Quarta, 20 Janeiro 2016 19:39

Fórum Social da Educação Popular conta com a presença da Unifesp

A docente Raiane Assumpção representou a reitora da universidade, Soraya Smaili

O Fórum Social da Educação Popular (FSEPop) ocorreu nos dias 17 e 18 de janeiro, articulado com as atividades do Fórum Social Temático de 2016, e debateu a relação entre educação popular e a universidade.

A mesa de diálogos que marcou o início do evento foi coordenada por Raiane Assumpção, (Unifesp) e Oscar Jara (CEAAL), e teve a explanação do sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, seguido dos comentários e apresentação de Naomar Almeida Filho, reitor da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Lia del Carmen Córdoba Garrido, da Universidad de los Pueblos (Colômbia), Cláudia Rose, do Museu da Maré (RJ) e Jesus Alejandro Vera Jimenez, reitor da Universidad Autónoma del Estado de Morelos (México).

Boaventura falou sobre as grandes transformações na universidade, principalmente nas instituições públicas, que passam por um processo de democratização e aumento do acesso graças às políticas de ações afirmativas, “permitindo uma aproximação das classes”. Mas ele destacou que esse movimento é “relutante”, “inclui gente diferente, mas não inclui cosmovisões diferentes”. Destacou que a universidade e educação popular estão “em uma encruzilhada”. “Ela pode ser superada de forma progressista e emancipadora”. Ele defendeu que, para isso, a “educação popular precisa de uma universidade progressista e a universidade progressista precisa da educação popular”.

Neste contexto do FSEPop, foi firmada a intenção de cooperação entre a Unifesp e a Universidade Popular dos Movimentos Sociais (UPMS), por meio de uma carta assinada pela reitora da Unifesp, Soraya Smaili, entregue por Raiane Assumpção e pelo sociólogo Boaventura de Sousa Santos, coordenador da UPMS.

FSEPop

O Fórum Social da Educação Popular acontece até o dia 23 de janeiro, em Porto Alegre, no contexto do Fórum Social Mundial Temático 2016. O evento reúne intelectuais da América Latina, África e Europa, organizações e lideranças sociais, movimentos, universidades e governos em um grande debate sobre a educação popular no mundo atual.

A Unifesp se faz presente no evento por meio da participação de três docentes e três estudantes que vivenciam experiências de educação popular na universidade.

 

Lido 5852 vezes Última modificação em Quinta, 25 Fevereiro 2016 17:05

Mídia