Biomateriais

Baseada no alto índice de traumas e lesões que acometem os sistemas musculoesquelético, nervoso e cartilaginoso no Brasil, torna-se de suma importância, o desenvolvimento de tratamentos inovadores que sejam cada vez mais eficazes, seguros e de custo reduzido, para serem utilizados no tratamento dessas afecções. Dentro desta temática, o ambiente marinho é amplamente favorável ao fornecimento de matéria prima no desenvolvimento de produtos biotecnológicos para a utilização no tratamento dessas lesões. Organismos marinhos como esponjas, tunicados, corais, macroalgas e micro-organismos, produzem pequenas moléculas (metabólitos secundários) estruturalmente únicas que atraem, há décadas, a atenção da comunidade científica, principalmente por exibirem propriedades farmacológicas e anti-incrustantes. Ainda, os biomateriais sintéticos como as biocerâmicas, os metais e os polímeros também apresentam grande potencial regenerativo. A compreensão das características físico-químicas dos biomateriais é de fundamental importância para a previsibilidade do seu comportamento em contato ao tecido vivo, fornecendo informações para a escolha do biomaterial mais indicado na utilização em intervenções terapêuticas e no processo de aceleração do reparo tecidual. Deste modo, essa linha de pesquisa tem como objetivos estudar a biocompatibilidae e a citotoxicidade de scaffolds manufaturados a partir de espécies de esponjas marinhas e de diversos materiais sintéticos, bem como, avaliar os efeitos destes no processo de reparo tecidual utilizando diversos modelos experimentais.

Docentes da linha: Ana Claudia Muniz Renno, Daniel Araki Ribeiro, Jose Ronnie de Carvalho Vasconcelos, Livia Assis, Paula Jimenez, Renata Neves Granito e Sang Won Han

 

Voltar