Quarta, 11 Novembro 2015 15:01

Câmara Municipal de Guarulhos promove audiência pública sobre a Unifesp

Evento visou discutir o papel da universidade na cidade e o retorno ao bairro dos Pimentas

Por José Luiz Guerra

A Câmara Municipal de Guarulhos realizou, no último dia 10 de novembro, uma audiência pública sobre a Unifesp, que teve como intuito discutir o papel da universidade na cidade e o retorno das atividades da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH) ao bairro dos Pimentas.

A reitora da Unifesp, Soraya Smaili, iniciou a audiência fazendo uma explanação sobre a história da Unifesp, desde a criação da Escoa Paulista de Medicina, em 1933, até os dias atuais, com uma estrutura multicampi. “Temos responsabilidades por sermos o maior estado do país e termos campi em grandes regiões metropolitanas”, disse a reitora. Soraya citou a formação de um anel universitário, formado pelos campi da instituição. Ela destacou também a produção acadêmica da instituição. “Já temos uma produção de conhecimento muito grande, inclusive fora do campus São Paulo”. Utilizando o número de alunos de graduação, pós-graduação e da produção acadêmica, Soraya mostrou o quanto a Unifesp cresceu nos últimos anos.

Logo em seguida, o diretor acadêmico do campus Guarulhos, Daniel Vazquez, apresentou a estrutura do campus, baseando-se no número de alunos – o maior da instituição – e na produção acadêmica da EFLCH. O diretor falou também sobre a construção do novo edifício acadêmico no bairro dos Pimentas e a reforma das estruturas já existentes. “A Unifesp está fazendo um investimento altíssimo em Guarulhos e agora estamos nos preparando para o retorno”. Vazquez citou também o fato de que todos os cursos do campus tenham ingresso exclusivamente pelo Sistema de Seleção Unificado (SiSU) e que mais da metade dos alunos da EFLCH são oriundos da escola pública. Ele falou também a respeito das atividades de extensão do campus, algumas delas com destaque na mídia nacional como o Memorial Digital do Refugiado (MemoRef), que dá aulas de português e cultura à refugiados.

Sobre a possibilidade de expansão do campus, Vazquez citou os trabalhos em conjunto com a Prefeitura de Guarulhos para a possibilidade de aquisição de terrenos para a construção de moradias estudantis. “Mapeamos terrenos vazios no entorno do campus para que fossem declarados de utilidade pública e , assim, pensarmos na expansão da EFLCH.

O Vereador Claudilson Pezão reforçou que os vereadores devem lutar pela consolidação da Unifesp na cidade. “Vamos estar cada dia mais cobrando a conclusão de todas as promessas. Já o docente do curso de Pedagogia da EFLCH, Cleber Vieira relembrou que há três anos a Câmara dos Vereadores aprovou uma moção de apoio à permanência da Unifesp em Guarulhos.

Após as falas da mesa, alunos e ex-alunos da Unifesp, membros da comunidade do Pimentas e da cidade de Guarulhos discursaram pela permanência e consolidação da Unifesp na cidade.

Por fim, a reitora agradeceu aos vereadores pela oportunidade da audiência e pediu apoio aos vereadores nas questões relacionadas à Unifesp. “Ter uma universidade pública na cidade de Guarulhos é um bem para a população e queremos que a Unifesp traga melhorias para a região”, completou.

Já Daniel Vazquez disse que a audiência foi uma grande oportunidade de demonstrar o quanto a Unifesp é importante para a cidade e reforçou que o retorno da EFLCH ao bairro dos Pimentas deve ser bem planejado. O diretor também apontou o desafio das melhorias do entorno do campus, questão que deve ser acompanhada em conjunto com os vereadores e com a prefeitura. “Queremos que a Unifesp seja, de fato, uma referência”, finalizou.

AudienciaPublica.JPG

 

Lido 5773 vezes Última modificação em Quinta, 24 Março 2016 17:20

Mídia