Bioprospecção

O reconhecimento da natureza como fonte de produtos e processos biológicos data desde as civilizações mais antigas. Ainda assim, a exploração de moléculas funcionais derivadas de organismos vivos, i.e., os produtos naturais, floresce até os dias recentes. Entretanto, foi apenas há cerca de 50 anos que o ambiente marinho passou também a ser explorado a partir desta perspectiva. O Brasil abriga uma megabiodiversidade e um litoral contínuo de cerca de 8.000 km de extensão, o que representa um grande potencial para a descoberta de moléculas de interesse biotecnológico. O esforço empreendido na busca destes produtos ou processos a partir da natureza – assim chamado de bioprospecção, apoia-se, inicialmente, na identificação e caracterização de componentes bioativos originários de macro e micro-organismos do ambiente marinho. O aproveitamento de moléculas naturais demanda, ainda, uma exploração racional, porém eficaz, da biodiversidade, buscando inovar quanto aos espaços explorados, sejam estes ambientais, taxonômicos, químicos, genômicos ou de alvos de ação. Vale ressaltar que este processo abrange, ainda, o desenvolvimento de métodos para a produção destes componentes, garantindo o uso e o suprimento sustentável dos produtos identificados. Assim, a presente linha de pesquisa tem por objetivo identificar moléculas funcionais a partir da biodiversidade marinha brasileira, visando o reconhecimento de novos produtos ou processos de alto valor econômico e social. Finalmente, também se pretende a implementação de novas estratégias, bem como o desenvolvimento de tecnologias inovadoras voltadas à bioprospecção racional e sustentável dos recursos marinhos.

Docentes da linha: Alessandra Mussi Ribeiro, Anna Rafaela Cavalcante Braga, Jose Ronnie Vasconcelos, Juliana Elaine Perobelli, Marcos Gazzarini, Mauro Ferreira de Azevedo, Paula Jimenez, Regina Claudia Barbosa da Silva e Sang Won Han.


Voltar