Segunda, 25 Março 2019 17:07

Conselho Estratégico Universidade-Sociedade (CEUS) da Unifesp realiza primeira sessão

Capa CEUS

O Conselho Estratégico Universidade-Sociedade (CEUS) da Unifesp realizou, na sexta-feira (22/3), a primeira sessão com seus membros representantes da sociedade civil e dos setores público e privado. Composto por 60 conselheiros, com mandato para o período 2019-2021, o CEUS irá propor e debater temas de interesse local, nacional e internacional que orientem as ações de ensino, pesquisa e extensão da Unifesp, programas e ações acadêmicas, metodologias de ensino inovadoras, alinhado com as necessidades da sociedade brasileira.

O órgão também buscará colaborar com a avaliação do estudante egresso da Unifesp, com a proposição de parcerias com movimentos sociais, órgãos de classe e entidades civis, além de parcerias público-privadas para investimentos estratégicos da universidade, incluindo novas infraestruturas e áreas de pesquisa.

No início do encontro, a reitora Soraya Smaili deu boas-vindas aos conselheiros, os quais ajudarão, segundo ela, a ampliar a interação da Unifesp com a sociedade no cumprimento de sua missão. "É uma iniciativa inédita com a participação de diversas representações para fazermos melhor o nosso trabalho. Esse é um momento histórico para todos nós", afirmou. Ela ainda fez a apresentação de um breve histórico Unifesp, de sua estrutura organizacional e de seu modelo de governança, com dados e indicadores acadêmicos e orçamentários mais atuais da instituição.

Para Pedro Arantes, pró-reitor de Planejamento da Unifesp, o CEUS é um órgão estratégico e democrático que coloca o diálogo com a sociedade em novo patamar. "Ele é uma oportunidade para a defesa do conhecimento contra o obscurantismo, para defesa das universidades públicas como fundamentais para um país mais justo, plural, sustentável e solidário", conclui.

CEUS portal 1

Importância do CEUS

Durante uma breve apresentação dos conselheiros, Natacha Gonçalves da Costa, conselheira do CEUS e diretora da Cidade Escola Aprendiz, que atua na questão da Educação e Direitos Humanos, ressaltou que essa iniciativa seria fundamental em qualquer momento da história do Brasil, pois ela diz respeito à função social da universidade. "Mas, nesse momento, especificamente, de muitas ameaças, precisamos muito de espaços abertos para o diálogo como esse para a defesa de democracia", complementou. O conselheiro Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo, explicou que muito se fala da necessidade de abertura da universidade para a comunidade e que são poucas as ações efetivas nesse sentido. "Temos aqui uma iniciativa prática, direta e objetiva com esse objetivo. É uma satisfação muito grande poder participar do CEUS", concluiu.

A conselheira Anna Martins, da União Brasileira de Mulheres, mencionou a importância do diálogo da universidade com as escolas públicas e com as periferias. “Os campi têm que estar vinculados aos seus entornos, com as escolas, com atividades culturais, uma universidade aberta ao povo”, afirmou. Representando a Associação da Casa do Deficiente de Ermelino Matarazzo, o conselheiro Luis França sugeriu que a Unifesp amplia a interlocução com os jovens, sobretudo das periferias. “Os jovens estão vivenciando cada vez mais situações de risco e de violência, temos que dialogar com eles e entender seus desafios e expectativas”. E complementou: “A universidade tem que estar onde o povo está”.

Como parte da programação, o diretor do Departamento de Comunicação Institucional da Unifesp, Walter Lima, apresentou as formas de como universidade tem se comunicado com o público externo, incluindo os canais de comunicação, linguagens e formatos, e as estratégias de mídia e redes sociais. Já a pró-reitora de Extensão e Cultura, Raiane Assumpção, apresentou dados gerais da extensão universitária, principais projetos e programas, a política de Observatórios da Unifesp e as atividades do Centro de Antropologia e Arqueologia Forense (CAAF), dentre outras ações.

Por fim, houve uma discussão sobre formatos de atuação do conselho e de possíveis temas e desafios a serem abordados pelos seus integrantes já a partir de sua segunda sessão. Ao final, foi projetado o documentário “Ciência do Sono”, sobre ensino, pesquisa e assistência da Unifesp nesta área, vídeo piloto de divulgação científica, convite ao conhecimento e comemoração dos 25 anos da Unifesp. Estão previstos mais 24 vídeos ao longo do ano, com outros temas.

Fotos: Alex Reipert

 

Lido 1461 vezes Última modificação em Terça, 07 Maio 2019 18:05

Mídia