médica em Clínica Médica e Gastroenterologia da EPM, optando pela especialidade de gastro; conquistou o título do doutorado durante este período.
Ao término da residência, prestou concurso e ingressou na instituição como professor adjunto na Disciplina de Gastroenterologia do Departamento de Medicina, em 1972. No mesmo ano foi fazer o pós-doutorado com o Prof. Leal Prado, no Departamento de Bioquímica.

Em 1976 montou documentação para o Programa de Pós-Graduação da Gastroenterologia com o propósito de obter reconhecimento junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O trabalho dispendido alcançou êxito e Durval passou a ser coordenador do programa.
Os anos 90 e 92 foram marcados pela participação nos concursos para a livre-docência e para professor titular, respectivamente. Já como professor titular, passou a ocupar o cargo de chefe da Disciplina de Gastroenterologia da EPM, até o início de 1995.

A saída da chefia da disciplina se deve ao convite recebido do então reitor Hélio Egydio Nogueira (1995-2003) para que assumisse o cargo de pró-reitor da Pró-reitoria de Graduação da Unifesp. “Esse período foi muito rico, pois, na realidade, nós tivemos que transformar o Departamento de Assuntos Estudantis na Pró-reitoria. Uma das iniciativas criadas foi a implantação do Teste do Progresso, uma avaliação feita com todos os alunos da graduação. O resultado desta era capaz de orientar as mudanças para a grade de ensino da graduação, e o Programa MD-PhD”, destaca o homenageado.

Após o término do encargo, assumiu a chefia do Departamento de Medicina da EPM, o maior departamento da escola e que na época estava comemorando 50 anos de existência.
Durante o mandato do reitor Ulysses Fagundes Neto (2003-2008), foi convidado para ser o secretário-geral da Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM); durante dois anos (1981-1982).
Em 2005, no decorrer da expansão que transformou a universidade temática em universidade plena e multicampi, a pedido de Ulysses, organizou e coordenou a criação da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo (FapUnifesp), o que leva à sua saída da secretaria da SPDM. Com a Fap instituída, o docente passa a exercer o cargo de diretor-presidente.

Em sua atividade de pesquisa na EPM, coordenou grupo que estudava aspectos experimentais e clínicos da hipertensão portal hepática. “Minha atividade de pesquisa gerou mais de uma centena de trabalhos originais publicados em periódicos de circulação internacional, que receberam 12 prêmios e permitiram a formação de 21 mestres e 15 doutores, a maioria dos quais exerce atividade universitária”, relembra Durval.
O docente é membro da Academia de Medicina de São Paulo desde 1983 e recebeu o título de comendador da Ordem Nacional do Mérito Cientifico (2002) e o de pesquisador emérito do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) em 2016.

Durval, bastante emocionado, agradeceu pela homenagem. “Queria agradecer a gentileza da professora Emília [diretora da Escola Paulista de Medicina] e a sua bondade comigo. Não vou nem procurar agradecer como devia porque vai ser uma choradeira. Muito obrigado.”

durval 1durval 2durval 4durval 5

Fotos: Fabricio Cruz