Segunda, 02 Maio 2016 21:54

Unifesp inaugura novo edifício acadêmico do Campus Guarulhos

Solenidade contou com a presença do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e de outras autoridades

Por José Luiz Guerra e Mariane Santos

InauguracaoEFLCHB

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) inaugurou, na manhã de segunda-feira (2/5), o novo edifício acadêmico da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH), Campus Guarulhos, no bairro dos Pimentas. Compuseram a mesa de abertura o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, o prefeito de Guarulhos, Sebastião Almeida, a reitora da Unifesp, Soraya Smaili e o diretor acadêmico da EFLCH, Daniel Vazquez.

A solenidade contou com a presença de deputados, vereadores e secretários municipais de Guarulhos, pró-reitores, diretores acadêmicos, docentes, servidores técnico-administrativos e alunos da Unifesp, além de membros de movimentos sociais. Com cerca de 20 mil metros quadrados de área útil, o edifício dispõe de 38 salas de aula, 14 laboratórios de pesquisas e estudos, biblioteca com mais de 100 mil exemplares, anfiteatro com capacidade para 150 lugares, restaurante universitário e sistemas inteligentes de automação e de captação de águas pluviais.

Daniel Vazquez agradeceu a todos os presentes e disse o quão engrandecido está por esse dia e pelo o que ele representa para a Unifesp Guarulhos e para a instituição como um todo. “Agradeço o empenho do ministro e da reitora para que a obra desse novo prédio fosse concluída em sua primeira etapa e temos em andamento a segunda, mesmo diante das garantias de recursos, das dificuldades orçamentárias da universidade e do país no momento”. O diretor agradeceu, em especial, aos alunos, técnicos-administrativos e docentes do campus.

Vazquez explicou que a EFLCH/Unifesp possui mais de 3 mil alunos de graduação nos cursos de Ciências Sociais, Filosofia, História, História da Arte, Letras e Pedagogia “Conseguimos reunir um corpo docente de alta qualidade com produções científicas de relevância e inserção internacional”. Sobre a pós-graduação, o diretor afirmou que foram criados 7 programas de mestrado e doutorado, que contam hoje com mais de 500 alunos, corpo técnico politicamente consciente que defende e atua pela consolidação do campus.

“A inauguração desse prédio estabelece, sem dúvida, outro patamar de infraestrutura, de condições para a realização das atividades de ensino, pesquisa e extensão do campus, mas ele representa mais do que isso: há um forte valor simbólico e uma história muito bonita de luta, que vem desde a organização da cidade para a instalação de uma universidade pública no município, até a luta pela permanência e consolidação da Unifesp no bairro dos Pimentas”, completou o diretor.

Sebastião Almeida disse que Guarulhos é eternamente grato pela passagem de Aloizio Mercadante a frente do Ministério da Educação. “Se nós estamos aqui hoje nesse momento é porque tivemos um ministro de muita sensibilidade para entender que a cidade de Guarulhos merecia algo muito além que a estrutura da Unifesp possuía aqui na cidade”. Almeida também agradeceu a reitora, Soraya Smaili, pela dedicação, empenho e compromisso com o projeto educacional. Saudou também a comunidade acadêmica do campus e reafirmou que pretende, em breve, resolver as questões referentes ao novo terreno para o campus.

Soraya Smaili falou que o edifício não é uma obra de uma única gestão. “É uma obra de muitas pessoas juntas que acreditaram e continuam lutando pela universidade pública brasileira”. A reitora agradeceu, de forma geral, a todos que contribuíram com o processo, especialmente à prefeitura de Guarulhos, com quem a Unifesp possui acordo de cooperação. “Fizemos um plano onde constam os terrenos a serem decretados de utilidade pública para construirmos a moradia estudantil”. Soraya afirmou também que é necessário expandir para além do entorno do campus para que a Unifesp possa crescer ainda mais e que a gestão está trabalhando para manter um diálogo franco, aberto e com vontade de construir.

O ministro da Educação, Aloízio Mercadante, cumprimentou as autoridades e afirmou ser uma satisfação retornar ao Campus Guarulhos para a inauguração do novo Edifício que, segundo ele, foi construído graças ao esforço da comunidade acadêmica. Mercadante comparou a Unifesp e outras universidades brasileiras às mais tradicionais do mundo. “Esse campus é parte de uma história muito difícil na educação brasileira”, referindo-se a falta de um legado educacional dos portugueses. Falou também sobre o grande processo de expansão pelo qual a instituição passou, passando de cinco cursos até 2005 para mais de cinquenta atualmente. Ele aproveitou para agradecer a Unifesp pelo apoio dado na formação de professores do ensino básico. Especificamente sobre a EFLCH, Mercadante ressaltou o trabalho de formação de professores, feitos por meio de programas como a Residência Pedagógica.

Ao final da cerimônia, foi descerrada a placa de inauguração do edifício acadêmico e, em seguida, as autoridades e convidados fizeram uma visita às novas instalações.

InauguracaoEFLCHC

InauguracaoEFLCHA

InauguracaoEFLCHD

InauguracaoEFLCHE

InauguracaoEFLCHF

 

 

Lido 8676 vezes Última modificação em Quinta, 23 Novembro 2017 17:29

Mídia